conecte-se conosco


Direto de Brasília

MP pede investigação de PM que disse que ia “brincar com comunas” em dia de ato

Publicado

em


PM publica foto com colegas e diz que vai
Reprodução

PM publicou foto com colegas e disse que iria ‘brincar com comunas’ na Esplanada

O Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF) enviou um ofício à Polícia Militar pedindo que a conduta do policial que afirmou, em rede social, que ia “brincar com os comunas” seja investigada. De acordo com o MP, a fala do militar constitui “inequívoco discurso de ódio”.

O caso aconteceu nesta quarta-feira (15), quando o policial publicou uma foto com colegas dentro do veículo da corporação e disse que estava indo “brincar com comunas ” na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. O local foi um dos que sediaram manifestações de estudantes e professores contra os cortes na Educação .

Ainda ontem, a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) informou que a postagem do policial militar não condizia com o padrão profissional da Polícia Militar do DF, além de contrariar normas de conduta preconizadas pela SSP/DF. A pasta determinou ainda que fosse aberto um procedimento administrativo para análise do caso.

Após a onda de  protestos que marcaram o País ontem, entidades da sociedade civil já organizam novas manifestações para o dia 30 de maio. O tema das manifestações será o mesmo: em repúdio ao bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo governo Jair Bolsonaro (PSL).

De ” comunas ” ou não, as mobilizações de ontem se espalharam por mais de uma centena de cidades em todos os 26 Estados e no Distrito Federal e reuniu estudantes, professores, entidades da sociedade civil e partidos políticos. Segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a greve nacional prevista na agenda de atos de ontem contou com o engajamento de ao menos dois milhões de trabalhadores.

Fonte: IG Política
Comentários do Facebook
Leia mais:  Alexandre de Moraes revoga decisão de censurar sites que citam Toffoli
publicidade

Direto de Brasília

Votação de destaques da MP da Reforma Administrativa acontece nesta quinta

Publicado

em


Sessão Câmara
Luis Macedo/Câmara dos Deputados – 22.5.19

Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão para votar reforma administrativa

A conclusão da votação dos destaques da Medida Provisória (MP) 870/19, que trata da  reforma administrativa do governo do presidente Jair Bolsonaro que reduziu o número de ministérios de 29 para 22, acontece nesta quinta-feira(23).

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão desta quarta por volta das 22h devido a polêmicas na votação do destaque que retirava do texto da reforma administrativa a restrição de auditores fiscais investigarem crimes que não sejam de ordem fiscal.

Leia também: Senado aprova criminalização da homofobia, mas deixa igrejas fora da regra

O texto da MP tem que ser votado nos plenários da Câmara e do Senado até o dia 3 de junho ou perderá a validade. Maia convocou nova sessão para a manhã desta quinta para votar os destaques. Ele também convocou uma sessão para a parte da tarde para tentar votar as outras medidas provisórias que trancam a pauta.

Além do destaque que trata dos auditores da receita, também deverá ser votado um destaque que trata da Financiadora de Estudos e Projetos ( Finep ), empresa pública brasileira de fomento à ciência, tecnologia e inovação em empresas, universidades, institutos tecnológicos e outras instituições públicas ou privadas. A empresa é vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação.

O destaque quer evitar a transferência do controle do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico ( FNDCT ) da Finep para a secretaria-executiva do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Antes, no início da noite desta quarta, o plenário aprovou o texto-base da MP 870/19. Os deputados aprovaram o texto da comissão mista que analisou a matéria e que devolve para o Ministério da Economia o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) . O governo havia transferido o órgão para o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Leia mais:  Alexandre de Moraes revoga decisão de censurar sites que citam Toffoli

O texto também transferiu novamente para o Ministério da Justiça e Segurança Pública a Fundação Nacional do Índio ( Funai ), que também ficará responsável pela demarcação de terras indígenas. Antes o órgão estava subordinado ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e a demarcação era uma atribuição do Ministério da Agricultura.

Leia também: CCJ do Senado aprova projeto que inclui mulheres trans na Lei Maria da Penha

Os deputados firmaram um acordo para evitar uma das polêmicas, a recriação de dois ministérios fundidos (Cidades e Integração Nacional). Pelo acordo, os deputados aprovaram a manutenção dos dois no Ministério do Desenvolvimento Regional, revertendo a mudança proposta pelo projeto de lei de conversão do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).


Na sequência, os deputados começaram a votar os destaques,que alteram trechos do texto aprovado. Dois destaques foram rejeitados em votação simbólica: a recriação dos ministérios do Trabalho e da Cultura.

Em seguida foi colocado em votação o destaque que pretendia devolver o Coaf para o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Por 228 contra 210 o destaque foi rejeitado. O líder do governo, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), minimizou a derrota da posição do governo.

“Nós fizemos aqui todo esforço, queria agradecer ao apoio de vários partidos, mais de 200 parlamentares votando a favor do governo, do Coaf para que ficasse junto do Ministério da Justiça. Fomos derrotados, mas essa é a democracia”, disse Vitor Hugo.

Auditores fiscais

O destaque que restringe a atuação dos auditores fiscais não chegou a ser votado. Ele retira do texto a limitação ao compartilhamento de informações bancárias e fiscais com órgãos como o Ministério Público. A mudança foi incluída por meio de uma emenda.

Nesta semana, os auditores fizeram atos públicos contra o texto da MP. Segundo os auditores fiscais, o compartilhamento de dados, pela emenda, só seria permitido com autorização judicial, o que inviabiliza a investigação de crimes conexos à sonegação, privando o Ministério Público Federal e a Polícia Federal de informações fornecidas pela Receita Federal a respeito de atividades financeiras suspeitas.

Leia também: Deputado quer discutir decreto com Bolsonaro: “Doido entende outro doido”

Fonte: IG Política
Comentários do Facebook
Continue lendo
Nacional3 minutos atrás

Prêmio de R$ 11,8 milhões da Mega-Sena sai para aposta no interior de São Paulo

Divulgação/ Wilson Dias/ Agência Brasil Aposta de Aramina, no interior de São Paulo, vai embolsar quase R$ 12 milhões O...

Polícia Federal3 minutos atrás

Polícia Federal deflagra Operação Nêmesis para combater pornografia infantil

Brasília/DF – A Polícia Federal deflagrou hoje, 23/05, a Operação Nêmesis*, com o objetivo de reprimir a prática de crimes...

Nacional19 minutos atrás

Polícia do Rio oferece recompensa pela prisão de ‘Hello Kitty do tráfico’

Reprodução/redes sociais Jovem integra facção que briga pelo comando de uma comunidade no Rio de Janeiro O Portal dos Procurados...

Nacional19 minutos atrás

Polícia do Rio oferece recompensa pela prisão da ‘Hello Kitty do tráfico’

Reprodução/redes sociais Jovem integra facção que briga pelo comando de uma comunidade no Rio de Janeiro O Portal dos Procurados...

Esportes20 minutos atrás

Títulos e ativismo: Por que a melhor jogadora do mundo não estará na Copa?

Reprodução/ Instagram Ada Hegerberg tem 23 anos e já marcou seu nome na história do futebol feminino com títulos e...

Entretenimento35 minutos atrás

Elogio da resistência, “Inferninho” abraça figuras marginalizadas pela sociedade

“Inferninho” poderia ser um filme do Almodóvar dos anos 80, mas faz sentido que seja uma produção independente brasileira dessa...

Direto de Brasília35 minutos atrás

Votação de destaques da MP da Reforma Administrativa acontece nesta quinta

Luis Macedo/Câmara dos Deputados – 22.5.19 Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão para votar reforma administrativa A conclusão da...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana