Connect with us

Economia

PL do ICMS reduz até 12% a gasolina e 11% a conta de luz, diz deputado

Published

on

source
Projeto que limita ICMS a 17% pode baixar gasolina em até 12% e luz em 11%, diz deputado
Antônio Augusto/Câmara dos Deputados

Projeto que limita ICMS a 17% pode baixar gasolina em até 12% e luz em 11%, diz deputado

A Câmara dos Deputados vai votar nesta terça-feira (24) a proposta que limita o ICMS a 17% de forma ampliada: além de limitar o imposto estadual em energia e combustíveis, a proposta que deve ir ao plenário hoje também deve criar este teto para telecomunicações e transporte coletivo. Isso foi definido em reunião entre o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), parlamentares da oposição e o autor e relator da proposta, os deputados do União Brasil Danilo Forte (CE) e Elmar Nascimento (BA).

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

De acordo com Forte, o projeto tem potencial de baixar entre 9% e 12% o valor da gasolina e 11% na conta de luz. Não há estudos sobre os preços das telecomunicações e transportes públicos. Os estados temem forte queda de arrecadação. Com combustíveis e energia, as perdas dos estados podem chegar a R$ 100 bilhões por ano. Por outro lado, outros estudos indicam que o preço do diesel poderia subir em 12 estados caso eles decidissem adotar a alíquota limite de 17%.

“Eu não vejo ninguém no Brasil ser contra baixar o preço da gasolina nem o da energia”, declarou Forte, que acredita que o Senado, embora seja a casa dos estados, vai aprovar a proposta na próxima semana.

“Os governos estaduais, que estão reclamando, estão abarrotados de dinheiro. Falácia dizer que esse recurso vai gerar prejuízo aos estados e municípios. Quando esse consumidor poupa na energia, ele gasta na cesta básica, lazer educação do filho. Aumenta a circulação dos recursos e isso aumenta arrecadação de estados e municípios”, argumenta o deputado.

Os deputados pressionam por um acordo para que o projeto seja votado no Senado na próxima semana, apesar da resistência do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Danilo Forte acredita que o projeto pode ser sancionado até o final de junho. O texto tem apoio do governo, mas enfrenta resistência no Senado porque Pacheco ainda não está convencido de que essa é a melhor opção.

O projeto, de autoria do deputado Danilo Forte (União-CE), é relatado por Elmar Nascimento (União-BA). Os dois discutiram alterações no texto desde a noite de segunda-feira e estiveram reunidos com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), nesta manhã.

Nesse encontro, o ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, apresentou uma série de propostas para reduzir a conta de luz. O pacote pensado pela pasta teria potencial de reduzir a conta de luz em 14%, com soluções com o uso de recursos da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e até judicialização da cobrança de Pis e Cofins sobre encargos e subsídios.

A proposta, que deve ser votada na Câmara nesta terça-feira, estabelece um teto de 17% para a alíquota do ICMS, principal tributo dos estados, ao tornar combustíveis e energia elétrica serviços essenciais. Originalmente o texto também previa a limitação para telecomunicações e transporte coletivo. Mas os parlamentares estão trabalhando para restringir a abrangência da proposta e limitar aos problemas estruturais que são considerados mais graves: o preço dos combustíveis e da conta de luz.

O ataque ao ICMS é mais um capítulo na queda de braço entre o Executivo federal e os governadores. Como o GLOBO mostrou, os repasses da União aos estados engordaram os caixas, também beneficiados pelo aumento da arrecadação e, com R$ 320 bilhões disponíveis, a cobiça do governo federal sobre esses recursos está crescendo.

Prova disso são as medidas pensadas para aliviar o bolso do consumidor, mas passando o chapéu alheio, como a articulação para a redução do principal tributo estadual. Essa diminuição ajudaria a frear a inflação, o que prejudica a popularidade de Jair Bolsonaro em ano de eleição. Por outro lado, provocaria um impacto brutal nas contas estaduais, que perderiam entre R$ 70 bilhões e R$ 100 bilhões por ano, de acordo com cálculos de governos locais, em caráter reservado.

Comente Abaixo
Internacional5 minutos ago

Sobe para 50 o número de migrantes mortos em caminhão no Texas

Reprodução – 28.06.2022 Local onde vários corpos foram encontrados no Texas Nesta terça-feira (28), subiu para 50 o número de...

Economia5 minutos ago

Paes de Andrade pede conversa particular com cada diretor da Petrobras

Denio Simões/Valor Petrobras: Caio Paes de Andrade pede dez minutos com cada diretor em seu primeiro dia como presidente Caio...

Economia5 minutos ago

Pacotão de ‘bondades’ deve ser pago com arrecadação extra, diz Guedes

Lorena Amaro Paulo Guedes afirma que pacotão de bondades será pago com arrecadação extra O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse...

Entretenimento5 minutos ago

Grazi Massafera celebra 40 anos em fazenda com a filha

Reprodução/Instagram 28.06.2022 Grazi completa 40 anos nesta terça-feira (28) Quarentou! Grazi Massafera completa 40 anos nesta terça-feira, 28, e celebrou...

Entretenimento5 minutos ago

Lorde mostra indignação no Glastonbury sobre reversão dos direitos ao aborto nos EUA

The Music Journal Brazil Lorde mostra indignação no Glastonbury sobre reversão dos direitos ao aborto nos EUA A cantora neozelandesa...

Entretenimento5 minutos ago

Ana Maria diz que manterá bordão ‘acorda menina’ em novo horário

Reprodução Ana Maria muda de horário na Globo “Acorda, menina!” Com as novas manhãs da TV Globo, o bordão de...

Nacional5 minutos ago

Alesp doa R$ 2 milhões para o Fundo Social de Solidariedade de SP

Reprodução/Assembleia Legislativa do Estado São Paulo Sessão Extraordinária na Assembleia Legislativa de São Paulo A Assembleia Legislativa de  São Paulo...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana