conecte-se conosco


Nacional

Tasso: PSDB errou ao contestar vitória de Dilma e caiu na “tentação do poder”

Publicado

em


Senador Tasso Jereissati assumiu presidência do PSDB interinamente após denúncias contra Aécio Neves
Divulgação/PSDB

Senador Tasso Jereissati assumiu presidência do PSDB interinamente após denúncias contra Aécio Neves

O senador Tasso Jereissati, ex-presidente nacional do PSDB, disse que o partido cometeu “um conjunto de erros memoráveis” em sua trajetória recente, o que inclui a contestação ao resultado da eleição presidencial de 2014. 

Em entrevista publicada nesta quinta-feira (13) pelo jornal O Estado de São Paulo , Tasso afirmou que o  PSDB foi “engolido pela tentação do poder” ao se aliar a Michel Temer (MDB) após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), e também reconheceu que os tucanos abandonaram “princípios básicos” do partido só para fazer oposição ao PT.

“O partido cometeu um conjunto de erros memoráveis. O primeiro foi questionar o resultado eleitoral. Começou no dia seguinte [à eleição]. Não é da nossa história e do nosso perfil. Não questionamos as instituições, respeitamos a democracia. O segundo erro foi votar contra princípios básicos nossos, sobretudo na economia, só para ser contra o PT. Mas o grande erro, e boa parte do PSDB se opôs a isso, foi entrar no governo Temer. Foi a gota d’água, junto com os problemas do Aécio (Neves). Fomos engolidos pela tentação do poder”, disse Tasso ao Estadão .

Atual presidente do Instituto Teotônio Vilela, que é o órgão tucano de formação política, Tasso avaliou que o “símbolo mais eloquente” do “desgaste” que o partido sofreu junto à opinião público foram as gravações de conversas entre o empresário Joesley Batista e o então presidente nacional tucano, senador Aécio Neves (MG). Nos diálogos, revelados em maio do ano passado, Aécio e Joesley fazem acerto por repasse de R$ 2 milhões ao senador.

“Esse episódio simboliza todo esse desgaste que tivemos. […] Começou ali e continuou. Como nós não tomamos as medidas necessárias naquele cenário, era previsível que o desgaste do PSDB iria perdurar e teria consequências graves nas eleições. As pessoas estão vendo mal o PSDB”, disse Tasso.

Leia mais:  Jair Bolsonaro reúne ministros e pedeenxugamento da máquina pública

À época em que surgiram as denúncias contra Aécio, a cúpula do partido hesitou em afastar o senador da presidência tucana. Quando o fez, Tasso assumiu o posto internamente até que foi eleito para o cargo Geraldo Alckmin, candidato do partido à Presidência da República.

Questionado sobre o desempenho eleitoral de Alckmin (que tem 9% das intenções de votos, segundo última pesquisa do Ibope), Tasso destacou que “ninguém se descolou muito” na disputa e disse acreditar que, com a saída definitiva de Lula da corrida eleitoral, será possível perceber uma “mudança mais consistente no comportamento do eleitorado”.

Tasso também considerou que a prisão do ex-governador do Paraná e candidato ao Senado, Beto Richa, “prejudica” a imagem do partido, mas relativizou. “Boa parte disso está no preço. O desgaste do PSDB começa a partir dos episódios da gravação do Aécio”, reforçou.

Comentários do Facebook
publicidade

Nacional

Agressores de mulheres não poderão tirar carteira de advogado, diz OAB

Publicado

em

Caberá aos conselhos seccionais avaliarem cada caso e determinar se o candidato tem a idoneidade moral necessária para advogar

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Bacharéis de Direito com histórico de agressão contra mulheres podem ser impedidos de conseguir inscrição na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e exercer a advocacia.

É o que determina uma nova súmula aprovada pelo Conselho Federal da OAB nesta segunda-feira (18). A edição da norma era um pleito da Comissão Nacional da Mulher Advogada.

A nova súmula leva em conta a definição de violência contra a mulher prevista na Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher, sancionada em 1994 pelo governo. Ou seja, inclui agressões físicas, sexuais e psicológicas.

Caberá aos conselhos seccionais avaliarem cada caso e determinar se o candidato tem a idoneidade moral necessária para advogar. Casos pendentes na Justiça poderão ser levados em conta na hora da avaliação.

Advogados já inscritos também poderão perder o registro caso tenham agredido uma mulher. Nesse caso, serão submetidos a um processo ético disciplinar na seccional responsável.

A nova orientação vem na esteira da agressão sofrida pela paisagista Elaine Caparroz, 55, em fevereiro. O autor do crime, Vinícius Batista Serra, 27, passou no exame da OAB poucos dias antes de espancá-la. A seccional carioca da entidade afirmou que a cassação do registro do homem estava em análise.

A súmula será publicada no Diário Oficial da OAB nesta semana, mas já pode ser levada em consideração pelos conselhos seccionais.

Comentários do Facebook
Leia mais:  Jair Bolsonaro reúne ministros e pedeenxugamento da máquina pública
Continue lendo
Entretenimento1 hora atrás

Modelo brasileira Barbara Fialho vai se casar com filho de Bob Marley

A modelo mineira Barbara Fialho, dona de um corpo condizente com o nome e há sete anos consecutivos figura cativa...

Nacional1 hora atrás

Agressores de mulheres não poderão tirar carteira de advogado, diz OAB

Caberá aos conselhos seccionais avaliarem cada caso e determinar se o candidato tem a idoneidade moral necessária para advogar SÃO...

Educação2 horas atrás

Decreto de Bolsonaro corta 13,7 mil cargos em universidades públicas

Funções eliminadas eram concedidas a professores e coordenadores; entidades criticam corte BERNARDO CARAM – BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O decreto...

Nacional2 horas atrás

Acidente envolvendo quatro veículos deixa um morto e um ferido na BR 116

Acidente ocorreu na BR-116. Rodovia precisou ser parcialmente interditada, por conta da batida. Um grave acidente envolvendo dois carros e...

Direto de Brasília2 horas atrás

Governo chileno sugere que mulheres usem “vestido curto” em almoço com Bolsonaro

Reprodução/Twitter/Maite Orsini Pascal Deputada do partido de oposição se indigna com recomendação do governo chileno para que mulheres usem “vestido...

Política2 horas atrás

Kajuru chama Gilmar de “canalha” e o acusa de vender sentenças no STF

Agência Senado Senador Jorge Kajuru bateu de frente com o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal: ‘bandido e canalha’...

Educação2 horas atrás

Inep libera correção da redação do Enem 2018

shutterstock Tema da redação do Enem 2018 foi Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet Os...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana