conecte-se conosco



Esportes

Técnico do time feminino do Santos vence câncer e já mira título

Publicado

em


.

Os últimos meses foram difíceis para Guilherme Giudice, mas não por causa do novo coronavírus (covid-19). Pouco antes de a pandemia chegar ao Brasil, o técnico do time feminino do Santos foi diagnosticado com um câncer no pescoço e no retroperitônio (espaço anatômico atrás da cavidade abdominal). Foram quatro ciclos de quimioterapia até a esperada notícia da recuperação.

“A primeira quimioterapia foi no dia da partida com o Cruzeiro [17 de fevereiro, pela terceira rodada do Brasileiro Feminino]. Saí da sessão e fui direto para o jogo, na Vila Belmiro. Uma coisa que ajudou muito, desde o começo, foi continuar trabalhando. Isso me ajudou a levar bem o tratamento, porque eu estava sempre ocupado”, conta o técnico à Agência Brasil.

Para dar conta, Guilherme precisou adaptar rotina e vestimentas no dia a dia. “Eu sabia dos riscos. Quando inicia o procedimento, a imunidade cai muito e você fica suscetível a qualquer tipo de doença. Qualquer resfriado passa a ser preocupante. Só mesmo nos dias de sessão é que eu não ia aos treinos. Nos demais, estava lá, tomando todos os cuidados, protegendo toda a pele, usando roupas compridas, evitando muito contato”, descreve.

Guilherme Giudice, técnico santos futebol femininoGuilherme Giudice, técnico santos futebol feminino

Guilherme adotou medidas de proteção durante treinos – Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC/Direitos reservados

A pandemia interrompeu o campeonato e os treinos presenciais em Santos (SP). Com isso, Guilherme transferiu o tratamento para São José dos Campos (SP), cidade em que mora e permanece desde o início da quarentena. O isolamento do técnico começou na própria residência. “Fizemos como se fosse um bunker. Fiquei com um espaço só para mim, onde eu dormia e mantinha minha rotina, principalmente para evitar contato com outras pessoas da casa”, recorda.

Os ciclos de quimioterapia foram concluídos no início de junho. Os exames indicaram que, dos tumores, havia sobrado apenas o do pescoço, já em tamanho reduzido, devido ao tratamento. Em 13 de junho, Guilherme fez uma cirurgia para extração do nódulo. “Foi feita a biópsia e, graças a Deus, ele era benigno. Então, com a retirada dele, não ficou mais nada”, comemora.

Carinho

A luta do treinador não foi solitária. Além da família, a parceria com o elenco santista foi importante. “O carinho que recebi delas e do clube foi demais. Imagino que para elas também não foi fácil, sempre me vendo sair para fazer exames, aí um dia aparecendo de cabelo raspado, antes de passar a informação [do diagnóstico]”, recorda.

O ápice foi na semana posterior à vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio, fora de casa. Por conta do tratamento, Guilherme foi poupado da viagem para Novo Hamburgo (RS) e o time foi comandado pela auxiliar Sandra dos Santos. Em um dos treinos, as jogadoras se deitaram no gramado e formaram as letras G, U e I, em homenagem ao técnico. “Eu me emocionei muito, porque foi uma semana em que eu tive uma queda de imunidade grande, precisei ficar internado alguns dias”, lembra.

O anúncio da recuperação foi dado pelo perfil oficial das Sereias da Vila no Instagram. A partir daí, as redes do treinador foram tomadas por mensagens de santistas e até de adversários nos gramados. “Recebi recados do Arthur [Elias, técnico do Corinthians], do Lucas [Piccinato, do São Paulo], do Ricardo [Belli, do Palmeiras] e da Tatiele [Silveira, da Ferroviária]. De atletas que trabalharam na seleção feminina comigo [ele foi auxiliar de Emily Lima] e no Santos, e até de jogadoras com quem nunca trabalhei, mas enfrentei em algum momento. Foi bacana o reconhecimento”, relata.

Segundo ele, os exames médicos indicam que o sistema imunológico, afetado durante o tratamento, está restabelecido. “Agora, é tomar os cuidados que todos temos que ter [devido à pandemia]. Claro, mais atento ainda, por tudo o que passei. E aguardar a definição dos protocolos para reiniciarmos os treinos com toda a segurança”, conclui.

Retorno

O Santos será um dos primeiros times a jogar no retorno do Brasileiro Feminino. A previsão dada pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, em entrevista ao jornal O Globo, é que o campeonato da Série A1 (primeira divisão) recomeçará em 26 de agosto. O torneio foi interrompido com três partidas a serem realizadas pela quinta rodada. Uma delas é o duelo entre as Sereias da Vila e o Audax, inicialmente marcado para o litoral paulista.

O Alvinegro Praiano venceu os quatro jogos que realizou (contra Flamengo, Iranduba, Cruzeiro e Grêmio) e está em segundo lugar, com os mesmos 12 pontos da líder Ferroviária, superado no saldo de gols. Ainda não há previsão de quando o elenco retornará aos treinos. Enquanto isso, a preparação é realizada virtualmente.

“A gente imagina que será um campeonato novo. Assistimos a praticamente todos os jogos, mas acreditamos que as equipes voltarão diferentes. A ideia é brigar pelo título. Tivemos um bom início e a ideia é voltarmos no ritmo que paramos. Quero o título para dedicar ao clube e à torcida, que me deram tanto carinho e força nesse tempo”, diz o treinador, que está na quarta temporada no futebol feminino, após quase 10 anos atuando nas categorias de base do time masculino do São José, que atualmente disputa a quarta divisão do Campeonato Paulista.

Guilherme assumiu o time principal das Sereias da Vila em setembro do ano passado, na reta final do Estadual Feminino, após a eliminação para a Ferroviária nas quartas de final do Brasileiro. Ele era o auxiliar de Emily Lima, que estava no clube desde o início de 2018. Foram seis jogos de lá para cá, três pelo Paulista e três pelo Nacional, com quatro vitórias, um empate e uma derrota.

Edição: Fábio Lisboa

Comentários do Facebook

Esportes

Campeão aprova bolha na Fórmula E, mas torce para que seja temporária

Publicado

em


.

Assim como as ligas de basquete norte-americana, masculina (NBA) e feminina (WNBA), a Fórmula E criou uma espécie de bolha para finalizar em segurança sua temporada 2019/2020 em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19). A categoria de carros elétricos reuniu as equipes em Berlim, na Alemanha, concentrando as seis etapas finais do Mundial no Aeroporto de Tempelhof e seguindo um rígido protocolo de saúde com limitação de pessoas e corridas sem público.

“Essas bolhas funcionam muito bem nesse ponto [segurança], para termos tudo sob controle e mantermos assim”, declarou o piloto português Antônio Félix da Costa, em entrevista coletiva por videoconferência nesta terça-feira (11). O piloto português conquistou no último domingo (9) o título mundial da Fórmula E, com duas provas de antecedência. 

Ele, porém, espera que o modelo seja apenas temporário. “A Fórmula E sempre foi muito divertida, aproxima muito atletas e fãs, mais que qualquer outro campeonato da modalidade. É como se fosse um festival, com todas as atividades no mesmo dia. Sem os fãs, a categoria perde muito, talvez, seja a que mais perca. Mas, se é o necessário para continuar a correr, para as pessoas terem as corridas para se divertirem em casa, que seja. Creio que [a pandemia] é um problema que se resolverá. É preciso ter muito cuidado”, analisou.O

Félix da Costa, campeão mundial Fórmula E 2020Félix da Costa, campeão mundial Fórmula E 2020

 O piloto português Félix da Costa conquistou o primeiro título mundial de Fórmula E, no último domingo (9), na Alemanha – ABB FIA Fórmula E/Direitos reservados

Para as etapas em Berlim, foram autorizadas somente mil pessoas no circuito, incluindo fornecedores e equipes médicas. Cada escuderia só pode contar com 20 pessoas, com espaços de trabalho definidos. Os demais profissionais têm que fazer as operações de forma remota. Os testes para diagnóstico de covid-19 são realizados antes das corridas e é verificada a condição de cada um. O uso de máscara de proteção é obrigatório, além da manutenção do distanciamento social. A rotina dos pilotos se limita à pista e ao hotel, onde ficam isolados. A refeição é feita no próprio quarto de cada piloto.

Antes de poderem entrar Aeroporto de Tempelhof, todos foram submetidos a exames para detecção da covid-19, e tiveram de cumprir isolamento por 36 horas. Ao todo, apenas entre os participantes da Fórmula E foram utilizados mais de 1,4 mil testes. Dois deram positivo: o do chefe da equipe Mahindra, Dilbagh Gill, e o do presidente e fundador da Fórmula E, Alejandro Agag. Seguindo o protocolo, eles não puderam assistir às provas no local.

A Fórmula E foi interrompida em março, após quatro corridas. A maratona em Berlim, com seis provas em nove dias, foi a saída encontrada pela categoria para concluir a temporada. Nas etapas já realizadas no Aeroporto de Tempelhof, Félix da Costa venceu duas e ainda teve um quarto e um segundo lugar. Os resultados ajudaram o português, que estava na ponta do campeonato antes de chegar à capital alemã, a disparar na liderança. Confira AQUI a classificação.

“Eu surpreendi a mim próprio. A verdade é que o trabalho de casa foi muito bem feito. Tivemos muitos dias no simulador. Falei para o meu pai, antes de Berlim, que eu nunca estive tão preparado como agora. Obviamente, estava também em um bom momento, cada vez melhor com a equipe e o carro”, contou o piloto, que pretende ajudar o companheiro de equipe na Techeetah, o francês e duas vezes campeão da categoria, Jean-Eric Vergne, a garantir o vice-campeonato.

As duas etapas finais ocorrem amanhã (12) e quinta-feira (13). Além de Vergne, tem brasileiro na luta pelo vice-campeonato: é o brasileiro Lucas Di Grassi, da equipe Audi, que completa 36 anos nesta terça-feira (11)  Outros dois corredores do Brasil disputam a Fórmula E: Felipe Massa, que está na segunda temporada pela escuderia Venturi, e Sérgio Sette Câmara, reserva da Red Bull na Fórmula 1, que estreou na categoria dos carros elétricos pela equipe Dragon, na maratona de provas em Berlim.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Comentários do Facebook
Continue lendo
Carros e Motos27 segundos atrás

Lanterna misteriosa dá pistas do substituto do Citroën C3

Divulgação Novo Citroën C3 europeu vai servir de base para o novo modelo compacto que vai substituir o fabricado atualmente...

Entretenimento15 minutos atrás

Blogueira anuncia Covid-19 de forma estranha: “Finalmente consegui pegar”

Reprodução/Instagram Juliana Bonde “Eu finalmente consegui pegar! Achei que não ia pegar, mas peguei”, disse a blogueira Juliana Bonde para...

Entretenimento15 minutos atrás

Cantor Tiee faz show em casa noturna carioca que tem fila e aglomeração

Na noite desta segunda-feira, 10, o cantor Tiee foi atração principal do evento “Resenha do Tiee”, que aconteceu no famoso...

Esportes15 minutos atrás

Campeão aprova bolha na Fórmula E, mas torce para que seja temporária

. Assim como as ligas de basquete norte-americana, masculina (NBA) e feminina (WNBA), a Fórmula E criou uma espécie de...

Saúde15 minutos atrás

Prefeito de Duas Barras, no Rio, morre vítima da covid-19

. O prefeito de Duas Barras, na região serrana do Rio, Luiz Carlos Botelho Lutterbach (PP-RJ), de 55 anos, morreu...

Entretenimento15 minutos atrás

Leo Dias é contratado para programa de rádio na Jovem Pan

O jornalista especializado em celebridades Leo Dias já tem um novo desafio profissional pela frente. Ele é o novo contratado...

Nacional15 minutos atrás

Primeiro ônibus adaptado ao novo coronavírus passa a circular no RS

Divulgação/Ouro e Prata Ônibus adaptado para prevenir o contágio pelo novo coronavírus O ônibus de viagem Biosafe, adaptado para prevenir...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!