conecte-se conosco


Direto de Brasília

MEC quer enviar ao Congresso texto do programa Future-se em outubro

Publicado

em

O ministro da Educação Abraham Weintraub apresenta texto do programa Future-se arrow-options
Luis Fortes/MEC – 17.7.19
Programa Future-se foi apresentado pelo chefe do MEC, Abraham Weintraub, no dia 17 de julho

O Ministério da Educação (MEC) pretende enviar ao Congresso Nacional, no início de outubro, o texto que definirá o programa Future-se para que seja analisado pelos parlamentares, de acordo com informações do secretário de Educação Superior da pasta, Arnaldo Barbosa. O governo ainda vai definir se apresentará um projeto de lei ou uma medida provisória (MP).

Leia também: Frota diz que Carlos Bolsonaro age como se fosse o presidente e que deveria se calar

“Essa será uma decisão especialmente do Palácio do Planalto e depende do grau de consenso que conseguiremos com os reitores. É difícil falar agora, mas não há dúvida que é urgente ter uma nova estratégia de financiamento para as universidades”, diz Barbosa, que participou nessa terça-feira (10) do programa Brasil em Pauta, da TV Brasil.

Um projeto de lei precisa ser aprovado pelo Congresso e sancionado pelo presidente para começar a vigorar. Já a MP passa a valer assim que é publicada pelo presidente da República no Diário Oficial da União, mas precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional no prazo de até 120 dias para ser transformada definitivamente em lei.

De acordo com Barbosa, pelo menos 16 dos 63 reitores de universidades federais têm interesse em aderir ao Future-se. “O que é uma adesão muito forte”, diz. Ele pondera, no entanto, que ainda se deve fazer uma discussão. “Não se deve falar em adesão ou rejeição porque ainda tem que passar pelo Congresso Nacional”.

Apresentado pelo MEC em julho, o Future-se, entre outras estratégias, cria um fundo para financiar as universidades federais. A intenção é atrair também recursos privados, facilitar processos licitatórios e, com isso, financiar pesquisa, inovação, empreendedorismo e internacionalização nas instituições de ensino. Trata-se de um recurso extra. As universidades seguirão, segundo a pasta, contando com o orçamento público.

Leia mais:  Relatório sobre pacote anticrime propõe aumento da pena máxima para 40 anos

Leia também: Jovem que teve “ladrão e vacilão” tatuado na testa passará 4 anos na prisão

O texto do programa passou por consulta pública e recebeu mais de 20 mil contribuições. Segundo Barbosa, o MEC trabalha agora com a análise e organização das sugestões.

Ele adianta que a pasta pretende tornar mais claros alguns pontos no texto inicial, como o trecho que define a atuação de organizações sociais (OSs) e de fundações de apoio nas universidades. “Vamos deixar mais claro na proposta de alteração legislativa que as atividades que as organizações sociais e as fundações de apoio desempenharão são frutos do que o próprio conselho superior [das universidades] determinarem. Então, não há de se falar em quebra de autonomia a partir do momento em que quem manda nas universidades é o conselho superior”, disse.

O secretário acrescentou que “o serviço prestado por essas organizações é escolhido pelos reitores”. A atuação das OSs foi um ponto que gerou dúvidas entre os reitores após o anúncio do programa.

O Future-se, de acordo com Barbosa, também vai permitir que universidades e empresas juniores, ligadas às instituições, possam ser dispensadas de licitação em contratos com a administração pública federal, estadual e municipal. “Será mais uma forma de as universidades buscarem recursos adicionais, inclusive prestando serviço de consultoria para outros ministérios”, destacou.

Leia também: Turistas são roubados durante transmissão ao vivo em Praia Grande; assista

O programa deverá ainda premiar, com recursos adicionais, as universidades que apresentarem melhorias em índices de governança, de empreendedorismo, de pesquisa, inovação e de internacionalização.

Comentários do Facebook
publicidade

Direto de Brasília

Alexandre de Moraes vota a favor de prisão após segunda instância

Publicado

em

source
Ministro Alexandre de Moares arrow-options
Rosinei Coutinho/SCO/STF

Ministro votou contra o ministro Marco Aurélio

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes votou a favor do cumprimento antecipado de pena após condenação em segunda instância . Com o voto, o placar está em 1 a 1 após o ministro Marco Aurélio Mello votar contra a pauta.

No início da leitura do voto, Moares disse que “toda vez que se altera a jurisprudência se fala em evolução”, mas que, às vezes, também há uma “involução”.

Acompanhe ao vivo: STF retoma julgamento sobre prisão em segunda instância

Em seguida, o ministro fez uma defesa da democracia e ciriticou ameaças à Corte. “Paixões políticas e ideológicas resultaram em ameaças ao STF, muito acima das salutares  manifestações de uma democracia. Relatores foram chamados de levianos e corruptos por ter uma posição contrária”, afirmou.

Na sustentação do voto, Moraes disse que “alterações de posicionamento não produziram nenhum impacto significativo no sistema penitenciário nacional” e que não vê que os princípios de presunção de inocência e de não culpabilidade serão feridos. “A decisão de segundo grau é fundamentada”, completou.

Comentários do Facebook
Leia mais:  PF prende em Foz do Iguaçu terrorista internacional ligado ao Hezbollah
Continue lendo
Economia2 minutos atrás

Brasileiros mais pobres precisam de 9 gerações para alcançar renda média do País

arrow-options Agência Brasil/Fernando Frazão Brasil está entre os piores países em mobilidade social, aponta índice global Um bebê nascido em...

Economia2 minutos atrás

Professora é condenada a dez anos de prisão por “escravizar” venezuelana

arrow-options Foto: Reprodução/Internet De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), os denunciados agenciaram e transportaram a venezuelana de Boa...

Política2 minutos atrás

Fux suspende criação do juiz de garantias por tempo indeterminado

arrow-options Divulgação Fux contrariou decisão do ministro Dias Toffoli O ministro Luiz Fux , vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF),...

Nacional15 minutos atrás

Caso Marielle: Élcio Queiroz tem perfil de ódio pela esquerda, apura MP

arrow-options Reprodução/Facebook Élcio Queiroz O ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz , preso pela morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e...

Estadual15 minutos atrás

SEDH realiza Seminário Estadual de Combate à Intolerância Religiosa

Nesta quinta-feira (23) acontece o Seminário Estadual de Combate à Intolerância religiosa. O evento será realizado a partir das 14h...

Estadual28 minutos atrás

Portaria com normas para uso do Kleber Andrade será publicada nesta quinta (23)

Será publicada nesta quinta-feira (23), no Diário Oficial do Espírito Santo, a portaria que determina as normas para utilização do...

Estadual28 minutos atrás

Sesa e Detran|ES discutem projeto Observatório do Trânsito

Na manhã desta quarta-feira (22), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, esteve reunido com o diretor-geral do Departamento...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana