conecte-se conosco


Nacional

Vale pede prisão de professor que protestou contra crime de Mariana em 2015

Publicado

em

source
professor protesto Mariana Vale arrow-options
Alexandra Duarte
O processo do professor Evandro Medeiros será julgado no dia 22 de outubro.

A mineradora Vale , responsável pelos crimes ambientais de Mariana e Brumadinho , em Minas Gerais, quer que o professor Evandro Medeiros , da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) seja preso por ter participado de um protesto em novembro de 2015 contra a empresa.

Leia também: Justiça afasta coordenador da força-tarefa penitenciária no Pará

A Vale moveu dois processos contra o docente: um na esfera cível e outro na esfera criminal. No processo cível, ele foi absolvido em segunda instância, por falta de provas.

O julgamento do processo na esfera criminal, entretanto, será no próximo dia 22 de outubro, no Fórum José Elias Monteiro, em Marabá, no sul do Pará, às 11 horas da manhã. Não há valor a ser pago, mas a mineradora pede a prisão do professor.

O professor da faculdade de Educação no Campo da Unifesspa se diz indignado com o fato do Ministério Público do Pará (MPPA) ter aceitado a denúncia.

“O que me deixa com vergonha do sistema de justiça do país é que o Ministério Públic o aceitou as denúncias da Vale legitimando a prática de criminalização que é exercitada pela mineradora contra aquelas pessoas que são críticas às atividades de mineração. Aquelas pessoas que se colocam como denunciantes dos crimes da empresa”, afirma.

Segundo ele, a Vale usa a criminalização para desarticular as pessoas mais engajadas em protestar contra a empresa. Medeiros se defende de um pedido de interdito proibitório, um artifício processual utilizado para impedir agressões iminentes que ameaçam a posse de alguém.

Leia também: “Se ele portasse uma arma de fogo, teria me matado”, diz juíza esfaqueada

Leia mais:  Ministro do Turismo ameaça agredir líder de campanha bolsonarista em avião

A mineradora também pediu a interdição de outros militantes da região , como é o caso da João Reis e Valdir Gonçalves, lideranças comunitárias de Marabá que estão proibidas de se aproximar da Estrada de Ferro Carajás (EFC) – local onde ocorreu o protesto após o crime de Mariana, em 2015.

“A gente vive em uma região muito marcada pela violência, pela violação de direitos . Essa conjuntura nos últimos anos tem sido uma conjuntura em que a democracia sobrevive, os direitos individuais e coletivos estão sob risco. Junta tudo isso e as pessoas processadas pela Vale acabam de alguma forma vivendo sob uma tensão, porque estão sob o risco de serem presas”, argumenta o professor.

Medeiros ressalta, porém, que a judicialização não o afastou da luta. “Não deixei de denunciar as arbitrariedades cometidas pela empresa e nem de me pronunciar publicamente sobre as situações que envolvem os impactos da mineração na região. Pelo contrário, senti muito mais vontade de me envolver com isso. Só que ao mesmo tempo isso é movido por um sentimento de indignação, de raiva e de impotência”, assinala.

Leia também: Gari cai dentro de caminhão de lixo e tem pernas arrancadas por compactador

A manifestação realizada em novembro de 2015 , que deu origem aos dois processos, era em solidariedade às vítimas de Mariana , mas também os impactos pela estrada de ferro . As casas que ficam próximas dos trilhos sofrem não só com a poluição sonora causada pela trepidação do trem, mas também têm falhas estruturais como rachaduras, que colocam em risco à vida de quem mora no local. 

Fonte: IG Nacional
Comentários do Facebook
publicidade

Nacional

Trinta toneladas de óleo são recolhidas em praias de Pernambuco

Publicado

em

source
óleo na praia
Foto: Felipe Brasil/Instituto do Meio Ambiente de Alagoas
Vazamentos atingiram praias de outras localidades do nordeste, como a de Alagoas.

Em Pernambuco , cerca de 600 pessoas, incluindo voluntários e funcionários do estado, participaram de um mutirão para recolher o óleo que atingiu o litoral. Ao todo, trinta toneladas foram retiradas por três dias consecutivos, da quinta-feira até este sábado (19). Na manhã deste domingo um sobrevoo está programado para monitorar possíveis aparecimentos de novas manchas.

Uma mancha localizada em alto-mar foi localizada a partir de um sobrevoo feito pelo litoral pernambucano durante a tarde do sábado (19). Ao G1, o diretor de Proteção Ambiental do Ibama, major Olivaldi Azevedo, disse que a mancha foi localizada próximo à praia de Muro Alto.

Barreiras de contenção também foram utilizadas para impedir que óleos alcancem a foz dos rios Maracaípe, Mamucabas, Una e Persinunga. Fragmentos do petróleo também foram encontrados nas praias de Reduto, em Rio Formoso; Boca da Barra, em Tamandaré; Barra de Sirinhaém, em Sirinhaém; Mamucabinhas, em Barreiros; Pontal de Maracaípe, em Ipojuca; Cupe, em Ipojuca; Muro Alto, em Ipojuca. As manchas de óleo também foram encontradas em estuários de rios em localizados em Tamandaré, Barreiros e Ipojuca.

Apesar do empenho para retirar os resíduos das praias, é necessário uma análise química da água e da areia para que as autoridades tenham certeza de que as áreas atingidas estão próprias para banhistas.

O governo estadual de Pernambuco informou ao G1 que um dos problemas para enfrentar a situação é a falta de orientações do governo federal.

Fonte: IG Política
Comentários do Facebook
Leia mais:  Assembleia Geral da ONU é aberta em Nova York
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie
Entretenimento4 minutos atrás

Cara de uma focinho da outra? Gillian Anderson surge como Thatcher em The Crown

Os fãs de “ The Crown ” aguardam ansiosos a estreia da terceira temporada da série, que chega em 19...

Economia1 hora atrás

Norte e Nordeste ficam fora do ranking dos 10 estados mais competitivos do País

arrow-options Governo do Estado de São Paulo/Divulgação Norte e Nordeste ficaram de fora do ranking dos 10 estados mais competitivos...

Economia1 hora atrás

Em promoção, Guanabara vende cerveja suficiente para saciar três Maracanãs

arrow-options Agência O Globo Tumulto na entrada no Guanabara no início da promoção de aniversário da varejista carioca Brigadeiro e...

Mundo1 hora atrás

Dois tigres lutam em disputa feroz por fêmea; assista ao vídeo

arrow-options Reprodução/Twitter Vídeo registra momento em que dois tigres entram em briga feroz para ver qual deles conseguiria acasalar com...

Mundo1 hora atrás

Mãe mata filha asfixiada para se vingar do ex e esconde corpo em porta-malas

arrow-options Reprodução/Mirror Corpo da criança foi guardado no porta-malas do mesmo carro em que a mãe tentou suicídio. Com o...

Mulher1 hora atrás

Saiba quais erros não cometer na primeira conversa em apps de relacionamento

Muitas pessoas optam pelo uso de aplicativos de relacionamento para encontrar um par. Apesar de ser fácil, é preciso ter...

Saúde2 horas atrás

11 sintomas do HIV que você precisa conhecer

E se eu lhe disser que os primeiros sintomas do HIV se parecem mais com um resfriado comum do que qualquer outra...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana