conecte-se conosco



Entretenimento

“Game of Thrones” volta com tensão e Jon Snow pressionado por todos os lados

Publicado

em

Muita coisa aconteceu em “Winterfell”, episódio que abre a temporada final de “Game of Thrones”. Com duração de 54 minutos, o episódio terminou com um doloroso reencontro entre Bran (Isaac Hempstead Wright) e Jaime (Nicolaj Coster-Waldau). Foram muitos reencontros (Sansa e Tyrion, Arya e Jon, Bran e Jon, etc) e muitas deferências simbólicas ao primeiro episódio da série, também ambientado em Winterfell e chamado “The Winter is Coming”.


cena de game of thrones
Divulgação

Estreia da oitava temporada foi marcada por reencontros e desenvolvimentos dramáticos

Inegavelmente todos os os holofotes estão em Jon Snow
(Kit Harington), que retorna para o Norte ao lado de Daenerys (Emilia Clarke) e enfrenta resistência. “Os nortenhos não confiam em estrangeiros”, observa o próprio a rainha Targaryen antes de ser questionado por Lady Mormont (Belle Ramsey) sobre seu status agora que entregou o Norte. 

Leia também: Um ranking de todas as temporadas de “Game of Thrones”, da melhor para a pior

Mas isso não foi tudo. Jon montou um dragão, namorou Daenerys um pouco mais e descobriu que é Aegon Targaryen, o legítimo herdeiro do trono de ferro. “Você renunciou ao trono por ela. Ela faria o mesmo?”, indaga um inquieto e aflito Sam Tarly (John Bradley), que pouco antes descobrira que a rainha que Jon imagina “justa e essencial para vencer o exército dos mortos” executara inclementemente seu pai e irmão. 

Não é uma pergunta fácil de responder. Principalmente para Jon Snow que em outros dois momentos foi tensionado com questões por suas irmãs. Arya (Maise Williams) observou que “está sempre do lado da família” e rogou que Jon não se esquecesse disso. Enquanto que Sansa (Sophie Turner) quis saber se ele “dobrou o joelho” para Dany “para salvar o Norte ou porque está apaixonado por ela”. 

via GIPHY

Ao oferecer respostas, “Game of Thrones”
trabalha com mais dúvidas. Sempre foi assim e não parece deixar de ser o caso conforme a trama avança para seu final. O ritmo, porém, é muito mais acelerado.

Se Tyrion (Peter Dinklage), Lorde Varys (Conleth Hill) e Sor Davos (Liam Cunningham) ensaiam a formalização de uma aliança – a química entre Jon e Dany é inescapável – para depois de um eventual vitória sobre o Rei da Noite com um casamento, o receio das mulheres Stark pode está mais compatível com a velocidade dos acontecimentos. 

Ciente da verdade, como procederá Jon Snow? A tendência é que prefira manter sigilo a respeito de seu passado para não pôr em risco a aliança contra o Rei da Noite. Todavia, outra teoria ganha tração com os desenvolvimentos de “Winterfell”. Ao preferir que o “melhor amigo” de Jon desse a notícia para ele, Bran deixou que alguém nitidamente sobre forte impacto emocional atuasse sobre aquelas circunstâncias já suficientemene desestabilizadoras.

Seria mesmo ele o Rei da Noite? Continua uma tese improvável e muito folclórica dentro da estruturação da série, mas justificaria a maneira como as coisas se desenrolaram. A ver!

Uma rainha agoniada

Enquanto isso em King´s Landing, Cersei (Lena Headey) se viu na necessidade de fazer mais concessões a Euron Greyjoy (Johan Philip Asbaek) do que gostaria. Mas apenas depois de consumar carnalmente sua aliança com o Rei das Ilhas de Ferro, que ela se sentiu liberada para perseguir sua “justiça poética” contra os “irmãos traidores” e escalou Bronn (Jerome Flynn) para garantir isso, caso o Rei da Noite falhe.

Fato é que a chegada da companhia dourada deu muito menos alívio do que a atual ocupante do trono de ferro esperava.

“Nada dura para sempre”


cena de game of thrones
Divulgação

Daenerys e Jon Snow em cena do primeiro episódio do oitavo ano de Game of Thrones

Uma fala de Lorde Varys
é especialmente emblemática. Nada dura para sempre e as alianças neste momento em Westeros parecem todas por um triz. Daenerys nunca esteve tão impaciente e Jon parece ter mais expectativas para equalizar do que parece dar conta. Enquanto isso, o Rei da Noie ruma com seu exército que não morre e não para. 

“Game of Thrones”
não dá pistas de que vá aliviar para seus personagens, apesar de alguns bons momentos cômicos nessa season premiere, tampouco deixar sua imensa audiência respirar. 

Comentários do Facebook

Entretenimento

Além de “Madeleine”, outras cinco séries que narram crimes reais

Publicado

em


source

Treze anos depois,  a polícia alemã identificou um novo suspeito  pelo desaparecimento de Madeleine McCann . Com o novo desdobramento no caso, a procura pela série da Netflix que conta os bastidores das investigações do crime, que aconteceu em 2007, aumentou. Se você gosta de casos reais e tem estômago para saber em detalhes várias barbaridades que já aconteceram no mundo criminal, vai querer maratonar também essas produções:

Leia também:
O mundo era outro quando “Chocolate com Pimenta” estreou
Confira 8 produções para entender mais sobre o racismo
A luta antirracista narrada em 5 livros de autores negros

“The Trials of Gabriel Fernandez”


Em “The Trials of Gabriel Fernandez”, ou “Os Julgamentos de Gabriel Fernandez ” em português, a Netflix apresenta um relato completo e documentado do que aconteceu com o garoto, de origem latina, que vivia em Palmdale, norte de Los Angeles, EUA.

Através dos seis episódios, o documentário detalha as investigações feitas por assistentes sociais do país, que acabaram descobrindo que a criança sofria constantemente com abusos domésticos antes de ser morto pela mãe e pelo padastro, que desconfiavam da sexualidade do menino.

“Investigação Criminal”


A produção mostra como delegados, peritos e legistas conseguiram encontrar respostas para crimes que abalaram o Brasil. Entre eles, estão casos como os de Isabella Nardoni, Suzane Von Richthofen , Eloá, Maníaco do Parque, João Hélio, Farah Jorge Farah, Caroline Silva Lee, do serial killer de Itaquaquecetuba, do crime da Rua Oscar Freire e vários outros.

Produzidas pela  A&E  e antes disponíveis na Netflix , as nove temporadas, totalizando mais de 70 espisódios, estão agora no  Looke , serviço de streaming brasileiro.

“Conversando com um serial killer”


Ted Bundy foi um dos serial killers mais emblemáticos dos Estados Unidos. Nos anos 1970, ele foi responsável pelo assassinato brutal de dezenas de mulheres. Mesmo 50 anos depois, ele ainda desperta fascínio e espanto no público.

Produzida pela Netflix em 2019, a série reúne uma série de entrevistas atuais com policiais, jornalistas, advogados e até amigos de Ted, materiais de arquivo e gravações de áudio que traçam o perfil do criminoso. Os quatro episódios de “Conversando com um serial killer” estão disponíveis no serviço de streaming.

“Gênio do Mal: A Verdadeira História do Assalto a Banco Mais Diabólico da América”


Em 2003, nos Estados Unidos, um entregador de pizza entrou num banco com uma bomba em seu corpo e uma estranha bengala. Após anunciar o assalto, vem a parte mais assustadora da história: o homem simplesmente explodiu.

A série documental produzida e disponível na Netflix  explora o que há por trás do misterioso caso do ” pizza bomber “, como veio a ser chamado. A história real deixou muitas dúvidas – Ele estava por trás do roubo? Era a vítima? O que deveria fazer? Com um minucioso trabalho de pesquisa e acervo, a produção tenta solucionar algumas destas questões.

“Marielle – O Documentário”


A série documental conta a vida e a morte da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco , e de seu motorista, Anderson Gomes , em um atentado em 2018. Até hoje, o crime não foi solucionado e o culpado está impune.

Original Globoplay , a produção registra momentos íntimos da vida da vereadora e do motorista, construíndo uma narrativa até o assassinato da dupla. São seis episódios, que variam entre 45 e 60 minutos, compostos por entrevistas com os familiares das vítimas, policiais, jornalistas que cobriram o caso, procuradores e autoridades políticas e outros materiais inéditos.

Fonte: IG GENTE

Comentários do Facebook
Continue lendo

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!