conecte-se conosco



Política

PGR diz ao STF que ação sobre MP de Bolsonaro perdeu objeto

Publicado

em


source
Presidente Jair Bolsonaro
Reprodução

Presidente Jair Bolsonaro



A pouco mais de quatro horas para o início do julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a decisão liminar que suspendeu os efeitos da MP que dificultava a remoção de conteúdo das redes sociais, o procurador-geral da República, Augusto Aras, disse que a ação perdeu o objeto já que a medida foi devolvida pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) , a Jair Bolsonaro (sem partido).

Na petição, a PGR informa ter tomado conhecimento da decisão de suspender a MP dada pela ministra Rosa Weber , mas ressaltou que a devolução ao presidente da República “torna prejudicada a ação por perda superveniente de objeto, uma vez que não constatada hipótese de retirada da norma do ordenamento jurídico com intuito de burla à jurisdição constitucional”.

Apesar da devolução da MP ao Planalto, o referendo à decisão de Rosa está na pauta de julgamentos do plenário extraordinário convocado apenas para analisar a confirmação, ou não, da liminar. Até agora, não houve formalização por parte do Executivo — que poderia ser feita pela Advocacia-Geral da União (AGU) — sobre a decisão de Pacheco.

A avaliação nos bastidores da Corte é a de que o julgamento pode ser iniciado apenas para responder que há inconstitucionalidade na medida provisória, mas que a ação de fato perdeu o objeto. Há ainda a possibilidade de que os ministros discutam juridicamente qual é o efeito prático da devolução pelo Senado.

No despacho que suspendeu a medida, a ministra observou que a interferência do Judiciário deve ter “absoluta excepcionalidade”, mas disse entender que, no caso da MP 1.068/2021, “estamos diante de hipótese na qual o abuso do poder normativo presidencial está, aparentemente, configurado”.

Leia Também

Para ela, o tema é complexo, e justamente por isso o STF, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Congresso “têm enfrentado, cada um dentro de suas competências constitucionais, tais temas com a promoção de debates públicos, instauração de Comissão Parlamentar, dentre outros métodos e expedientes”.

“A propagação de fake news, de discursos de ódio, de ataques às instituições e à própria democracia, bem como a regulamentação da retirada de conteúdos de redes sociais consubstanciam um dos maiores desafios contemporâneos à conformação dos direitos fundamentais”, disse Rosa, para quem a MP é incosntitucional.


Bolsonaro assinou a MP na véspera dos atos de 7 de setembro como um aceno à militância digital bolsonarista, que tem sido alvo de remoções de conteúdos e contas sob a acusação de propagar conteúdos falsos. O texto enviado ao Congresso pelo presidente da República dificulta justamente a atuação das redes para apagar informações compartilhadas por usuários que violem os termos de uso das plataformas.

Comente Abaixo
Política31 minutos atrás

Renan Calheiros diz que leitura do relatório final da CPI da Covid foi adiada

Reprodução/Youtube Renan Calheiros diz que leitura do relatório final da CPI da Covid foi adiada O senador  Renan Calheiros (MDB-AL), relator...

Mulher31 minutos atrás

“Tinha pavor de envelhecer”, diz a jornalista Leilane Neurbath

Reprodução Leilane Neurbath fala sobre novo programa, envelhecimento e relacionamento com namoadar No último dia 14, foi ao ar o...

Nacional31 minutos atrás

Vídeo mostra homem sendo agredido por seguranças de festa LGBTQIA+ em Madureira

Reprodução Jovem recebe socos, chutes e uma rasteira em boate de Madureira Um vídeo que mostra ação truculenta de seguranças...

Entretenimento35 minutos atrás

Viih Tube já curte a vida de solteira

Reprodução/Instagram Viih tube aparece em balada curtindo vida de solteira Menos de uma semana do  anúncio do fim do relacionamento...

Nacional1 hora atrás

Ministério confirma audiência com Cacique Cobra Coral, mas nega que tenha pedido

Reprodução/TV Tem Solicitação da reunião teria partido do assessor Osmar Santos O Ministério de Minas e Energia (MME) emitiu uma...

Economia1 hora atrás

Ministro do STF dá prazo de seis meses para Minas Gerais pagar dívida

Abdias Pinheiro/ Secom TSE Ministro do STF dá prazo de seis meses para Minas Gerais pagar dívida O Ministro do...

Nacional2 horas atrás

‘A gente colhe o que planta’, postou advogada de Marcinho VP antes de ser presa

Reprodução/redes sociais ‘A gente colhe o que planta’, postou advogada de Marcinho VP antes de ser presa Menos de 24...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!