conecte-se conosco


Direto de Brasília

Odebrecht detalha e-mails entregues como  prova contra Lula no caso do sítio

Publicado

em


Documento da Polícia Federal mostra fotos de Lula com engenheiro da OAS no controverso sítio de Atibaia
REPRODUÇÃO/POLÍCIA FEDERAL

Documento da Polícia Federal mostra fotos de Lula com engenheiro da OAS no controverso sítio de Atibaia

O empreiteiro Marcelo Bahia Odebrecht, herdeiro da construtora, detalhou à Justiça Federal de Curitiba dezenas de e-mails que tratam sobre as obras realizadas em sítio de Atibaia , no interior de São Paulo. O imóvel é atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em ação penal da Lava Jato.

Em depoimento prestado nessa quarta-feira (7) à juíza  Gabriela Hardt, substituta de Sérgio Moro na condução dos processos operação, o empreiteiro disse que o conteúdo dessas mensagens, trocadas entre 2008 e 2013, “complicou” a situação do ex-presidente no processo do sítio de Atibaia .

“Um desses e-mails mostra que eu até combinei com o Palocci o seguinte: ‘Vamos fazer aqui um débito na planilha Italiano de R$ 15 milhões que é para atender esses pedidos que nem eu e nem você ficamos sabendo que Lula e meu pai [Emílio Odebrecht] acertam”, relatou o empreiteiro. “O sítio poderia se enquadrar no contexto do que eu acertei com o Palocci”, continuou.

Marcelo disse que, quando soube da existência de acerto para realizar reformas no sítio em benefício do ex-presidente, ele se posicionou de modo contrário pois “achava que era uma exposição desnecessária”. “Seria a primeira vez que a gente estaria fazendo alguma coisa pessoal para o ex-presidente Lula. E tinha um bando de gente trabalhando na obra, ou seja: a dificuldade de manter isso em sigilo era enorme”, relatou o empreiteiro.

O empreiteiro confirmou ainda que Lula tinha “plena ciência” de que a reforma no sítio Santa Bárbara era custeada, em parte, pela Odebrecht. “Ele sabia que tinha. Eu não escutei isso do Lula, mas meu pai sempre deixou claro para mim que ele sabia que estava sendo custeado. E, dentro de casa, todos nós entendíamos que o sítio era de Lula.”

Leia mais:  Carlos Lupi rebate Jornal Nacional e garante ser ficha limpa apesar de ser réu

Leia também: STF pode julgar pedido de liberdade de Lula ainda neste ano, diz Fachin

Esses e-mails foram entregues à Justiça em março deste ano, poucos meses após  Marcelo Odebrecht ganhar o direito de cumprir prisão domiciliar depois de dois anos e meio preso na carceragem da Polícia Federal no Paraná. Naquela ocasião, os advogados do empreiteiro afirmaram que os documentos “comprovam pedidos de ajuda financeira […] que direta ou indiretamente beneficiaram Lula”.

Em nota divulgada tão logo surgiram os e-mails no âmbito do processo da Lava Jato , os advogados de Lula asseguraram que os documentos “em nada abalam o fato de que o ex-presidente jamais solicitou ou recebeu da Odebrecht ou de qualquer outra empresa algum benefício ou favorecimento”.

“O material não apenas é contraditório com o depoimento de Marcelo Odebrecht na delação premiada bem como em seu depoimento pessoal em outra ação. Laudo apresentado pela Polícia Federal mostrou que documentos atribuídos à Odebrecht foram adulterados. O fato é confirmado pelo depoimento prestado pelo ex-executivo da empresa, Fernando Migliaccio. O ex-advogado da Odebrecht Rodrigo Tacla Durán também já havia feito referência ao tema em depoimento prestado à CPMI da JBS e também em videoconferência feita com a defesa de Lula, que foi gravada e registrada em ata notarial”, disse a defesa do petista.

Nessa ação penal, Lula responde por supostos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro por conta de reforma de mais de R$ 1 milhão pagos pela Odebrecht e OAS no sítio de Atibaia . O processo tem ainda outros 12 réus, numa lista que inclui os empreiteiros Léo Pinheiro (OAS), Emílio Odebrecht e seu filho, Marcelo Bahia Odebrecht, o pecuarista José Carlos Bumlai, o advogado Roberto Teixeira e Fernando Bittar, que é o dono oficial do imóvel no interior paulista.

Leia mais:  Morre Kofi Annan, ex-secretário da ONU e ganhador do Nobel da Paz, aos 80 anos

Comentários do Facebook
publicidade

Direto de Brasília

Moro afirma que não é possível enviar Força Nacional ao Pará agora

Publicado

em


Governador paraense se reuniu com o ministro Sérgio Moro e reiterou o pedido de ajuda federal
Reprodução/ Facebook

Governador paraense se reuniu com o ministro Sérgio Moro e reiterou o pedido de ajuda federal

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, informou na noite desta quarta-feira (16) que “no momento” não poderá atender ao  pedido do governador do Pará, Helder Barbalho, para que homens da Força Nacional sejam enviados ao estado.

Segundo Sérgio Moro , como a Força Nacional está atuando na crise da segurança no Ceará e é necessário manter contingente de reserva em Brasília, “não seria possível no momento atender, infelizmente, a solicitação”.

Mais cedo, o governador paraense se reuniu com o ministro e reiterou o pedido de ajuda federal. Pelas redes sócias, Barbalhou indicou que a Força Nacional pode ser enviada ao estado nos próximos meses. “De imediato, Moro vai enviar um oficial federal para traçar o planejamento da estratégia que será implantada no Estado. O prazo inicial é que a chegada da tropa seja em março. O ministro sinalizou que vai cooperar para a construção um ambiente seguro no Pará”, escreveu.

Leia também: Criminosos incendeiam caminhão e tentam derrubar torre em ataques no Ceará

No começo do ano, Barbalho requereu o envio de 500 integrantes da Força Nacional para atuação “imediata” pela necessidade de preservar a ordem pública e contribuir na estruturação das forças de segurança pública no estado. O pedido também indicou a duração do apoio em seis meses.

Segundo o Atlas da Violência 2018, divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a taxa de homicídios do estado no último dado disponível (relativo a 2016) era de 50,8 por 100 mil habitantes. O estado foi o quarto no ranking nacional neste indicador, perdendo para Rio Grande do Norte (53,2), Alagoas (54,2) e Sergipe (64,7).

Leia mais:  Marcos Pontes promete aconselhar Bolsonaro sobre saída do Acordo de Paris

Ainda segundo o Atlas, entre 2006 e 2016, o aumento da taxa de homicídios no Pará foi 74,4%. Tiveram alterações maiores no mesmo período Ceará (86,3%), Bahia (97,8%), Acre (93,2%), Tocantins (119%), Sergipe e Maranhão (121%) e Rio Grande do Norte (256,9%).

Leia também: Ceará pede apoio do Exército e da Força Nacional após ataques

Em um evento interno do ministério no último dia 4, Sérgio Moro afirmou que muitos Estados devem fazer pedidos semelhantes. “Nos poucos dias desde que assumimos o ministério, já pudemos perceber o quanto a Força Nacional vai ser demandada e o quanto nós vamos ter de trabalhar com ela, para que ela possa prestar o melhor serviço possível e que ela tenha as melhores condições para realizar o melhor serviço à população”, disse.

Comentários do Facebook
Continue lendo
Economia2 horas atrás

Suzano é eleita uma das 50 empresas mais amadas do Brasil pela “Love Mondays”

Ranking espontâneo aponta ambientes de trabalho com melhores avaliações durante 2018 A Suzano foi indicada entre as 50 empresas mais amadas do Brasil,...

Direto de Brasília1 hora atrás

Moro afirma que não é possível enviar Força Nacional ao Pará agora

Reprodução/ Facebook Governador paraense se reuniu com o ministro Sérgio Moro e reiterou o pedido de ajuda federal O ministro...

Regional49 minutos atrás

Polícia prende chefe do tráfico de drogas de três bairros em Pinheiros

Denúncia de agressão doméstica deu início à operação; acusado já tinha três mandados em aberto PINHEIROS (ES) – O chefe...

Mulher34 minutos atrás

Roteiro de drinques de verão super refrescantes

Nesses dias e noites da estação mais quente do ano, nada melhor do que drinques de verão para se refrescar....

Entretenimento33 minutos atrás

15 perguntas! Nany People fala sobre carreira, política, namoro e muito mais

Desde o início de sua trajetória em Minas, sua terra natal, até a ida para São Paulo em busca do...

São Mateus3 minutos atrás

Câmara de São Mateus vota contratação de DT´s da educação nesta sexta-feira (18)

SÃO MATEUS (ES) – A Câmara de São Mateus vai interromper, temporariamente, o recesso de janeiro para apreciar o Projeto...

Economia34 minutos atrás

Preço da gasolina nas refinarias volta a subir e chega a R$ 1,4990

Divulgação/Prefeitura de Paulínia A alta do petróleo e a desvalorização do real frente ao dólar motivaram o reajuste no preço...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana