conecte-se conosco



Saúde

Mau uso do celular prejudica a saúde

Publicado

em

Pesquisa mostra que no Brasil 31% dos adultos levam o celular para a cama. Entenda os efeitos na saúde!

A OMS (Organização Mundial da Saúde) acaba de lançar um guia de saúde infantil. A publicação alerta aos pais para não permitirem que crianças com menos de 2 anos tenham acesso ao celular e outros equipamentos. Aos 2 anos de idade ou mais a recomendação é desligar os equipamentos 2 horas antes de dormir. Razões para isso não faltam. A OMS enumera que entre crianças a luz emitida pelas telas atrapalha o sono, predispõe à obesidade, interfere na saúde óssea, metabolismo cardíaco, desenvolvimento de habilidades cognitivas e motoras.

Pesquisa

Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier de Campinas a mesma regra vale para adultos, mas 31% leva o celular para a cama. É o que revela uma pesquisa realizada pelo especialista com 814 participantes de 25 a 65 anos.

“É claro que existem muitas diferenças entre o organismo de crianças e adultos, mas a luz que que penetra em nossos olhos regula todas as funções biológicas durante as 24 horas do dia, independente da idade”, afirma.

O celular ou qualquer outro tipo de tela digital não deve ser usado antes de dormir, inclusive por adultos, porque emitem luz azul, a mesma que predomina durante o dia, explica. Por isso, observa, avisa nosso cérebro que deve manter o estado de alerta, independente do horário. Resultado: diminui a produção da melatonina, hormônio indutor do sono, secretado apenas no escuro.

Efeitos na saúde

O oftalmologista ressalta que a OMS recomenda a bebês de até 1 ano 17 horas de sono/dia, de 1 a 2 anos de 11 a 14 horas/dia e dos 3 aos 4 anos de 10 a 13 horas/dia. Já a indicação para adultos é bem menor. Varia de e 6 a 8 horas/dia. Adultos que dormem menos ganham peso e têm maior dificuldade de absorção da insulina. Significa que a chance de contrair diabetes tipo 2 aumenta. Do ponto de vista da saúde ocular o diabetes dobra o risco de desenvolver catarata, destaca. Isso acontece, porque a lente do olho é formada por água e proteínas transparentes.

“O acúmulo de glicemia na corrente sanguínea dificulta a absorção de oxigênio pelas células do cristalino que entrma em processo de oxidação. O resultado é a opacificação da lente interna do olho que responde por 49% dos casos de cegueira tratável no país” afirma.

Os principais sinais da catarata elencados pelo médico são:

  • Enxergar halos em torno das luzes
  • Perda da visão de contraste e de profundidade
  • Troca frequente do grau dos óculos
  • Dificuldade de enxerga à noite ou em ambientes escuros
  • Ofuscamento ou perda momentânea da visão quando os olhos são atingidos por faróis contra no trânsito

O único tratamento é a cirurgia que consiste em substituir o cristalino opaco pelo implante de uma lente dentro do olho.


(*NAM)

Comentários do Facebook

Saúde

Rio quer que iniciativa privada administre hospitais de campanha

Publicado

em


.

O governo Rio de Janeiro anunciou hoje (29) a intenção de passar para um consórcio privado a administração dos hospitais de campanha do estado. A organização social Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas), responsável pela construção e gerência de todos os hospitais, ficaria apenas com o do Maracanã, que está em funcionando. Caberia ao Iabas, no entanto, a responsabilidade de concluir os seis hospitais restantes.

O governador Wilson Witzel informou a decisão a representantes do Iabas em uma reunião que contou com a presença dos secretários estaduais de Saúde, Fernando Ferry, e de Infraestrutura e Obras, Bruno Kazuhiro; e de representantes da Associação de Hospitais do Estado do Rio de Janeiro e do Sindicato dos Hospitais do Rio.

Na próxima segunda-feira (1º), o procurador-geral do estado, Marcelo Lopes, será consultado sobre a melhor maneira jurídica para encaminhar a questão.

“Chamamos o Iabas para que eles cedam as unidades a um grupo de empresários e possamos dar continuidade às operações. É mais eficiente colocar cada hospital sob responsabilidade de um grupo empresarial, porque são pessoas experientes em gestão hospitalar, são empresários do ramo”, informou, em nota, Fernando Ferry.  

1,8 mil leitos

Os hospitais de campanha estaduais foram anunciados no final de março, quando o estado tinha menos de 1 mil casos confirmados de covid-19 e 23 mortes. O plano divulgado era abrir 1,8 mil leitos no estado até o fim de abril, a tempo de atender ao período mais crítico de contaminação pela doença.

Desses leitos, 1,4 mil seriam nas estruturas provisórias para as quais foi contratada a administração da organização social (OS) Iabas. A OS é a responsável pelos hospitais de campanha do Maracanã, de Duque de Caxias, de Nova Iguaçu, de São Gonçalo, de Campos dos Goytacazes, de Casimiro de Abreu e de Nova Friburgo.

08/05/2020 - Hospital de campanha, no Célio de Barros 08/05/2020 - Hospital de campanha, no Célio de Barros

O plano divulgado era abrir 1,8 mil leitos no estado do Rio com a abertura dos hospitais de campanha – Rogerio Santana/Governo do Rio de Janeiro

Irregularidades

Denúncias de irregularidades na contratação, no entanto, levaram ao afastamento do subsecretário-executivo de Saúde, Gabriell Neves, em 11 de abril. Naquela semana, blogs, jornais e TVs publicaram documentos que mostravam um contrato de R$ 835,7 milhões com a Iabas, para a implementação dos sete hospitais de campanha. Segundo as denúncias, a escolha da OS se deu sem seleção pública ou transparência. Os contratos emergenciais fechados por Neves somariam R$ 1 bilhão, já que também incluíam a compra de respiradores, máscaras e testes rápidos.

As suspeitas levaram à prisão de Neves em 7 de maio, dois dias antes da inauguração do único dos sete hospitais de campanha que está efetivamente funcionando, o do Maracanã. A prisão se deu em uma operação do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, que apurava suposta obtenção de vantagem na compra de respiradores para os hospitais de campanha. Um dia depois, o secretário de Saúde, Edmar Santos, deixou a pasta. Santos, no entanto, foi renomeado pelo governador para o novo cargo de secretário extraordinário de Acompanhamento de Ações Governamentais Integradas da Covid-19. Ontem ele deixou o governo

Na semana passada, o governador Wilson Witzel reafirmou que os hospitais de campanha prometidos serão abertos e deu as seguintes datas limites para cada uma das unidades: 27 de maio para São Gonçalo; 29 de maio para Nova Iguaçu; 1º de junho para Duque de Caxias; 7 de junho para Nova Friburgo; 12 de junho para Campos dos Goytacazes; e 18 de junho para Casimiro de Abreu.

Neves, Santos e Witzel estão entre os alvos de mandados de busca e apreensão cumpridos pela Polícia Federal na Operação Placebo. Segundo a Secretaria Estadual de Fazenda, os agentes também foram à sala cofre da sede da Sefaz-RJ, onde está localizada a base de dados do Sistema Integrado de Gestão Orçamentária, Financeira e Contábil do Rio de Janeiro (Siafe-Rio). O sistema tem informações sobre todos os pagamentos que foram efetuados pela Secretaria de Estado de Saúde.

Hospitais de campanha

Além do hospital do Macaranã, há quatro unidades de campanha em funcionamento na capital fluminense. O estado fechou parcerias com a iniciativa privada e conseguiu inaugurar em abril os hospitais de campanha do Leblon-Lagoa, na zona sul, e do Parque dos Atletas, na zona oeste. Além disso, a prefeitura do Rio de Janeiro montou um hospital de campanha no Riocentro, e a Fundação Oswaldo Cruz também construiu uma unidade em seu campus, em Manguinhos.

O atraso no cronograma de entrega dos hospitais de campanha do estado é motivo de preocupação da Secretaria Municipal de Saúde do Rio, cuja rede hospitalar é procurada por moradores de outras cidades da região metropolitana e do interior do estado. Em entrevista coletiva para tratar do enfrentamento do coronavírus, a secretária municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Beatriz Busch, disse que o atraso no cronograma estadual “é muito grave para a capacidade de saturação de leitos da prefeitura”.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

Comentários do Facebook
Continue lendo
Saúde5 horas atrás

Rio quer que iniciativa privada administre hospitais de campanha

. O governo Rio de Janeiro anunciou hoje (29) a intenção de passar para um consórcio privado a administração dos...

Estadual5 horas atrás

3ª Vara Criminal de Cachoeiro de Itapemirim realiza audiências por videoconferência

. Em cumprimento à legislação, e seguindo as medidas de distanciamento social recomendadas pelos órgãos de saúde, a audiência foi...

Estadual5 horas atrás

Psicólogos e assistentes sociais acompanham convivência em processos de adoção

. Hoje no ES, 126 crianças e adolescentes estão em processo de adoção, convivendo com seus pretendentes e sendo acompanhados...

Estadual5 horas atrás

COVID-19 | Presidente do TJES prorroga regime plantão extraordinário até 14 de junho

  . O Ato Normativo que estende o período de regime diferenciado de trabalho no âmbito do Poder Judiciário foi...

Saúde5 horas atrás

Ministério da Saúde prorroga campanha de vacinação contra gripe

. O Ministério da Saúde anunciou hoje (29) a prorrogação da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe até o dia 30 de...

Nacional5 horas atrás

Aumento de leitos causa mudança brusca em taxa de internações por Covid-19 em SP

governo de São Paulo/reprodução Capital paulista registra alívio na taxa de ocupação de UTI’s Uma grande diferença na taxa de...

Esportes6 horas atrás

Força mental pode ser ponto forte do judô brasileiro na Olimpíada

. No comando da seleção brasileira masculina de judô desde 2018, a sensei Yuko Fujii, nascida na cidade de Toyoake (Japão),...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!