conecte-se conosco


Regional

Supermercado é condenado a indenizar cliente após demora na entrega da mercadoria

Publicado

em

O juiz verificou que a autora passou por situação de angústia ao esperar pelas compras que demoraram um dia para chegar.

LINHARES (ES) – Uma mulher deve ser indenizada por um supermercado após esperar um dia para o recebimento de produtos comprados no estabelecimento.

A requerente narra que tentou efetuar uma compra no estabelecimento comercial da ré, porém desistiu após fornecer seu endereço e ter sido informada de que não seria possível receber a mercadoria no mesmo dia, devido o horário.

Um dia após o ocorrido, ela se dirigiu novamente ao supermercado pela parte da manhã para realizar as compras, contudo, veio a receber o pedido em sua residência apenas em dia posterior, mesmo chegando ao local no período da manhã.

Em defesa, a requerida comprovou que em frente à sua loja há uma advertência sobre a entrega em domicílio, onde consta informações do bairro em que a requerente reside. Ressalta ainda, que não se negou a fazer a entrega, pois a própria autora desistiu de efetuar as compras quando soube do prazo de recebimento dos produtos. “A compra adquirida no dia posterior pela autora teve sua entrega realizada, mesmo que embora tenha ocorrido um pequeno atraso”, afirma a ré.

O magistrado do 1° Juizado Especial Cível de Linhares julgou parcialmente procedente a ação, condenando a ré ao pagamento de R$1.500,00 por reparação de danos morais à consumidora, visto que a espera ultrapassou o tempo razoável, o que privou a cliente de usufruir bens de utilidade doméstica e alimentar adquiridos por ela no supermercado. Processo nº: 0022942-78.2016.8.08.0030

Comentários do Facebook
Leia mais:  Homem com problemas mentais ateia fogo na própria casa em Jaguaré
publicidade

Regional

Mais uma criança morre afogada em rio de Boa Esperança, noroeste do ES

Publicado

em

Ana Flávia, de três anos, estava com a família quando todos saíram da água para lanchar. No entanto, a criança voltou para o rio sem que ninguém percebesse e se afogou

Uma menina de três anos morreu afogada na tarde do último sábado (19), no Rio do Norte, em Boa Esperança, noroeste do Espírito Santo. Identificada apenas como Ana Flávia, ela foi a segunda criança vítima de afogamento só no mês de janeiro neste mesmo local.

Segundo a irmã do padrasto de Ana Flávia, Carla de Souza, a menina estava com a família no rio, quando todos saíram da água para lanchar, inclusive a criança. No entanto, Ana Flávia voltou para a água sem que ninguém percebesse e acabou sumindo.

“Foi algo muito rápido, coisa de segundo, ninguém percebeu. Estavam todos tomando banho de rio quando saíram da água para lanchar. Havia mais umas seis crianças e os pais destas crianças. A Ana Flávia foi retirada da água também, mas sem que ninguém percebesse ela retornou. Quando perceberam que ela não estava perto todo mundo saiu procurando. Mas ela já tinha sumido”, conta Carla.

Segundo Carla, os bombeiros foram acionados, mas quem encontrou o corpo da menina foram dois moradores da região.

“Quando perceberam a falta dela, quem sabia nadar pulou no rio e foi procurar. Mas ela só foi encontrada umas três horas depois, mais de 10 quilômetros longe de onde ela tinha entrado no rio. A mãe dela, que estava na beira do rio limpando peixe para eles comerem lá no local, ficou muito abalada. Estão todos sem chão com essa tragédia. Estavam em um passeio de família quando tudo aconteceu”, lamenta Carla.

Leia mais:  Veículo é recuperado pela PM em Boa Esperança

O sepultamento da menina Ana Flávia ainda não tem hora para acontecer porque, segundo a irmã do padastro da criança, o corpo da menina, que havia sido levado inicialmente para Linhares, precisou ser transferido para Vitória, para a conclusão de exames médicos.

“O corpo foi levado para Vitória para exames. Mas a informação que o médico passou para a família é que ela tem que ser enterrada hoje ainda. A gente acredita que o sepultamento deve acontecer por volta das 19 horas, mas ainda não temos essa confirmação”, disse Carla.

Outro caso de criança afogada no início do mês de janeiro em Boa Esperança
Iran Gil de Spuza estava de férias com a família quando se afogou ao entrar me uma cachoeira em Boa Esperança
Iran Gil de Spuza estava de férias com a família quando se afogou ao entrar me uma cachoeira em Boa Esperança
Foto: Reprodução Facebook

Um menino de 12 anos morreu afogado no Rio Norte, interior de Boa Esperança, no início do mês. O caso ocorreu por volta das 13 horas do dia 5, mas o corpo do garoto só foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros de Nova Venécia no dia seguinte. De acordo com a corporação, o corpo estava em um local de difícil acesso e foi recolhido por uma equipe de mergulhadores.

A família é de Sobradinho, distrito de Boa Esperança, mas tinha se mudado para Pavão, em Minas Gerais, há um ano. O Iran e a irmã passavam férias no Estado com o restante da família. A mãe dos dois veio de Minas para buscá-los e resolveu ir com eles à cachoeira. Segundo uma parente da família, que preferiu não se identificar, Iran Gil de Souza estava na cachoeira com a mãe e três tios, por volta das 13 horas. Ao entrar na água com um dos tios, o garoto tentou subir nas costas dele. No entanto, ele se desequilibrou, caiu na água e foi arrastado pela correnteza.

Leia mais:  'Pipa' com agrotóxicos tomba sobre trabalhadora em fazenda de São Mateus

(Gazeta on line)

Comentários do Facebook
Continue lendo

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana