conecte-se conosco



Mulher

Gosta da cor amarela? Essa mulher a transformou em seu estilo de vida

Publicado

em

Já imaginou se tudo na sua vida tem uma única cor? Para a influenciadora Kitten Kay Sera
 , por exemplo, o mundo é cor-de-rosa. Já a britânica Ella London decidiu transformar a cor amarela em  estilo de vida
 . A jovem não passa um dia sequer sem um toque amarelado no visual e, inclusive, se intitula “Miss Sunshine”, ou “Senhorita Luz do Sol” em português. 


Ella London transformou a cor amarela em um estilo de vida e usa apenas esse tom para escolher roupas e acessórios
Reprodução/Instagram/ellalondon
Ella London transformou a cor amarela em um estilo de vida e usa apenas esse tom para escolher roupas e acessórios

“Para mim,  a cor amarela
é a única que existe no mundo”, diz Ella em entrevista ao “Yahoo Lifestyle. “Tudo na minha vida que posso tornar amarelo, eu faço.” E, acredite, o sentido de “tudo” nesta frase é literal. Roupas (que são organizadas de tonalidades mais claras para as mais escutas, o que ela chama de “um arco-íris amarelo”), acessórios, sapatos, maquiagem, esmalte e até o carro seguem essa paleta de cores. 

Atualmente, Ella mora em Los Angeles, nos Estados Unidos, e trabalha como editora e influenciadora
. Ela conta que começou a “obsessão” por amarelo em 2012  e, desde então, não passou nenhum dia sem usar tonalidade de alguma forma. 

A ideia surgiu quando estava prestes a se casar e, entre os preparativos, decidiu que queria fazer uma homenagem
ao pai, que havia morrido dois meses antes da cerimônia. “Um dia meu noivo disse: ‘A cor preferida do seu pai não era amarelo?’ Depois disso, não teve mais volta. Esse foi o começo da minha jornada por essa estrada de tijolos amarelos”, conta. 

A cor amarela se tornou mais do que uma homenagem


Ella London começou a usar apenas a cor amarela como uma forma de homenagear o seu pai, mas levou essa 'obsessão' além
Reprodução/Instagram/ellalondon
Ella London começou a usar apenas a cor amarela como uma forma de homenagear o seu pai, mas levou essa ‘obsessão’ além

Apesar da cor tão brilhante ter tomado conta de sua vida, Elle conta que teve depressão em 2016. “Foi algo muito difícil de lidar porque todos sempre me viam como uma pessoa feliz”, lembra. Foi a partir disso que ela decidiu focar em projetos nas redes sociais, para mostrar como é “a vida iluminada” e ajudar outras pessoas que estejam sofrendo com questões psicológicas
 . 

Com pouco mais de 5 mil seguidores no Instagram, ela ainda está começando a vida de influenciadora, mas espera que o pai, Terry, esteja orgulhoso, porque ela não acha que esse estilo de vida vá mudar tão cedo. 

“Eu me comprometi com isso e estou apenas vivendo a minha vida. Essa foi a forma que encontrei de me conectar com o meu pai e sentir que ele ainda faz parte da minha vida. Eu vivo na cor amarela
e, por causa disso, vivo momentos iluminados”, finaliza. 

Comentários do Facebook

Mulher

Mãe não deixa marido vê-la nua há seis anos por medo dele sentir nojo

Publicado

em

source

Não é fácil lidar com as transformações do corpo após a maternidade. A australiana Jessica Hood sabe bem como é isso. Em relato ao site Mamamia , ela conta sobre as dificuldades que enfrenta desde que o primeiro filho nasceu – Jessica é mãe de quatro. Desde então, há seis anos, ela nunca mais deixou seu marido vê-la nua.

Leia também: Contra os padrões de beleza, mãe fala sobre aceitação do corpo na gravidez

jessica hood e marido arrow-options
Reprodução/Instagram

Jessica relata que, embora já tenham quatro filhos, não deixa que o marido a veja completamente nua por ter vergonha do próprio corpo

A mãe fala que trabalha diariamente para aceitar seu corpo cada vez mais. No entanto, tem medo de o marido não a aceitar. “Eu sei que isso o machuca, mas a questão não é ele, sou eu. Ele me diz o tempo todo que não se importa, mas e se mudar de ideia quando realmente me ver? Minha barriga flácida, minhas estrias, minha celulite…”, relata.

mulher com estrias no corpo arrow-options
Reprodução/Instagram

Jessica fala que luta diariamente para aceitar as mudanças no corpo após a maternidade

Jessica ainda fala sobre o medo de encarar as transformações do tempo. “Eu não sou mais a menina que era quando nos conhecemos. Na verdade, eu não sou uma menina, eu sou uma mulher. Uma mulher que perdeu sua identidade, seu brilho e seu corpo tonificado quando se tornou mãe”.

Leia também: Como lidar com a vergonha do corpo na hora do sexo? Delas responde

Todas essas questões esbarram na vida sexual do casal que, segundo ela, até existe, mas desde que o sexo seja no escuro. “Nós nunca tomamos banho juntos. Eu nunca me visto na frente dele”, diz.

“Eu odeio o mundo cruel em que vivemos”, completa. Jessica finaliza dizendo que nunca imaginou enfrentar todas essas as mudanças físicas e mentais que a maternidade impõe às mulheres, mas que continua sendo honesta e lutando para se sentir melhor.

Fonte: IG Mulher

Comentários do Facebook
Continue lendo

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana