conecte-se conosco


Esportes

Veja a convocação da seleção brasileira para a Copa do Mundo de Futebol Feminino

Publicado

em


Vadão
Lucas Figueiredo / MoWA Press

Vadão convocou a seleção brasileira para a Copa do Mundo de Futebol Feminino

A seleção brasileira feminina foi convocada, nesta quinta-feira (16), para a disputa da Copa do Mundo de Futebol Feminino que acontecerá na França entre os dias 07 de junho e 07 de julho. Ao todo serão 24 seleções divididas em seis grupos de quatro equipes) em busca do título mundial.

Leia também: Confira as principais curiosidades da Copa do Mundo feminina

Acontecendo desde 1991, a  Copa do Mundo de Futebol Feminino  terá algumas novidades nesta oitava edição como introdução do árbitro de vídeo (VAR),  aumento da premiação financeira e a TV Globo transmitindo pela primeira vez os jogos ao vivo da seleção brasileira .

Presentes em todas as edições do Mundial, as meninas do Brasil buscam trazer o primeiro título para o país. A estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo de Futebol Feminino acontece no dia 09 de junho, às 10h30, contra a Jamaica, em Grenoble.

Confira abaixo as jogadoras convocadas pelo técnico Vadão:


Goleiras

Aline (Tenerife)
Barbara (Avaí)
Leticia Izidoro (Corinthians)


Defensoras

Fabiana Baiana (Internacional)
Leticia (Santos)
Tamiris (Fortuna)
Camila (Orlando Pride)
Erika (Corinthians)
Kathellen (Bordeaux)
Mônica (Corinthians)
Tayla (Benfica)

Meio-campistas

Andressinha (Portland)
Formiga (PSG)
Adriana (Corinthians)
Thaisa (Milan)


Atacantes

Bia Zaneratto (Hyundai Red Angels)
Cristiane ( São Paulo)
Raquel (Huelva)
Débinha (North Carolina)
Geise (Benfica)
Ludmilla (Atlético de Madrid)
Marta (Orlando Pride)
Andressa Alves (Barcelona)

Leia mais:  Michael Schumacher pode realizar grande sonho anos após grave acidente de esqui

Fonte: IG Esportes
Comentários do Facebook
publicidade

Esportes

Títulos e ativismo: Por que a melhor jogadora do mundo não estará na Copa?

Publicado

em


Ada Hegerberg
Reprodução/ Instagram

Ada Hegerberg tem 23 anos e já marcou seu nome na história do futebol feminino com títulos e ativismo

Ada Hegerberg já tem seu nome escrito na história do futebol feminino. Aos 23 anos a norueguesa acumula troféus e prêmios individuais pelo Lyon, da França, mas o que mais tem chamado à atenção do mundo é sua luta pela igualdade de gênero.

Leia também:  Confira as curiosidades históricas da Copa do Mundo de futebol feminino

Natural de Molde, cidade no noroeste da Noruega, Ada Hegerberg iniciou sua carreira no futebol feminino quando ainda tinha 15 anos. Seu primeiro clube foi o Kolbotn IL onde ficou de 2010 a 2011. Nesse período foi eleita a melhor jogadora do ano da Liga Toppserien e a primeira atleta a marcar um hat-trick na competição.

Em 2012 ela e sua irmã mais velha, Andrine, assinaram com o Stabaek. Lá, Ada participou de 18 jogos e marcou 25 gols, terminando a temporada como artilheira do torneio. Todo o sucesso da dupla Hegerberg rendeu um contrato para as irmãs no Campeonato feminino da Alemanha.

Ada e Andrine se transferiram para o Turbina Potsdam em 2013 e após dois vices (um na Bundesliga e um na DFB Pokal), Ada foi contratada pelo Olympique Lyonnais , enquanto sua irmã assinou com o Paris Saint-Germain.

Na França a norueguesa chegou ao auge de sua carreira. Em 15 troféus disputados com o Lyon ela venceu 13, sendo quatro vezes a Liga dos Campeões Feminina, quatro vezes a Copa da França e cinco vezes o Campeonato Francês Feminino.

Leia também:  Brasil entra na briga para sediar a Copa do Mundo de futebol feminino em 2023

Nos prêmios individuais, Ada venceu o 2015 Norwegian Gold Ball de melhor jogador de futebol da Noruega – desde 1995 uma mulher não era vencedora dessa premiação; conquistou o BBC Women’s Footballer of the Year de 2017 e 2019; foi eleita a melhor jogadora de futebol feminino na Europa em 2016 e venceu o Ballon D’Or 2018, a primeira bola de ouro entregue a uma mulher na história.

Leia mais:  Bélgica fecha ano no topo do ranking da Fifa, que define potes da Copa América

ada na seleção norueguesa
Reprodução

Ada enquanto ainda defendia a seleção da Noruega

Todos os seus sucessos dentro de campo não a impediram de renunciar à seleção norueguesa por acreditar que as mulheres não recebiam o mesmo tratamento que os homens. Em 2017 ela anunciou a NFF que não iria mais vestir a camisa da seleção. Como resposta a federação assinou um termo com melhorias para a classe como aumento na remuneração.

Porém, Ada ainda não se sente satisfeita e recusou novamente a convocação para a seleção norueguesa. Por esse motivo ela ficará de fora da Copa do Mundo de futebol feminino que será disputada entre junho e julho, na França.

“O futebol é a minha maior paixão na vida e trabalhei muito duro para chegar até aqui. É tão importante para mim que não posso sentar e ver as coisas não irem na direção certa”, disse ela ao BBC Sports após receber o prêmio BBC Women’s Footballer of the Year.

“Ganhar todos esses troféus e ter todo esse sucesso te dá uma voz. Não é sobre mim. Nunca foi sobre mim. É sobre conseguir a mudança para o nosso esporte. Deve motivar muitos outros também. Estamos todos juntos nessa”, acrescentou.

Apesar de sua batalha pela igualdade de gênero , ela ainda sente na pele o sexismo no esporte. Durante a entrega da Bola de Ouro, em dezembro de 2018, o DJ Martin Solveig perguntou se Ada sabia dançar Twerk para comemorar o prêmio, constrangida ela respondeu “não”.

Leia também:  Confira a convocação da seleção brasileira feminina para o Mundial de 2019

Em sua fala na premiação, Ada Hegerberg deixou o constrangimento de lado e deu um discurso poderoso. “Criar um prêmio feminino é um grande passo para o futebol feminino. Juntas, nós faremos a diferença. EU termino esse discurso direcionando a palavra às meninas de todo o mundo: por favor, acreditem em vocês”.

Leia mais:  Estudo aponta CR7 ‘imune’ à pressão durante os jogos e Neymar muito afetado

Fonte: IG Esportes
Comentários do Facebook
Continue lendo
Nacional2 minutos atrás

Prêmio de R$ 11,8 milhões da Mega-Sena sai para aposta no interior de São Paulo

Divulgação/ Wilson Dias/ Agência Brasil Aposta de Aramina, no interior de São Paulo, vai embolsar quase R$ 12 milhões O...

Polícia Federal2 minutos atrás

Polícia Federal deflagra Operação Nêmesis para combater pornografia infantil

Brasília/DF – A Polícia Federal deflagrou hoje, 23/05, a Operação Nêmesis*, com o objetivo de reprimir a prática de crimes...

Nacional18 minutos atrás

Polícia do Rio oferece recompensa pela prisão de ‘Hello Kitty do tráfico’

Reprodução/redes sociais Jovem integra facção que briga pelo comando de uma comunidade no Rio de Janeiro O Portal dos Procurados...

Nacional18 minutos atrás

Polícia do Rio oferece recompensa pela prisão da ‘Hello Kitty do tráfico’

Reprodução/redes sociais Jovem integra facção que briga pelo comando de uma comunidade no Rio de Janeiro O Portal dos Procurados...

Esportes19 minutos atrás

Títulos e ativismo: Por que a melhor jogadora do mundo não estará na Copa?

Reprodução/ Instagram Ada Hegerberg tem 23 anos e já marcou seu nome na história do futebol feminino com títulos e...

Entretenimento33 minutos atrás

Elogio da resistência, “Inferninho” abraça figuras marginalizadas pela sociedade

“Inferninho” poderia ser um filme do Almodóvar dos anos 80, mas faz sentido que seja uma produção independente brasileira dessa...

Direto de Brasília33 minutos atrás

Votação de destaques da MP da Reforma Administrativa acontece nesta quinta

Luis Macedo/Câmara dos Deputados – 22.5.19 Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão para votar reforma administrativa A conclusão da...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana