conecte-se conosco



Política

Reforma eleitoral é aprovada no Senado sem retorno das coligações

Publicado

em


source
Senadora Simone Tebet (MDB-MS) na CPI da Covid
Divulgação/Agência Senado/Edilson Rodrigues

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) na CPI da Covid


A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) sobre a reforma eleitoral foi aprovada no Senado, nesta quarta-feira (22). O retorno das coligações, que já havia sido aprovado na Câmara, no entanto, não passou.


De modo geral, a reforma foi aprovada por 70 votos a 3 em primeiro turno, e por 66 votos a 3, em segundo. Com isso, os tópicos aprovados nas duas sessões dos senadores e nas duas sessões da Câmara serão submetidos à promulgação do Congresso Nacional.

Segundo informações do G1, alguns deles são o “peso dois” para os votos dados a mulheres e pessoas negras para a eleição da Câmara, medida que será usada no cálculo de distribuição dos fundos partidário e eleitoral a partir do próximo ano; a data de posse de governadores, que passa a ser dia 6 de janeiro, e a do presidente, 5 de janeiro; e o acordo em que o parlamentar fica livre de sanção se o partido concordar com a saída dele da legenda.

O tópico sobre as coligações, que não foi aprovado, gerou polêmica por permitir a união de partidos em um só bloco para a disputa das eleições proporcionais, referentes a deputados e vereadores — nas eleições municipais do ano passado, os candidatos à vereança já concorreram sem direito a esse tipo de aliança. Na opinião de críticos desse modelo, as coligações favorecem a manutenção de “partidos de aluguel”.

O trecho que previa seu retorno, então, foi removido pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), relatora da PEC no Senado. Na sequência, o relatório feito por ela foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça  (CCJ) e no plenário.


Outros itens rejeitados na proposta de reforma foram a possibilidade de tramitação de projetos de lei protocolados por eleitores e que reúnam ao menos 100 mil assinaturas e a exigência de que decisões judiciais ou administrativas do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), referentes ao processo eleitoral, fossem adotadas um ano antes da eleição seguinte.

Comente Abaixo
Internacional2 minutos atrás

MSD amplia fabricação de versão genérica de antiviral contra covid-19

A empresa farmacêutica MSD assinou acordo de licenciamento com a Associação de Patentes Medicinais (MPP), apoiada pela Organização das Nações...

Esportes2 minutos atrás

Flamengo finaliza a preparação para o jogo de volta contra o Athletico-PR, pela Copa do Brasil

Tudo pronto, Nação! Na tarde desta terça-feira (26), o Flamengo encerrou a preparação no Ninho do Urubu para a partida...

Economia2 minutos atrás

Bolsonaro critica atraso de Pacheco com reformas: “Dono da pauta”

Marcos Corrêa/PR – 1.9.20 Presidente também afirmou em entrevista que não tem dinheiro para pagar precatórios O presidente Jair Bolsonaro...

Esportes2 minutos atrás

Em confronto do G4, Goiás e Botafogo empatam na serrinha 1×1

O gol do esmeraldino foi marcado por Hugo, na noite desta terça (26) na Serrinha. Na noite desta terça (26),...

Economia2 minutos atrás

Bolsonaro repete vontade de privatizar Petrobras e petroleiros ameaçam greve

Sophia Bernardes Bolsonaro repete vontade de Privatizar da Petrobras e petroleiros ameaçam greve O presidente Jair Bolsonaro reafirmou nesta quarta-feira...

Esportes2 minutos atrás

Coxa empata com CRB

Na noite em que o capitão coxa-branca, Willian Farias, completou 200 jogos com a camisa coxa-branca, o Coritiba empatou em...

Internacional2 minutos atrás

China: apoio dos EUA para que Taiwan participe da ONU é “ameaça à paz”

A China disse hoje (27) que o apelo dos Estados Unidos (EUA) à comunidade internacional para que apoie uma participação...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!