conecte-se conosco


Internacional

Grupo de Lima pede libertação de presos políticos na Venezuela

Publicado

em

Em declaração conjunta divulgada nesta sexta-feira (8) em Brasília, os países que integram o Grupo de Lima pediram a imediata libertação dos presos políticos da Venezuela e reiteraram que somente o pleno restabelecimento da democracia “permitirá vencer a crise política, econômica, humanitária e de direitos humanos” no país.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, aompanhado do deputado presidente da comissão, Evair de Melo, participa do lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio Internacional e do Investimento.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo – Fabio Rodrigues Pozzebom/Arquivo/Agência Brasil

No final da reunião, o chanceler Ernesto Araújo agradeceu a contribuição “importantíssima” dada pela Argentina ao Grupo de Lima. Em uma referência à reunião do Brics, marcada para a próxima semana em Brasília, o ministro das Relações Exteriores disse esperar que os países que integram o bloco (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) possam “perceber de maneira mais profunda qual é a realidade do sofrimento do povo venezuelano”. O chanceler acrescentou desejar que os demais países do Brics “possam ser parte da solução desse problema”.

O Grupo de Lima – composto atualmente, além do Brasil, por Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Guiana, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru, Santa Lúcia e Venezuela – é o principal fórum regional de discussão sobre a crise venezuelana e de articulação de posições comuns dos países-membros em fóruns internacionais. Esta foi a primeira reunião do grupo realizada no Brasil.

Oposição venezuelana

O Grupo de Lima reiterou o apoio ao presidente da Assembleia Nacional da Venezuela e líder da oposição no país, Juan Guaidó. Em janeiro deste ano, Guaidó autoproclamou-se presidente interino da Venezuela e foi reconhecido como “presidente interino”, por vários países, incluindo os Estados Unidos e o Brasil.

Segundo o documento, diante da ausência de condições adequadas para a realização de eleições livres, o grupo apoia o acordo aprovado pela Assembleia Nacional em 17 de setembro, que ratifica a rota política proposta como saída para a crise e estabelece a permanência de Guaidó na presidência do país após 5 de janeiro de 2020 “e até o fim da usurpação e a realização de eleições presidenciais livres, justas, transparentes e com observação internacional”.

Leia mais:  Responsável por construção de prédios que caíram na Muzema é preso em Pernambuco

De acordo com a declaração, os países do Grupo de Lima decidiram renovar e ampliar os esforços conjuntos para expor e denunciar, em todos os foros multilaterais e regionais, “a situação produzida pelo regime ilegítimo de [Nicolás] Maduro”.

Migrantes e refugiados

O grupo decidiu também cooperar para apresentar à comunidade internacional a gravidade da situação econômica, política e humanitária na Venezuela, como, por exemplo, “recolhendo testemunhos de migrantes e refugiados venezuelanos sobre violações de direitos humanos naquele país”.

O documento condena os “vínculos explícitos do regime Maduro com grupos armados à margem da lei e com organizações terroristas”, assim como a proteção outorgada à presença de membros de grupos armados ilegais, que encontraram em território venezuelano “um santuário” para a realização de suas atividades terroristas e criminais.

Por fim, a declaração anuncia a intenção de convocar uma conferência internacional com o acompanhamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento, à margem de sua assembleia geral que se celebrará em março de 2020, em Barranquilla, Colômbia, para apoiar os esforços do legítimo governo de Juan Guaidó para implementação do “Plan País”, concebido para resgatar a Venezuela da grave crise econômica e do colapso social.

Edição: Nádia Franco

Comentários do Facebook
publicidade

Internacional

Mulher forja gravidez para esconder 4kg de maconha

Publicado

em

Falsa grávida levando mais de 4 quilos de maconha Foto: Reprodução/Twitter(Patricia Bullrich)

O bebê que uma mulher carregava no ventre em viagem de ônibus de Mendoza e Santa Cruz (Argentina) pesava 4 quilos. E não era exatamente um bebê, mas pacotes de maconha prensada. A mulher simulou uma barriga compatível ao nono mês de gravidez para traficar a droga. Acabou descoberta em uma blitz em rodovia na última quinta-feira (14/11).

Fotos do caso foram postadas no Twitter por Patricia Bullrich, ministra de Segurança Pública da Argentina. Ela classificou o episódio como “narcogravidez”.

A falsa grávida foi presa em flagrante juntamente com um homem que a acompanhava na viagem. Os dois tem nacionalidade argentina, mas não tiveram as identidades reveladas.

Falsa grávida parada em blitz em rodovia argentina
Falsa grávida parada em blitz em rodovia argentina Foto: Reprodução/Twitter(Patricia Bullrich)
Falsa barriga de grávida levava mais de 4 quilos de maconha
Falsa barriga de grávida levava mais de 4 quilos de maconha

“Narcogravidez! Ela fez uma barriga com cola, escondeu 15 pacotes de maconha e simulou uma gravidez, tentou levá-los de Mendoza a SantaCruz. No controle da polícia prendemos a falsa mulher grávida e o seu cúmplice”, explicou a ministra na rede social.

Comentários do Facebook
Leia mais:  Responsável por construção de prédios que caíram na Muzema é preso em Pernambuco
Continue lendo
Esportes1 hora atrás

Coluna – Paradesporto militar: um resgate histórico

Durante uma semana 19 militares, alguns reformados, mas outros ainda na ativa apesar de terem algum tipo de deficiência, participaram...

Estadual3 horas atrás

Mulher deve ser indenizada após ganhar festival de música e não receber prêmio

A premiação era a gravação de um CD com a reprodução de mil cópias. Uma moradora de Linhares deve receber...

Estadual3 horas atrás

Projeto “Mulher Superando o Medo” será lançado na abertura da 15ª Semana Justiça pela Paz em Casa

Programa tem o objetivo promover a paz, prevenção, resolução de conflitos e inclusão, por meio de ações psicossociais de combate...

Política3 horas atrás

Deputados repercutem chuva que atinge o Espírito Santo

A chuva que atinge o Espírito Santo nos últimos dias foi assunto repercutido por deputados na sessão ordinária desta segunda-feira...

Política4 horas atrás

Fachin abre inquérito para investigar compra de apoio a Cunha

arrow-options Divulgação/TSE – 4.9.18 Edson Fachin é o relator da Lava Jato no STF O ministro Edson Fachin, do Supremo...

Política4 horas atrás

Guedes chamou Sergio Moro para ministério antes do 2º turno, afirma Bebianno

arrow-options Agencia Brasil Bebianno duvidou que Moro assumiria o cargo, mas afirma ter apoiado a escolha. Antes de Jair Bolsonaro...

Política4 horas atrás

Decisão de Toffoli sobre Coaf paralisa 935 investigações, diz Ministério Público

arrow-options Marcelo Camargo/ABr Presidente da Corte suspendeu investigações após pedido de Flávio Bolsonaro Um levantamento inédito do Ministério Público Federal...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana