conecte-se conosco


Polícia Federal

PF combate crimes eleitorais no Amapá

Publicado

em

Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (6/12) a Operação Cícero, com objetivo de apurar esquema criminoso de captação ilícita de votos durante o primeiro turno das eleições gerais de 2018 em Macapá/AP.

Policiais federais dão cumprimento a quatro mandados de busca e apreensão na cidade de Macapá/AP, expedidos pela Justiça Eleitoral.

Segundo as investigações, o grupo criminoso, no período entre agosto e outubro deste ano, distribuiu diversos botijões de gás, medicamentos e produtos hortifrutigranjeiros, como também atuou no favorecimento de marcação de consultas médicas em troca de obtenção de voto a candidata eleita em 2018 ao cargo de Deputada Estadual.

Ainda de acordo com o apurado, o esquema criminoso beneficiou também candidata eleita em 2018 ao cargo de Deputada Federal, com a realização de transporte irregular de eleitores, concentrado na região dos bairros do Araxá e Pedrinhas, feitos com a ativa organização da candidata em benefício próprio.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de associação criminosa, compra de votos e transporte coletivo de eleitores. Se condenados, poderão cumprir pena de até 13 anos de reclusão.

O nome da operação é uma alusão à obra de Quintus Tullius Cicero, pensador da Roma Antiga, denominada “Como ganhar uma eleição”. O manual ensina estratégias que deveriam ser adotadas em uma campanha política bem-sucedida.

 

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

[email protected] | www.pf.gov.br

(96) 3213-7569

Comentários do Facebook
Leia mais:  Coletiva de Imprensa – Conclusão de inquérito sobre atentado a Bolsonaro
publicidade

Polícia Federal

PF investiga lavagem de dinheiro no Espírito Santo

Publicado

em

Vila Velha/ES – A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal e a Receita Federal, deflagrou na terça-feira (20/8) a Operação Masqué, com objetivo de investigar crime de lavagem de dinheiro praticado por casal de empresários capixabas, sócios de empresas que atuavam no comércio exterior.

Cerca de 22 policiais federais e membros da Receita Federal cumpriram 4 mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais ligados aos investigados, em Vila Velha/ES e São Paulo/SP. A Justiça Federal determinou ainda o sequestro de imóveis, embarcações e valores, além da indisponibilidade de automóveis dos investigados.

A ação de hoje é um desdobramento de investigação que identificou a prática de evasão de divisas, entre os anos de 2009 e 2010, num total de cerca de U$ 100 milhões em 1178 contratos de câmbio fraudulentos. Com a participação de funcionários de uma corretora de câmbio, o grupo então investigado promovia a saída de divisas para o exterior repetindo as mesmas declarações de importação e faturas em vários contratos de câmbios diferentes.

Dessa forma, usando uma mesma declaração de importação em vários contratos de câmbio, os investigados simulavam diversas importações usando a documentação referente a apenas uma operação regular. Os pagamentos repetidos serviam, na verdade, para mandar dinheiro ilegalmente para fora do país.

Com o objetivo de investigar a ocultação e lavagem dos valores obtidos com as atividades ilegais dos investigados, a Operação Masqué possibilitou a identificação de 76 imóveis e 2 embarcações registradas em nomes de laranjas, um patrimônio oculto que supera os R$ 40 milhões. Todos esses bens foram sequestrados por determinação judicial.

Segundo dados da Receita Federal, as pessoas físicas e jurídicas investigadas possuem um débito já inscrito em dívida ativa no valor de R$ 894 milhões.

Leia mais:  PF prende três homens com 41 kg de cocaína em Anápolis/GO

Além do casal de empresários, também é investigado um advogado que atua em São Paulo/SP, contratado para oferecer uma espécie de proteção contra a atuação de órgãos como a Receita Federal e a Polícia Federal, o qual já foi preso, no ano de 2017, em ação do GAECO do estado de São Paulo, por fatos análogos aos investigados na OPERAÇÃO MASQUÉ.

Os investigados responderão pelos crimes de lavagem de capitais (Lei 9.613/98).

 

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários do Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie
Mulher7 minutos atrás

Noiva toma suco detox, tem “acidente” no banheiro e mancha vestido de R$60 mil

O dia do casamento é considerado um dos mais importantes da vida e, por isso, é normal que os noivos...

Mulher7 minutos atrás

Jejum intermitente, low carb… Dietas da moda são eficazes para perder peso?

Reeducar a alimentação exige disciplina, foco e um objetivo a ser alcançado. As dietas se inserem nesse contexto, e visam...

Mulher7 minutos atrás

Horóscopo do dia: previsões para 21 de agosto de 2019

Terapeuta Integrativa, Masumi Suguinoshita usa a astrologia e a meditação como ferramentas principais de trabalho e traz ao Delas as...

Esportes7 minutos atrás

Relembre as melhores brigas ao vivo entre boleiros e jornalistas

A relação entre jornalistas e jogadores ou treinadores de futebol é muito próxima, e assim como todo relacionamento, é claro...

Nacional8 minutos atrás

PF mira propina a Palocci e Mantega em nova fase da Lava Jato

arrow-options Montagem/Agência Brasil Ex-ministros são investigados por supostos repasses recebidos da Odebrecht A Polícia Federal (PF) deflagrou a 63ª fase...

Nacional8 minutos atrás

Polícia busca celular para descobrir se sequestrador de ônibus tinha comparsas

arrow-options Reprodução Polícia busca celular para descobrir se sequestrador de ônibus tinha comparsas A Polícia Civil tenta localizar o celular de Willian Augusto da...

Nacional8 minutos atrás

Ao lado do presidente, padre toca berrante para seguidores de Bolsonaro

arrow-options Jair Bolsonaro / Twitter / Reprodução Padre Periquito tocou berrante como homenagem ao resgate das tradições e culturas Poucos...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana