conecte-se conosco



Estadual

Tribunal de Justiça aumenta pena de condenado pela morte de 3 pessoas em acidente de carro

Publicado

em

O relator, desembargador Adalto Dias Tristão, deu parcial provimento ao recurso interposto pelo MPES, elevando a pena do condenado para 26 anos e 10 meses de reclusão, e 30 dias-multa. Além disso, o colegiado negou, à unanimidade, o recurso do sentenciado, que pediu diminuição da pena.

Nesta quarta-feira, 09, a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo julgou dois pedidos recursais na apelação criminal n°0001432-27.2008.8.08.0050: o primeiro interposto por Wagner José Dondoni de Oliveira em face de condenação no Tribunal de Júri, presidido pelo juiz Romilton Alves Vieira Júnior, que o sentenciou a 25 anos e 04 meses de reclusão, além de pagamento de 30 dias-multa, devendo ser cumprida inicialmente em regime fechado; e o segundo interposto pelo Ministério Público do Espírito Santo.

Ambos os apelantes requereram a revisão do julgamento realizado no Tribunal do Júri de Viana em 2018. A defesa de Wagner Dondoni postulou a submissão do réu a novo julgamento, uma vez que a decisão judicial teria ocorrido de forma contrária às provas juntadas aos autos, enquanto o MPES defendeu a necessidade de aumento da pena fixada pelo juiz de 1° grau, em razão de não terem sido analisados os antecedentes do réu e a aplicação do artigo 121, do Código Penal, relativo ao agravo correspondente à menoridade de duas vítimas.

O caso em análise ganhou repercussão nacional por envolver a morte de 3 pessoas da mesma família, e deixar 1 outra em estado de saúde grave. De acordo com a denúncia, no dia 20 de abril de 2008, o acusado, que estava embriagado, tomou a direção de veículo automotor e colidiu com o veículo no qual se encontravam as vítimas M.S.C.M, R.S.A e R.C.A, que morreram devido ao acidente de trânsito, além de ter deixado o motorista R.A. gravemente ferido.

Durante a sessão criminal, a defesa do apelante sustentou que as penas foram fixadas de maneira excessiva, por inadequada fundamentação, motivo pelo qual pugnou a submissão do réu a novo Júri e caso não fosse atendida a requisição, requereu uma diminuição da pena para o número mínimo legal, visto que não teriam sido comprovadas pela perícia provas utilizadas no embasamento jurídico sentenciante.

Após a sustentação do advogado de Dondoni, o relator, desembargador Adalto Dias Tristão, apresentou seu voto, dando parcial provimento ao recurso interposto pelo MPES, elevando a pena do condenado para 26 anos e 10 meses de reclusão, além do pagamento de 30 dias-multa. Além disso, o colegiado julgador negou, à unanimidade, o recurso do sentenciado.

O desembargador Adalto Dias Tristão, concluiu, a partir dos autos, que a materialidade dos crimes restou demonstrada por meio dos laudos de exame cadavérico, de lesão corporal e de laudo etílico, que comprovou o estado de embriaguez do apelante, além do laudo de exame no local do acidente de tráfego.

Quanto à autoria, o relator afirmou ser incontestável. “No que concerne à autoria, é também incontestável que o apelante foi o responsável pela colisão dos veículos que vitimou M.S.C.M, R.S.A e R.C.A, fatalmente, e deixou R.A gravemente ferido”, ressaltou.

No voto, o magistrado destacou que a partir dos depoimentos colhidos nos autos foi possível descobrir que, além de ter causado o acidente analisado na apelação, o condenado já havia se envolvido em outra ocorrência, que provocou o capotamento de um automóvel que tentou desviar de sua condução perigosa. “Apesar dessa primeira ocorrência, felizmente sem vítimas fatais, o apelante prosseguiu conduzindo seu veículo, cônscio de que expunha a vida de terceiros em risco”, ponderou o relator.

O desembargador Adalto Dias Tristão ainda citou o princípio da soberania dos vereditos aplicados no Tribunal do Júri.

“Como é cediço, o sistema de apreciação de provas adotado pela legislação processual nos julgamentos do Tribunal do Júri é o da íntima convicção, casos em que se verifica a discricionariedade por parte do julgador no que toca à indagação a verdade e à apreciação de provas, o que significa dizer que a decisão dos jurados se funda na certeza moral do Júri, que decide desprendido de qualquer critério de julgamento”.

Com a ponderação, o desembargador relator concluiu por negar provimento à pretensão recursal de reformulação de sentença proposta por Wagner José Dondoni de Oliveira. “Ante a inexistência de julgamento contrário à prova dos autos e, consequentemente, a ausência de constrangimento ilegal, não merece provimento a pretensão recursal de anulação da decisão soberana do Júri Popular”, finalizou.

Quanto ao pedido ministerial, de modificação de dosimetria da pena, foi-lhe dado provimento. “Em relação a dosimetria da pena, tem-se que o recurso ministerial merece provimento em parte, devendo ser revista a pena base fixada para cada um dos delitos diante da constatação de que o ora apelante tem antecedentes criminais maculados, não sendo tal circunstância desvalorada pelo douto magistrado no momento de aplicação da dosimetria”.

O desembargador pontuou que as circunstâncias que levaram à fundamentação de majoração da pena fixada pelo juiz de 1° grau foram muito bem observadas, visto que o magistrado se atentou ao fato de que o réu não prestou socorro às vítimas, não demonstrou contrição diante da destruição causada, pelo contrário, restou comprovado que o acusado teve ao menos duas chances de ter impedido o cometimento do crime, quando foi advertido, contudo mesmo assim insistiu na ação delituosa de dirigir totalmente embriagado.

No voto de relatoria, a pena definitiva foi fixada em 26 anos e 10 meses de reclusão, além de pagamento de 30 dias-multa. Os desembargadores Sérgio Bizzotto Pessoa de Mendonça e Fernando Zardini Antonio, também integrantes da 2ª Câmara Criminal do TJES, acompanharam a decisão, à unanimidade.

Vitória, 09 de outubro de 2019

Comentários do Facebook

Estadual

Espírito Santo: cresce número de drogas enviadas pelos Correios durante a pandemia

Publicado

em

Segundo a Polícia Federal (PF), nos meses após a chegada da pandemia, o número de registros subiu para nove

O número de casos de drogas enviadas por meio dos Correios aumentou durante a quarentena no Espírito Santo. De acordo com a Polícia Federal (PF), os criminosos aproveitam o período de pandemia para utilizar o serviço.

Na última quarta-feira (03), o órgão apreendeu uma caixa de som vinda de Foz do Iguaçu, no Paraná. Dentro dela, havia um quilo de maconha. O dono do material foi preso em flagrante.

Segundo a PF, se dividirmos os 5 primeiros meses do ano em antes e depois da pandemia, é possível observar um crescimento no número de casos. No período anterior ao surto de coronavírus foram registrados dois casos. Em contrapartida, nos meses após a chegada da pandemia, o número de registros subiu para nove.

Apesar disso, a polícia acredita que esse número possa ser ainda maior. “É bem possível. Existe o volume de encomendas gigantesco e acaba sendo uma forma utilizado pelo tráfico para encaminhar as drogas”, explicou o delegado federal, Marcos Paulo.

Por meio de nota, os Correios afirmaram que mantêm estreita parceria com as autoridades policiais para o prevenir o tráfico, por meio do serviço postal, de drogas e demais itens proibidos. Os empregados atuam na tentativa de identificar qualquer postagem cujo conteúdo esteja em desacordo com a legislação. Quando algum objeto proibido e/ou ilícito é detectado, os Correios acionam os órgãos competentes, como ocorreu neste caso.


(*TV Vitória)

Comentários do Facebook
Continue lendo
Política10 minutos atrás

Sem máscara, Bolsonaro chega ao Comando de Artilharia do Exército

Reprodução/Facebook Jair Bolsonaro com policial na base da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Formosa, Goiás Neste sábado (6), o presidente...

Estadual12 minutos atrás

Espírito Santo: cresce número de drogas enviadas pelos Correios durante a pandemia

Segundo a Polícia Federal (PF), nos meses após a chegada da pandemia, o número de registros subiu para nove O...

Saúde25 minutos atrás

Covid-19 é encontrado em 88% das amostras de esgotos de BH

. Amostras de monitoramento feitas em 24 pontos de coleta do sistema de esgotamento de Belo Horizonte e Contagem (MG)...

Polícia Federal30 minutos atrás

Operação conjunta apreende 4 kg de cloridrato de cocaína

. Jataí/GO – Operação conjunta entre as Polícias Federal e Militar resultou na apreensão de 4 kg de cloridrato de...

Agricultura36 minutos atrás

Ufes registra primeira cultivar de café conilon ‘Monte Pascoal’ para o estado da Bahia

  A Diretoria de Inovação Tecnológica (DIT) da Ufes conseguiu o registro de uma cultivar de Coffea canephora adaptada para...

Nacional39 minutos atrás

Mulher sofre violência doméstica, chama a polícia… e apanha; vídeo forte

  A vítima denunciou agressões sofrida por ela e pela mãe por parte do irmão, e acabou recebendo golpes de...

Internacional45 minutos atrás

Por que a OMS agora recomenda uso de máscara em público contra covid-19?

A Organização Mundial da Saúde ( OMS ) mudou suas orientações sobre uso de máscaras e disse que elas devem...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!