conecte-se conosco



Estadual

Iema destaca regras de uso do Arquipélago das Três Ilhas, em Guarapari

Publicado

em

O Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) está atuando em várias frentes de ação no Arquipélago das Três Ilhas, inserido na Área de Proteção Ambiental (APA) de Setiba, em Guarapari. Com a chegada do Carnaval, é importante destacar as principais atividades que são proibidas: pesca, camping e uso do fogo (churrasco e fogueira).

Como o arquipélago é uma área natural protegida, há regras de uso para garantir que a biodiversidade lá existente continue existindo. Sendo assim, durante todo o Verão, o Iema realizou diagnóstico do uso público, orientação aos visitantes, monitoramento das ilhas e monitoramento marinho, como também manejo de espécies exóticas invasoras, instalação de sinalização, manejo e manutenção de trilhas, mapeamento e avaliação do uso dos atrativos pelos visitantes e limpeza das ilhas do arquipélago.

Como grande parte da população ainda não conhece as regras de uso das Três Ilhas, o Iema alerta para as regras de uso do arquipélago, vigentes desde 2016, quando o zoneamento foi publicado. Em 26 anos de criação da APA, esta é a primeira vez que o Iema realiza uma gestão in loco, mostrando presença institucional nas ilhas, devido ao apoio do Projeto Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas (GEF Mar), do Governo Federal.

“Por isso, para a população que nunca antes tinha sido avisada que se trata de uma área protegida, o Arquipélago das Três Ilhas representa um local tradicional para ir acampar, fazer churrasco e pescar e, agora, precisamos usar nossos canais de comunicação para divulgar as regras vigentes de uso da Unidade de Conservação para garantir a conservação dessa área, mantendo seu enorme potencial de ecoturismo”, frisa a servidora do Iema, Sandra Ribeiro, responsável pelo planejamento e execução do Projeto Gef Mar no Estado.

No final do mês de janeiro, a equipe de servidores do Iema, do Parque Estadual Paulo Cesar Vinha, instalou uma placa específica sobre a área de proibição da pesca amadora e retirou, com marreta, todos os 97 suportes fixos de apoio para varas de pesca amadora, conhecidos localmente como “preguiçoso”.

Proibição de pesca

A área de proibição de pesca abrange o polígono que engloba as ilhas de Gurarema, Leste-Oeste, Guanchumbas, Cambaião e Quitongo, iniciando a uma distância de 100 metros de cada uma dessas ilhas. “Nessa faixa, todos os tipos de pesca amadora são proibidos, desde a pesca subaquática, pesca com linha de mão, vara ou molinete, realizadas a partir do costão rochoso ou de embarcações, incluindo a modalidade de pesque e solte”, frisa Sandra Ribeiro.

A intenção de restringir a pesca amadora nessa área é garantir um espaço que sirva de criadouro natural, onde os indivíduos possam crescer, se reproduzir e repovoar tanto o Arquipélago das Três Ilhas quanto as ilhas e dos demais habitats do entorno.

“Isso garante a conservação das espécies e a sustentabilidade da pesca artesanal local e das atividades de turismo ecológico sustentável, cujo principal ativo é a diversidade biológica e a beleza cênica do local”, explica Sandra Ribeiro.

Ela ressalta, ainda, que todos os visitantes são muito bem-vindos para desembarcar e conhecer as ilhas do Quitongo, Cambaião e Guararema, tomar banho de mar, relaxar e curtir a tranquilidade da natureza. “Muitos visitam as Três Ilhas para conhecimento da biodiversidade marinha, por meio da prática do snorkeling e do mergulho contemplativo”, comenta a responsável pelo Projeto Gef Mar no Estado.

Para mais informações sobre o zoneamento ambiental da APA de Setiba, clique: https://iema.es.gov.br/APA_Setiba

 – Saiba quais são as atividades proibidas no Arquipélago das Três Ilhas:

– Tocar e coletar organismos marinhos;

– Pesca amadora (molinete, linha de mão, caça-subaquática), inclusive a modalidade de pesque e solte;

– Jogar lixo;

– Cortar a vegetação;

– Som (música) tanto nas embarcações quanto nas ilhas do arquipélago.

– Acampamento:  Corte de vegetação para abertura de clareiras para colocar as barracas de camping. Além da destruição da vegetação nativa, as clareiras favorecem a proliferação das gramíneas exóticas invasoras e a erosão do solo, que fica exposto e é carreado para o mar, especialmente quando o terreno apresenta declividade. Nas Três Ilhas, a faixa de solo é muito fina, por isso sua perda é crítica e representa um impacto significativo para o ecossistema local. 

– Falta de banheiros: As pessoas devem ter consciência da falta de banheiros nas Três Ilhas, ficando proibidas as necessidades fisiológicas na unidade de conservação, pois causa mau cheiro e poluição do local.

– Uso do fogo e churrasco:  Aumenta o risco de incêndio. Em janeiro de 2014, perdeu-se o controle do fogo de uma churrasqueira. Devido às rajadas de vento, toda vegetação da Ilha do Cambaião foi queimada. Com a queima da vegetação nativa, houve grande proliferação das espécies exóticas invasoras (gramineias e piteiras).

– Restos de comida: Descarte de resto de carnes e demais alimentos atrai grande quantidade de urubus, que pode estar competindo por espaço (para ninhos) com as espécies nativas.

– Pesca amadora: A captura de grande quantidade de peixes recifais, na maioria das vezes juvenis, já que a área é um berçário, provoca redução da população e contribui para o declínio populacional de muitas espécies.

A partir do trabalho do Iema, iniciado em 09 de janeiro de 2020, foi possível realizar:

–  Retirada de seis áreas de camping selvagem (campings irregulares), que apresentam capacidade para cerca de 45 barracas;

– Diversas áreas de fogueira feitas diretamente nas pedras, inclusive com restos de carvão, conhecida localmente como “fogão”; 

– Retirada de 97 estruturas fixas de suporte para sustentar vara de pesca (pesca amadora), conhecidos como “preguiçoso”.

Fonte: Governo ES

Comentários do Facebook

Estadual

Tribunal de Justiça inicia recuperação de processos atingidos pelas chuvas em Iconha

Publicado

em

Mais de 700 processos serão higienizados por meio do trabalho solidário e gratuito da empresa Pró-memória. Os processos serão devolvidos semanalmente para a Comarca.

O Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) já iniciou a recuperação dos processos que foram afetados pelas chuvas que atingiram a Comarcaa de Iconha no mês de janeiro. Mais de 700 processos serão limpos e higienizados graças ao trabalho solidário e gratuito de empresa Pró-memória Serviços Ltda.

O contrato entre o Tribunal de Justiça e a empresa foi firmado no último dia 10/02, e os trabalhos tiveram início no dia seguinte (11/02), com o recolhimento dos processos que precisavam ser recuperados.

O coordenador de Gestão da Informação Documental do TJES, Fábio Buaiz de Lima, explicou que o trabalho consiste na secagem, higienização das folhas, uma a uma, com uso de material apropriado, e remontagem dos processos, com colocação de capa plástica e colchetes novos, que serão fornecidos pelo Tribunal de Justiça.

De acordo com o Contrato, disponibilizado no Diário da Justiça no dia 12/02, o prazo para a execução dos serviços é de 100 dias, mas os processos que já estiverem prontos retornarão para a Comarca de Iconha semanalmente.

O acompanhamento do serviço será feito pelo coordenador da Gestão da Informação Documental e pelo arquivologista do TJES Adelair de Mattos Dutra, que também foi o servidor responsável pela visita técnica ao Fórum de Iconha logo após a enchente que atingiu o município, provocando danos aos processos que precisaram ser recuperados.

Vitória, 21 de fevereiro de 2020

 

 

Informações à Imprensa

Assessoria de Imprensa e Comunicação Social do TJES
Texto: Elza Silva | [email protected]

Maira Ferreira
Assessora de Comunicação do TJES

[email protected]
www.tjes.jus.br

Fonte: TJES

Comentários do Facebook
Continue lendo
Nacional19 minutos atrás

Sábado de carnaval será chuvoso e frio em São Paulo

arrow-options Antonio Cruz/Agência Brasil Carnaval será chuvoso Apesar da grande expectativa para o feriado, o carnaval da capital paulista será...

Versão Impressa4 horas atrás

FA 1136 / 22 DE FEVEREIRO DE 2020

Comentários do Facebook

Estadual6 horas atrás

Tribunal de Justiça inicia recuperação de processos atingidos pelas chuvas em Iconha

Mais de 700 processos serão higienizados por meio do trabalho solidário e gratuito da empresa Pró-memória. Os processos serão devolvidos...

Estadual6 horas atrás

Juízes e servidores são eleitos para o Comitê Gestor Orçamentário de Atenção ao Primeiro Grau

Por meio do Ato nº 57/2020, o presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, desembargador Ronaldo Gonçalves de Sousa,...

Estadual6 horas atrás

Servidores de Vila Velha e Vitória participam de treinamento sobre o uso de sistema administrativo

Atualmente, os procedimentos administrativos do Poder Judiciário Estadual tramitam no SEI, sistema que gera economia de tempo e recursos públicos....

Política7 horas atrás

Em meio a motim de militares no Ceará, Moro vai visitar o estado

arrow-options Carolina Antunes/PR Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro Os ministros Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) e...

Saúde7 horas atrás

Coronavírus: governo monitora navios que estão na costa brasileira

O governo brasileiro tem monitorado os navios que circulam na costa brasileira para evitar a entrada do coronavírus no país....

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana