conecte-se conosco


Polícia Federal

Operação Freeway desarticula organização criminosa transnacional que atuava no sistema financeiro

Publicado

em

Foz do Iguaçu/PR – A Polícia Federal e a Receita Federal, em ação conjunta, deflagraram hoje (15/5) a Operação Freeway, com o propósito de desarticular uma organização criminosa transnacional estabelecida em Foz do Iguaçu/PR e especializada na lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta e contabilidade paralela.

Cerca de 60 policiais federais e 10 servidores da Receita Federal estão cumprindo 27 ordens judiciais, expedidas pelo juízo da 23ª Vara Federal Criminal de Curitiba/PR. São 4 mandados de prisão preventiva, 5 ordens de instalação de tornozeleiras eletrônicas e 18 mandados de busca e apreensão, todos em Foz do Iguaçu/PR. A Justiça também determinou o sequestro dos bens imóveis e dos valores pertencentes aos investigados. Estima-se que o patrimônio sequestrado ultrapasse a quantia de R$ 40 milhões.

A Operação Freeway é um desdobramento da Operação Confraria Cataratas, deflagrada pela Polícia Federal e pela Receita Federal em 28/9/2017, também em Foz do Iguaçu/PR. Nela ficou apurado que, frequentemente, 3 casas de câmbio da cidade compravam e vendiam moedas estrangeiras em desconformidade com as diretrizes estabelecidas pelo Banco Central.

A análise do material apreendido na Operação Confraria Cataratas revelou que os responsáveis por uma das três casas de câmbio investigadas, além de operarem irregularmente no mercado de câmbio, integravam uma organização criminosa transnacional especializada na prática de diversos delitos contra o sistema financeiro.

As investigações demonstraram que, no período de 2011 a 2017, o grupo criminoso cambiou ilegalmente centenas de milhões de dólares. Grande parte desse montante foi evadido para o Paraguai, especialmente para empresas que comercializam produtos eletrônicos, enquanto outra grande parte foi remetida para empresas de turismo sediadas em Foz do Iguaçu/PR e controladas pela organização. A investigação revelou, ainda, que essa organização criminosa operava como uma espécie de “banco de compensações”, casando o interesse de contrabandistas brasileiros interessados em remeter dinheiro para o Paraguai com o interesse de empresários estabelecidos no Paraguai interessados em remeter dinheiro para o Brasil.

Leia mais:  Polícia Federal prende em flagrante casal com um quilo de haxixe

 

Os crimes praticados

Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa transnacional, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta e contabilidade paralela (artigo 2, caputc/c §4º, III e V, da Lei nº 12.850/2013; artigo 1, §2º, I c/c/ §4º do da Lei nº 9.613/98;artigos 4, 11 e 22 da Lei nº 7.492/86).

 

Haverá coletiva de imprensa hoje, às 10h, na DPF/Foz do Iguaçu/PR, com a participação de representantes da Polícia Federal e da Receita Federal.

 

 

***A operação foi batizada de “freeway” especialmente em razão de a orcrim fazer uso constante de um sistema informatizado assim denominado para realizar o controle paralelo das suas operações ilegais de câmbio e de evasão de divisas.

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários do Facebook
publicidade

Polícia Federal

PF deflagra 2ª fase da Operação Reboot para investigar fraudes em licitação

Publicado

em

Marília/SP – A Polícia Federal deflagrou hoje (18/6) a segunda fase da Operação Reboot, em continuidade às investigações de irregularidades praticadas no âmbito na Secretaria Municipal de Saúde de Marília, durante procedimento licitatório levado a efeito em 2016, por meio do qual foram adquiridos 450 Tablets com verbas provenientes do Ministério da Saúde, por valores, ao que tudo indica, superfaturados.

Estão sendo cumpridos 3  mandados de busca e apreensão, expedidos pela 3ª Vara Federal de Marília/SP, após manifestação favorável do Ministério Público Federal, sendo dois nesta cidade e um na cidade de Cotia/SP.

Conforme restou apurado, há indícios de prejuízo aos cofres públicos federais na ordem de aproximadamente meio milhão de reais, em decorrência da inclusão de cláusulas no edital que restringiram a participação de licitantes.

Durante a análise do material apreendido na primeira fase da operação foram identificados outros possíveis envolvidos, o que justificou o requerimento de novas medidas constritivas.

A investigação encontra-se em fase final, e os envolvidos poderão responder, no limite de suas responsabilidades, pelos crimes de organização criminosa (art. 2º da Lei nº. 12.850/2013 – pena de 3 a 8 anos de reclusão), fraude à licitação (art. 90 da Lei nº. 8.666/93 – pena de 2 a 4 anos de detenção), corrupção passiva (art. 317 do Código Penal – pena de 2 a 12 anos de reclusão), corrupção ativa (art. 333, do Código Penal – pena de 2 a 12 anos de reclusão) e lavagem de dinheiro (art. 1º, da Lei nº. 9.613/98 – pena de 3 a 10 anos de reclusão).

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários do Facebook
Leia mais:  PF investiga crimes relacionados ao artefato explosivo encontrado no DF
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie
Economia7 minutos atrás

União pagou em maio R$ 401 milhões em dívidas atrasadas de estados

Rodrigues Pozzebom/AgÊncia Brasil Mansueto Almeida, Secretário do Tesouro Nacional, órgão responsável por cobrir os calotes O Tesouro Nacional pagou, em...

Economia7 minutos atrás

Preço médio do aluguel de imóveis no país supera inflação em maio e sobe 0,56%

Reprodução Belo Horizonte foi a única capital brasileira que teve queda no preço do aluguel no período O preço do...

Direto de Brasília8 minutos atrás

Dono de software revela que foi contratado para disparar mensagens pró-Bolsonaro

Isac Nóbrega/PR Mensagens a favor da eleição de Jair Bolsonaro teriam sido enviadas após contrato assinado por empresas brasileiras Uma...

Direto de Brasília8 minutos atrás

MP pede investigação sobre aumento de gastos com diárias de senadores

Agência Senado Desde que Davi Alcolumbre assumiu o comando da casa, os gastos dos senadores aumentaram 154% O Ministério Público...

Esportes8 minutos atrás

Cadê o vídeo? Justiça emite mandado de busca e apreensão do celular de Najila

TV Record/Reprodução Najila Trindade em entrevista à TV Record A Justiça emitiu um mandado de busca e apreensão do celular...

Esportes8 minutos atrás

Ex-presidente da Uefa, Michel Platini é preso por suspeita de corrupção

REPRODUÇÃO/UEFA Francês é investigado por possível manipulação na escolha da sede do mundial de 2022 O ex-presidente da Uefa (2007-2015)...

Entretenimento8 minutos atrás

Juliana Paes quer cena “épica” entre Maria da Paz e Jô em “A Dona do Pedaço”

Quem acompanha Juliana Paes no Twitter sabe que a atriz sempre comenta sobre ” A Dona do Pedaço ” em...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana