conecte-se conosco



Internacional

Trump ofende manifestantes anti-racistas em New Hampshire

Publicado

em


source
foto
Divulgação

Donald Trump


Pouco depois de aceitar a nomeação republicana para concorrer à reeileição oficialmente, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, dirigiu palavras duras aos manifestantes antirracismo na sexta-feira (28), em New Hampshire.


Dirigindo-se a uma multidão em um hangar do aeroporto, Trump chamou os manifestantes – que procuraram interromper seu discurso na Casa Branca na noite de quinta-feira – de ” bandidos ” e disse que o senador Rand Paul poderia ter morrido quando foi cercado por manifestantes depois.

Paul disse, na sexta-feira, que foi atacado por uma “multidão enfurecida” de mais de 100 pessoas perto da Casa Branca e teve que ser resgatado pela polícia. “Ele poderia ter ficado em estado grave ou ter sido morto  -e isso incluiria sua esposa -, se os policiais não estivessem lá “, disse Trump sobre o senador republicano.

O presidente enfatizou o tema da lei e da ordem para motivar sua base política e atrair mais eleitores para as pesquisas nacionais antes da eleição de 3 de novembro. “Eles não são manifestantes. Não são manifestantes. São anarquistas, são agitadores, são desordeiros, são bandidos .”

Trump foi criticado por não demonstrar empatia após tiroteios e assassinatos de homens negros pela polícia, incluindo George Floyd, que morreu sob custódia policial em Minneapolis em maio, gerando manifestações anti-racismo em todo o mundo.

Novos protestos eclodiram em Kenosha, Wisconsin esta semana, depois que policiais atiraram em Jacob Blake , outro homem afro-americano, na frente de seus filhos. Ele sobreviveu. Milhares de pessoas participaram de uma passeata em Washington na sexta-feira para denunciar o racismo.

Trump não comentou muito sobre Blake, mas falou sobre os manifestantes na sexta-feira, sem especificar de qual manifestação estava falando. “Eles estão apenas procurando encrenca. Isso não tem nada a ver com George Floyd, não tem nada a ver com nada. Eles nem mesmo sabem quem é George Floyd “, disse ele.

Biden e seu companheiro de chapa, o candidato à vice-presidência, o senador Kamala Harris, disseram que Trump estava tornando a América menos segura com sua retórica em como lidar com a pandemia do novo coronavírus .

“O presidente incita a violência , inspira atiradores da supremacia branca e sua resposta falhada de Covid está custando milhares de vidas por dia. Quando você olha para o mundo agora, pergunte-se: Você se sente seguro na América de Trump?”, Biden tweetou.

“Ele (Trump) está obcecado, eu acho, em espalhar o medo e usar a divisão para proteger seu próprio ego e, mais fundamentalmente, erodir as fundações da democracia que ele jurou defender”, disse Harris em uma arrecadação de fundos na sexta-feira.

Fonte: IG Mundo

Comentários do Facebook

Internacional

Brasil e outros 31 países assinam declaração sobre saúde da mulher

Publicado

em


Trinta e dois países, incluindo o Brasil, assinaram, nesta quinta-feira (22), a chamada Declaração de Consenso de Genebra, um documento no qual as nações signatárias defendem, entre outras coisas, a importância de garantir o acesso feminino aos últimos avanços em termos de promoção da saúde, em particular da saúde sexual e reprodutiva, excluindo o aborto. O documento não especifica procedimentos para os casos em que a prática é permitida por lei. No Brasil, o aborto é autorizado em casos em que há risco de vida para a gestante; a gravidez resulte de estupro ou seja atestado tratar-se de feto anencéfalo. 

Além dos seis países (Brasil, Estados Unidos, Egito, Hungria, Indonésia e Uganda) que lideraram a iniciativa, assinaram o documento os representantes da Bielorrússia; República Democrática do Congo; Haiti; Iraque; Kuwait; Paquistão; Arábia Saudita; Senegal; Emirados Árabes, entre outros.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, afirmou que o objetivo da iniciativa é “defender o direito das mulheres aos mais altos padrões de saúde, promover a contribuição essencial das mulheres para a saúde, reforçar o papel da família para uma sociedade próspera e bem sucedida e enfatizar a necessidade de se proteger o direito à vida”.

De acordo com o texto (disponível, em inglês e espanhol, no site do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos), os representantes das nações signatárias concordam que os direitos reservados às mulheres e meninas são “parte inalienável, integral e indivisível dos direitos humanos e das liberdades fundamentais”, e que mulheres e meninas devem ter igual acesso à educação de qualidade, aos recursos econômicos, à participação política, ao emprego e a postos de liderança.

As 32 nações signatárias endossam o compromisso com a “gestação e com os partos sem risco”, assumindo o compromisso de oferecer aos casais “a máxima possibilidade de terem filhos saudáveis”. Para o grupo de nações, “não se deve promover o aborto como método de planejamento familiar em nenhum caso”, e qualquer medida ou mudança relacionada à pratica deve ser decidida em nível nacional, conforme o processo legislativo de cada Estado. O grupo ainda afirma que não existe um “direito internacional ao aborto”, e que nenhum país tem a obrigação internacional de financiar  a medida, pois cada Nação tem “o direito soberano de implementar programas e atividades coerentes com suas próprias leis e políticas”.  

Em suas redes sociais, o secretário do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, Alex Azar, comentou que o documento negociado pelo Brasil, em conjunto com o governo norte-americano e os de outras quatro nações, representa uma “coalização” de 32 países que, juntos, somam mais de 1,6 bilhão de habitantes. Além de Azar, o secretário de Estado, Mike Pompeo, assinou o documento representando o governo dos Estados Unidos.

“Assinamos a Declaração de Consenso de Genebra para apoiar uma saúde melhor para as mulheres, preservar a vida, proteger as famílias e preservar a soberania nacional na política global”, comentou Azar. “A declaração de hoje [22], em parceria com os co-patrocinadores Brasil, Egito, Hungria, Indonésia e Uganda, aprofunda nosso compromisso de fortalecer nossas nações, famílias e crianças, apoiando e protegendo a saúde de mulheres e meninas em todo o mundo.”

Em nova divulgada na noite desta quinta-feira, o Itamaraty afirmou que o governo brasileiro orgulha-se de fazer parte da Declaração de Consenso de Genebra, e que esta “visa à promoção dos direitos humanos das mulheres e ao fortalecimento do papel da família, temas de grande importância para o Brasil. Ainda segundo a pasta, os ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, gravaram uma mensagem de vídeo que foi exibida durante a cerimônia virtual.

Para a organização não governamental (ong) Conectas, a medida é fruto de uma aliança internacional contra os direitos das mulheres. Na avaliação da entidade, sob pretexto de estabelecer princípios básicos na questão da saúde da mulher, a medida reafirma a rejeição de um grupo de países ao aborto seguro.

Segundo a Conectas, a declaração se soma a outras iniciativas que visam a impor barreiras ao aborto legal. O que, no caso brasileiro, contraria os acordos globais dos quais o país é signatário e que recomendam a prevenção de abortos inseguros, a revisão das leis punitivas e o pleno respeito pelo direito das mulheres à autonomia sexual e reprodutiva, a exemplo dos programas de ação da Conferência Internacional de População e Desenvolvimento, aprovado em 1994, e da IV Conferência Mundial de Mulheres, de 1995.

Edição: Bruna Saniele

Comentários do Facebook
Continue lendo
Mulher14 minutos atrás

Morre Jane di Castro, atriz pioneira para os direitos LGBTQI+

Morreu nesta sexta-feira (23), a atriz e cantora Jane di Castro. Segundo o jornal O Globo, ela morreu de câncer...

Entretenimento14 minutos atrás

MIS reabre exposição sobre John Lennon em São Paulo

Redação MIS reabre exposição sobre John Lennon em São Paulo A exposição John Lennon em Nova York por Bob Gruen...

Economia14 minutos atrás

“Precisamos voltar à normalidade”, diz Maia sobre estado de calamidade pública

Governo de São Paulo Presidente da Câmara reforçou que estado de calamidade não será prorrogado O presidente da câmara dos...

Entretenimento29 minutos atrás

Meghan Trainor anuncia álbum natalino. Confira a tracklist

Redação Meghan Trainor anuncia álbum natalino. Confira a tracklist A cantora pop Meghan Trainor divulgou nesta quinta-feira (22) a tracklist...

Entretenimento29 minutos atrás

Claudia Leitte anuncia novo single “Rodou” com Wesley Safadão

Redação Claudia Leitte anuncia novo single “Rodou” com Wesley Safadão A cantora Claudia Leitte anunciou que lançará a nova faixa...

Entretenimento29 minutos atrás

Gloria Groove reflete sobre fim de relacionamento em “A Tua Voz”

Redação Gloria Groove reflete sobre fim de relacionamento em “A Tua Voz” A cantora Gloria Groove lançou nesta quinta-feira (22)...

Entretenimento29 minutos atrás

Selena Gomez será homenageada pelo Grammy Latino de 2020

Redação Selena Gomez será homenageada pelo Grammy Latino de 2020 A Academia de Artes e Gravação do Grammy Latino anunciou...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!