conecte-se conosco


Nacional

Homem arma emboscada, espanca e enforca companheira em SP

Publicado

em

Mulher foi agredida pelo companheiro em Eldorado — Foto: G1 SantosMulher foi agredida pelo companheiro em Eldorado — Foto: G1 Santos

Uma esteticista de 27 anos foi brutalmente espancada pelo companheiro, de 36, que armou uma emboscada dentro de casa, em Eldorado, no interior de São Paulo. Em entrevista ao G1 neste domingo (10), a mulher, que prefere não se identificar, revelou que esta não é a primeira vez que é agredida pelo homem e que eles haviam voltado a se relacionar há cinco meses.

Segundo ela, o homem sempre foi violento e queria ter o controle de tudo o que ela fazia. A confusão começou em uma festa, enquanto eles estavam com alguns amigos. Em determinado momento, uma colega brigou com o marido e o casal foi levá-la para a casa. A esteticista não quis deixá-la sozinha em sua residência e pediu para o companheiro ficar também, mas ele se recusou e foi embora.

Ambas decidiram ir para a casa da mãe da amiga e, no meio do caminho, encontraram o agressor. “Ele já estava alterado e começou a me chamar para pegar a bolsa que estava no veículo. Quando fui pegar, ele me deu um soco na boca, começou a me xingar e saiu”, conta. Após a violência, ela decidiu ir para a casa da mãe, para não encontrá-lo.

“Como é caminho, passei em frente a minha residência e o carro não estava lá. Então, achei que ele não estava. Aí eu entrei para pegar a chave da casa da minha mãe e ele fingiu que estava dormindo. Quando acendi a luz e vi que ele estava, tentei sair, mas quando virei, ele me pegou de costas. Me derrubou no chão e sentou em cima das minhas pernas, segurando meu braço com uma mão. Com a outra, ele deu muitos socos no rosto. Ele também soltava o meu braço e me enforcava”.

Mulher foi agredida pelo companheiro em Eldorado — Foto: G1 SantosMulher foi agredida pelo companheiro em Eldorado — Foto: G1 Santos

Leia mais:  MPF diz que é favorável à venda do sítio em Atibaia após pedido de Bittar

A mulher ficou com hematomas em várias partes do corpo, além do rosto. Ela ainda conta que havia um familiar do homem na casa, que não fez nada. O caso foi registrado na Delegacia Sede de Eldorado como violência doméstica e uma medida protetiva foi expedida contra o agressor.

A esteticista conta que ele mandou mensagem pedindo para que ela retirasse a queixa. “Ele não podia falar comigo porque já tinha a medida protetiva. O que ele fez não foi só agressão, ele ia me matar. Eu tenho medo dele, acho que ainda pode vir atrás de mim. Pode demorar, mas ele ainda virá atrás”.

A outra agressão

A primeira agressão ocorreu há aproximadamente um ano e meio. Na época, eles estavam separados e o agressor a encontrou em uma praça da cidade e teve uma crise de ciúmes. “Ele me deu um tapa no rosto e me pegou pelo pescoço”. Ela também registrou o caso e solicitou a medida protetiva, mas pediu a retirada com a volta do relacionamento.


(*G1)

Comentários do Facebook
publicidade

Nacional

Federalização do caso Marielle deve ser votada ainda este ano

Publicado

em

source
Marielle arrow-options
Agência Brasil

Os ministros do STJ tendem levemente em manter caso na esfera estadual, mas a corte continua dividida.

A federalização da investigação do caso Marielle deve ser votada nas próximas semanas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A decisão deve ocorrer em 27 de novembro, próxima sessão da corte e penúltima do ano, ou em 11 de dezembro, a última antes do recesso do STJ.

Leia também: Jovem é morto com 50 tiros de fuzil na fronteira com o Paraguai

A corte, composta por 10 ministros, terá que decidir se as investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes serão entregues à Polícia Federal (PF) e ao Ministério Público Federal (MPF) – federalização do caso – ou se seguirão com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) e a Polícia Civil.

Os ministros do STJ afirmaram ao jornal O Globo  que a corte está dividida, mas com leve tendência de manter o caso em nível estadual.  Os ministros que apoiam essa decisão, acreditam que a troca do órgão responsável pela investigação atrasaria o caso, que já dura um ano e oito meses. 

Leia também: Navio suspeito de derramamento de óleo voltará ao litoral brasileiro esta semana

Já os que defendem a federalização do caso Marielle acreditam que a esfera federal teria mais recursos para encontrar o(s) suposto(s) mandante(s) dos assassinatos, principalmente se esse(s) tiverem foro privilegiado.

Comentários do Facebook
Leia mais:  Filho é preso após tentar decepar mão de mulher por causa de jantar
Continue lendo
Esportes2 horas atrás

Coluna – Paradesporto militar: um resgate histórico

Durante uma semana 19 militares, alguns reformados, mas outros ainda na ativa apesar de terem algum tipo de deficiência, participaram...

Estadual4 horas atrás

Mulher deve ser indenizada após ganhar festival de música e não receber prêmio

A premiação era a gravação de um CD com a reprodução de mil cópias. Uma moradora de Linhares deve receber...

Estadual4 horas atrás

Projeto “Mulher Superando o Medo” será lançado na abertura da 15ª Semana Justiça pela Paz em Casa

Programa tem o objetivo promover a paz, prevenção, resolução de conflitos e inclusão, por meio de ações psicossociais de combate...

Política4 horas atrás

Deputados repercutem chuva que atinge o Espírito Santo

A chuva que atinge o Espírito Santo nos últimos dias foi assunto repercutido por deputados na sessão ordinária desta segunda-feira...

Política5 horas atrás

Fachin abre inquérito para investigar compra de apoio a Cunha

arrow-options Divulgação/TSE – 4.9.18 Edson Fachin é o relator da Lava Jato no STF O ministro Edson Fachin, do Supremo...

Política5 horas atrás

Guedes chamou Sergio Moro para ministério antes do 2º turno, afirma Bebianno

arrow-options Agencia Brasil Bebianno duvidou que Moro assumiria o cargo, mas afirma ter apoiado a escolha. Antes de Jair Bolsonaro...

Política5 horas atrás

Decisão de Toffoli sobre Coaf paralisa 935 investigações, diz Ministério Público

arrow-options Marcelo Camargo/ABr Presidente da Corte suspendeu investigações após pedido de Flávio Bolsonaro Um levantamento inédito do Ministério Público Federal...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana