conecte-se conosco


Economia

Inflação oficial do Brasil ficou em 3,75% no final de 2018

Publicado

em


O IBGE divulgou, nesta sexta-feira (11), a inflação oficial do País, que fechou o ano de 2018 em 3,75%
Pixabay

O IBGE divulgou, nesta sexta-feira (11), a inflação oficial do País, que fechou o ano de 2018 em 3,75%

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do Brasil, fechou o ano de 2018 em 3,75%. O resultado foi divulgado nesta sexta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Leia também: Dezembro tem inflação negativa e menor valor para o mês desde o Plano Real

Com o resultado de 3,75%, a inflação cumpriu, com folga, a meta estipulada pelo Banco Central (BC), que era de 4,5% com intervalo de tolerância entre 3% e 6%. Em 2017, o índice ficou em 2,95%.

O índice também ficou próximo da previsão dos analistas do mercado financeiro, que projetaram de uma inflação de 3,69% , no último relatório Boletim Focus, produzido pelo Banco Central.

Habitação, transportes e alimentos foram setores que mais impulsionaram inflação para cima


Hbitação, transportes e alimentos foram os maiores responsáveis pela inflação de 2018
Thinkstock/Getty Images

Hbitação, transportes e alimentos foram os maiores responsáveis pela inflação de 2018

De acordo com o IBGE, a inflação de 2018  foi diretamente influenciada pelos preços de produtos e serviços de habitação (alta de 4,72%), transportes (alta de 4,19%) e alimentos e bebidas (alta de 4,04%). Juntos, eles somam variação de 2,49 pontos percentuais (p.p), ou seja, foram responsáveis por 66% do IPCA do ano.

Em habitação, a principal influência veio de energia elétrica, que acumulou alta de 8,70% no ano passado. Já no setor de transportes, as maiores altas foram em passagens aéreas (16,92%), gasolina (7,24%) e ônibus urbano (6,32%). Na alimentação, as comidas para consumo em casa subiram 4,53%, enquanto a alimentação fora de casa aumentou 3,17%.

Confira a alta ou baixa nos preços de cada setor em 2018:

  • Habitação: 4,72% (0,74 p.p.)

  • Transportes: 4,19% (0,76 p.p.)
  • Alimentação e Bebidas: 4,04% (0,99 p.p.)
  • Saúde e Cuidados Pessoais: 3,95% (0,48 p.p.)
  • Educação: 5,32% (0,26 p.p.)
  • Artigos de Residência: 3,74% (0,15 p.p.)
  • Despesas Pessoais: 2,98% (0,33 p.p.)
  • Vestuário: 0,61% (0,04)
  • Comunicação: -0,09% (0 p.p.)
Leia mais:  Sem conseguir emprego, jovens com síndrome de Down abrem empresa própria


O grupo Educação também apresentou aumento (5,32%), apesar de baixa na variação (0,26 p.p). Nesse setor, os preços mais altos ficaram com os cursos regulares (5,68%).


Mais informações em instantes

Comentários do Facebook
publicidade

Economia

Dólar vai a R$ 3,90 e atinge maior valor do ano; Bovespa fecha em queda de 3,1%

Publicado

em


Dólar e Bolsa de Valores brasileira respondem à semana movimentada no âmbito político: enquanto ações perder o valor, moeda americana fica mais cara
iStock

Dólar e Bolsa de Valores brasileira respondem à semana movimentada no âmbito político: enquanto ações perder o valor, moeda americana fica mais cara

O mercado financeiro respondeu, nesta sexta-feira (22), aos acontecimentos da política brasileira na última semana. No mesmo dia em que desavenças puseram em cheque a aprovação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados e um dia depois da prisão do ex-presidente Michel Temer , o dólar e a Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, sofreram mudanças bruscas.

Enquanto a Bolsa registrou o seu pior dia desde 6 de fevereiro, terminando a tarde em queda de 3,1%, o dólar subiu 2,64% e atingiu R$ 3,90, o maior valor para a moeda desde o início deste ano. 

Dólar

A moeda norte-americana atingiu sua maior cotação do ano nesta sexta-feira (22). Vendida a R$ 3,9011, esse é o valor mais alto registrado desde 26 de dezembro do ano passado, quando encerrou o dia a R$ 3,9205.

Além disso, a alta de 2,64% também representa a maior subida diária do dólar desde 18 de maio de 2017, época em que áudios revelaram conversas do empresário Joesley Batista, da JBS, com o então presidente Michel Temer, em que ambos supostamente combinavamm entrega de propina .

Bolsa de Valores

Já o principal indicador da Bolsa de Valores paulista, a B3, também teve um dia movimentado, fechando em forte queda. Com recuo de 3,10%, a 93.735,15 pontos, ela registra, hoje, o menor patamar de encerramento desde o dia 11 de janeiro, quando atingiu 93.658 pontos. 

Apenas nessa semana, a queda acumulada é de 5,45%.

Alta no dólar e queda na Bolsa foram impulsionados por contexto político brasileiro


A prisão do ex-presidente Michel Temer e desavenças políticas quanto à reforma da Previdência estimularam a alta do dólar e a queda da Bolsa de Valores
Anderson Riedel / PR

A prisão do ex-presidente Michel Temer e desavenças políticas quanto à reforma da Previdência estimularam a alta do dólar e a queda da Bolsa de Valores

Os altos números para a moeda e grande baixa da Bolsa acontecem em meio a uma semana de incertezas dentro da política brasileira, que fizeram com que o mercado financeiro percebesse uma piora de cenário.

Leia mais:  Gastos de brasileiros no exterior caem 7,87% em julho em relação a 2017

Na quinta-feira (21), o ex-presidente  Michel Temer foi preso pela força-tarefa da operação Lava Jato no Rio de Janeiro. De acordo com a investigação, ele é o “líder de uma organização criminosa” e que se valeu de duas décadas atuando em cargos públicos para “transformar os mais diversos braços do Estado brasileiro em uma máquina de arrecadação de propinas”.

A detenção do ex-presidente teve mandado assinado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, e tem relação com irregularidades em contratos para a construção da usina nuclear de Angra 3. Segundo as investigações, o esquema criminoso envolvia pagamentos (alguns desviados, outros efetuados, e mais outros prometidos) que superam R$ 1, 8 bilhão.

No mesmo dia, a defesa de Temer entrou com um pedido de habeas corpus, que ainda não foi concedido e será analisado pelo plenário do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) na próxima quarta-feira (27) .

Além da prisão do ex-presidente, desavenças políticas influenciaram nos resutlados do mercado financeiro. Também na quinta-feira (21), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ),  ameaçou deixar a articulação política para aprovação da reforma da Previdência .

Ele teria ligado para o ministro da Economia, Paulo Guedes, depois de ler uma publicação na rede social do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) a seu respeito. Na postagem em questão,  Carlos Bolsonaro   comentou o embate entre Maia e o ministro da Justiça, Sergio Moro. Os dois divergem em relação a votação do pacote anticrime apresentado pelo ministro e Carlos se posicionou ao lado de Moro, criticando a decisão do deputado de priorizar a Previdência em detrimento do pacote.

Leia também: Flávio Bolsonaro sai em defesa de Maia e contraria opinião do irmão Carlos

Leia mais:  Carro roubado e clonado no Rio de Janeiro é apreendido em Guriri

Desde então,  Maia vem demonstrando irritação com a maneira como o governo está lidando com a tramitação da reforma da Previdência. Ele também parece descontente com a ofensiva contra ele nas redes sociais, principalmente depois das  desavenças com Sergio Moro sobre o pacote anticrime. 


Fonte: IG Economia
Comentários do Facebook
Continue lendo
São Mateus18 minutos atrás

Estação de Tratamento de Esgoto do balneário de Guriri continua sem funcionar

SÃO MATEUS (ES) – Construída há 19 anos, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Mariricu, que atenderia toda a...

Sem categoria2 horas atrás

Petrocity: Faculdade vai capacitar mão de obra para o porto

SÃO MATEUS (ES) – A Petrocity e a Faculdade Vale do Cricaré celebraram convênio para que a instituição de ensino...

Mulher2 horas atrás

Pizza sem glúten é opção que cabe na dieta; veja como preparar

Pizza combina com final de semana, encontro entre amigos ou aquele momento bate uma vontade de comer algo diferente e...

Mulher2 horas atrás

Sonha em ter cabelo volumoso? Veja 5 truques básicos que são infalíveis

Ter um cabelo volumoso e hidratado todos os dias é um sonho de consumo para a maior parte das pessoas,...

Mulher2 horas atrás

Foto de parto cesárea mostra bebê com “pose de super-herói”

Muitas crianças sonham em ser um super-herói quando crescer, mas um garotinho parece ter conseguido atingir esse sonho logo que...

Mulher2 horas atrás

Mulheres inspiradoras: corredora muda vida de mulheres da comunidade há 20 anos

“O que você está fazendo para mudar o mundo?”. Assim, de cara, a pergunta soa dura e pede uma reflexão....

Entretenimento5 horas atrás

Paolla Oliveira posa de biquíni e conscientiza seguidores: “Água é vida”

Paolla Oliveira, de 36 anos, compartilhou um registro fotográfico em sua conta do Instagram na tarde desta sexta-feira (22). De...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana