conecte-se conosco



Economia

Vida nova? 6 dicas para mudar (ou entrar) em uma carreira diferente em 2020

Publicado

em

source
funcionária feliz arrow-options
shutterstock

Retomada na economia pode moivar uma mudança de carreira em 2020

Depois de  chegar a um contingente de 13,5 milhões de desempregados no primeiro trimestre de 2017, segundo o IBGE, o Brasil começa a apresentar sinais de recuperação na economia

O número de desempregados no trimestre terminado em outubro deste ano é de 12,4 milhões, ainda de acordo com o IBGE, e nos dez primeiros meses de 2019, o saldo de empregos formais é positivo em 841,5 mil vagas.

5 dicas de ouro para se dar bem em uma entrevista por vídeo

Muitas vezes, porém, essas oportunidades não estão no mercado de atuação de quem ainda busca por uma oportunidade ou não vê muito futuro no emprego atual. 

Por isso, mudar de carreira tem se tornado uma alternativa para um número cada vez maior de pessoas.

Um levantamento da empresa de tecnologia Hotmart de setembro deste ano apontou algumas profissões que estarão em alta no ano que vem como: desenvolvedor de software, especialista em experiência, digital influencer, professor on-line, coach, profissional de marketing digital são alguns exemplos.

Melhor não: 4 perguntas que nunca devem ser feitas em uma entrevista de emprego

Mas como fazer essa migração?

O grupo suíço de consultoria em Recursos Humanos  Adecco levantou 6  atitudes básicas  para quem, com um bom planejamento, pretende iniciar um nova carreira em 2020.

Passo 1

Saber quais os requisitos necessários do novo setor e se capacitar neles. A consultoria observa que a oferta de recursos para capacitação aumentou muito nos últimos anos e vale a pena aproveitar aqueles disponíveis na internet, em organizações e instituições voltadas para o setor escolhido. 

Passo 2

Busque alguma experiência na nova área , seja como colaborador pontual, estagiário ou simplesmente voluntário. São formas de criar experiência no novo campo de interesse. Não tenha medo de arriscar e procurar empresas ou instituições que atuam no novo ramo.  

Leia mais:  Inflação de setembro fica em 0,48% e acumulado do ano ultrapassa meta do governo

Passo 3

Invista em uma nova rede de contatos . Além de procurar empresas, busque profissionais do novo mercado de interesse que você admira ou se identifica. Eles podem oferecer dicas valiosas.

As 5 perguntas mais difíceis de uma entrevista de emprego: saiba o que responder

Passo 4

Mostre-se! Participar de fóruns, conferências ou eventos de networking ajuda a estabelecer relações com outros profissionais que partilham os mesmos interesses e, claro, podem render indicações.

Passo 5

Mude seu currículo . Se a ideia é atuar em uma nova área, não adianta apresentar um currículo antigo. Um bom começo é adaptar as suas cartas de apresentação , currículos e perfis online incluindo seu novo objetivo profissional. Lembre-se de também reformular as palavras-chave no seu perfil.

Passo 6

Quando estiver preparado, busque as empresas mais relevantes do novo setor.  A auto-candidatura é uma ferramenta importante para quem está entrando em uma nova área. Invista em uma boa comunicação para iniciar a nova vida profissional.


Comentários do Facebook
publicidade

Economia

Após crise, governo federal anuncia demissão do presidente do INSS

Publicado

em

source
Renato Vieira%2C presidente do INSS%2C em imagem de arquivo arrow-options
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Renato Vieira, presidente do INSS, em imagem de arquivo

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, anunciou que o presidente do INSS, Renato Vieira deixará o comando do instituto. O substituto será Leonardo Rolim, que é atualmente secretário da Previdência. Ainda não há definição de quem o substituirá no ministério.

Renato Vieira foi nomeado no início do governo do presidente Jair Bolsonaro, e ficou pouco mais de um ano no cargo. De acordo com a gestão, a saída de Renato Vieira foi por uma vontade própria.

INSS: Ministério Público e TCU querem suspender contratação de militares

A troca no comando no INSS ocorre após a crise das filas de atendimento para pedidos de aposentadoria e benefício. Atualmente existem quase 2 milhões de pedidos de benefícios na fila.

O prazo para regularizar essa situação, segundo o próprio governo, é de seis meses.

“Ele consolidou sua disposição de sair do INSS a pedido. Foi uma conversa amadurecida ao longo dos últimos 15 dias”, afirmou o secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho.

“Ano passado foi bastante intenso, esse ano será muito desafiador. O Renato acha que precisa se dedicar a seus projetos, e nós aceitamos sua demissão. Comunicamos ao [ministro da Economia] Paulo Guedes e [ao presidente da República Jair] Bolsonaro, e amanhã haverá consolidação desse ato, com indicação do seu substituto”, declarou.

Entenda a crise

O INSS admite que houve uma diminuição da produtividade no processamento de novos benefícios. O órgão atribui a este fator ao aumento de 36% nos pedidos mensais desde a digitalização dos processos, a formação de uma fila de quase 2 milhões de requerimentos que não são analisados dentro do prazo legal de 45 dias.

Leia mais:  Governo sanciona lei do cadastro positivo para todos os consumidores

Para demonstrar a perda de produtividade, porém, o órgão não aponta os dados de 2019, o primeiro do governo de Jair Bolsonaro, mas de 2018, ano em que “o INSS registrou o maior fluxo de novos requerimentos já registrado e a menor produtividade dos últimos quatro anos (2016 a 2019)”, como consta em nota enviada ao jornal o Globo, nesta terça-feira (21).

Demora na concessão de benefícios pode gerar prejuízo de R$ 14 milhões ao INSS

O INSS já havia diagnosticado há pelo menos seis meses a necessidade de mais de 13,5 mil servidores para lidar com o estoque formado de 1,4 milhão de processos e com os novos pedidos que aportavam no órgão. A crise se agravou, não houve incremento de funcionários e esse estoque chegou a quase 2 milhões num prazo de seis meses.

Comentários do Facebook
Continue lendo
Nacional1 minuto atrás

Chuva forte alaga ruas e causa destruição e morte na região de Belo Horizonte

arrow-options Reprodução/TV Globo Chuva causou destruição em diversos pontos da cidade mineira Um novo temporal atingiu Belo Horizonte, na noite...

Nacional1 minuto atrás

Rio: menino atingido por tiro na cabeça no Morro São João segue em estado grave

arrow-options Fotos públicas/reprodução Arthur foi transferido para hospital pediátrico nesta terça-feira Foi transferido nesta terça-feira (28) para a unidade pediátrica...

Nacional1 minuto atrás

Rio de Janeiro teve recorde de denúncias contra ação de milícias em 2019

arrow-options Domingos Peixoto / Agência O Globo Grupos paramilitares são a fonte de maior reclamação dos moradores da cidade As...

Nacional1 minuto atrás

Dique se rompe e ameaça 4 mil famílias em cidade no interior do Rio de Janeiro

arrow-options Prefeitura de Campos / Divulgação No último final de semana, Prefeitura realizou obras para tentar conter o rompimento do...

Nacional1 minuto atrás

Bucha 1 e bucha 2: mãe de gêmeas denuncia racismo de segurança de metrô na Bahia

arrow-options Reprodução Gêmeas sofreram racismo ao utilizar metrô em Salvador Um segurança de um metrô em Salvador, na Bahia ,...

Nacional1 minuto atrás

Mulher é presa após tentar matar a mãe asfixiada em hospital do Maranhão

arrow-options Reprodução/TV Globo Polícia conseguiu prender mulher dentro do hospital A mulher presa em flagrante pela polícia é Luciana Paula...

Nacional1 minuto atrás

Chuva chega a quase 1000 milímetros em Belo Horizonte e bate recorde de 110 anos

arrow-options Reprodução/TV Globo Chuva causou destruição em diversos pontos da cidade mineira O mês de janeiro já é o mais...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana