conecte-se conosco



Saúde

SP cria mais seis centros de pesquisa para testar vacina contra covid

Publicado

em


O governo de São Paulo criou mais seis centros de pesquisa para ampliar o número de voluntários nos testes da Fase 3 da CoronaVac, vacina que está sendo produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butatan. Com a criação de mais centros, a intenção é acelerar a fase final de testes clínicos para identificar a eficácia da vacina. Estudos das fases 1 e 2 da vacina, realizados na China, já demonstraram que ela é segura.

“Com a abertura desses centros, vamos ganhar velocidade para que essa demonstração da eficácia possa aparecer o mais rapidamente possível. Esperamos que isso aconteça em novembro ou meados de dezembro”, disse hoje (23) Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Os novos centros serão supervisionados por especialistas do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, sendo que quatro ficam em hospitais da periferia da capital paulista, onde a taxa de contaminação se mostrou maior do que nos bairros centrais, e dois ficam na região do ABC.

Atualmente, 9.039 voluntários já participam dos estudos clínicos da vacina, que são feitos com profissionais da área da saúde de sete estados. Como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia aprovado a ampliação do estudo para 13 mil voluntários – e havia uma dificuldade para recrutar os voluntários -, o governo paulista decidiu ampliar o número de centros de pesquisa para tentar obter o mais rapidamente possível esse número de pessoas participando do estudo. No estudo, metade dos participantes recebe a vacina; a outra metade, placebo.

Caso a última etapa de testes comprove a eficácia da vacina, o acordo entre a Sinovac e o Butantan prevê a transferência de tecnologia para produção do imunizante no Brasil. A CoronaVac prevê a administração de duas doses por pessoa.

Eficácia

Para comprovar a eficácia da vacina, é preciso que ao menos 61 participantes do estudo, que tomaram o placebo, sejam contaminados pelo vírus. A partir dessa amostragem, é feita então a comparação com o total dos que receberam a vacina e, eventualmente, também tenham diagnóstico positivo da covid-19. Se o imunizante atingir os índices necessários de eficácia e segurança, será submetido a uma avaliação da Anvisa para registro. E só então a vacina estaria liberada para a aplicação na população.

No início desta semana, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, anunciou que a CoronaVac é uma vacina segura, que não apresenta efeitos colaterais graves. Ele também disse que os resultados de eficácia ainda não foram finalizados, mas que espera que seja possível de acontecer até dezembro deste ano.

A vacina

O governo paulista, por meio do Instituto Butantan, tem uma parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac para a vacina CoronaVac. Por meio desse acordo, o governo vai receber 46 milhões de doses da vacina até dezembro deste ano, sendo que 6 milhões chegarão prontas e, o restante, precisará ser produzida no Brasil a partir da matéria-prima que chegará da China. O acordo também prevê transferência de tecnologia para o Butantan

O governo paulista negocia para oferecer essas doses para o governo federal, para inclusão no Programa Nacional de Imunização e no Sistema Único de Saúde (SUS).

Inicialmente, o governo paulista previa que o início da vacinação poderia ocorrer a partir de 15 de dezembro, mas com o atraso no estudo de eficácia, essa data deve ser adiada. Também houve um atraso na permissão da importação de insumos da vacina pela Anvisa, segundo disse hoje (23) Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan. Segundo ele, a Anvisa se comprometeu a liberar essa importação em até cinco dias úteis. 

“Nossa linha de produção está pronta, aguardando a matéria-prima que vem da China. Tivemos um certo atraso em relação à autorização da Anvisa, mas ontem (22) houve manifestação de que em cinco dias úteis ela [Anvisa] emitirá um certificado para que possamos fazer a importação. Com isso, iniciamos a produção da vacina, inicialmente 40 milhões de doses, que deverão estar prontas dentro do cronograma. Portanto, teremos ainda a possibilidade de manter o cronograma original”.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Saúde

Comente Abaixo
Política2 horas atrás

PGE pede ao TSE quebra de sigilos de Luciano hang em ação contra Bolsonaro

IG – Economia ‘Véio’ da Havan é investigado por suposto financiamento de disparo de mensagens falsas a favor de Bolsonaro...

Estadual2 horas atrás

Hotel deve ser indenizado por motorista que causou acidente em estacionamento

No momento em que fazia a manobra, o requerido atingiu o veículo de um cliente da empresa hoteleira. O juiz...

Economia2 horas atrás

Fernanda Ribeiro fala sobre fintechs e novos bancos em live do iG nesta 5º

Divulgação Fernanda Ribeiro, convidada do programa Brasil Econômico ao Vivo desta quinta-feira Nesta quinta-feira (26), a partir das 17h, o...

Internacional3 horas atrás

Putin ordena que vacinação em massa contra Covid-19 comece semana que vem

Reprodução: BBC News Brasil Sputnik, vacina da Rússia contrra Covid-19, deve começar a ser aplicada na próxima semana O presidente...

Entretenimento3 horas atrás

Morre Rodela aos 66 anos; humorista estava com Covid-19

Reprodução SBT faz nota de pesar por morte de Rodela Morreu, nesta quarta-feira (02), o humorista Luiz Carlos Ribeiro, mais...

Entretenimento3 horas atrás

Vivi Romanelli deixa o comando de programa na Band Rio: ‘Nos veremos em breve’

Divulgação Vivi Romanelli Viviane Romanelli usou seu perfil no Instagram para comunicar aos que acompanhavam seu trabalho à frente do “RJ...

Policial3 horas atrás

Operação Maria’s de combate à violência contra mulher já realizou 240 prisões de homens autores de violência

Seis homens foram presos durante a 6ª fase da Operação Maria’s, realizada pela Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (Div-Deam),...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!