conecte-se conosco


Direto de Brasília

EUA querem que Grupo de Lima imponha sanções contra Maduro

Publicado

em


Líderes regionais lado a lado na reunião do Grupo de Lima em fevereiro
Divulgação/Twitter – @jguaido
Em fevereiro, Juan Guaidó participou da reunião do Grupo de Lima que falou sobre Maduro

Diante da falta de resultados definitivos na ofensiva da oposição venezuelana contra o governo do presidente Nicolás Maduro, o Grupo de Lima, formado por 13 países das Américas, voltará a se reunir nesta segunda-feira (15) em Santiago, no Chile, sob forte pressão da Casa Branca. Três dias antes do encontro de chanceleres da região, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, foi recebido pelo presidente chileno, Sebastián Piñera, no Palácio de la Moneda.

Leia também: Venezuela corta sinal de canal de televisão da Alemanha

Pompeo foi também a Peru, Paraguai e Colômbia, com dois objetivos claros: saber até onde estão dispostos a chegar os governos latino-americanos na cruzada contra Maduro
e exigir ações mais contundentes, entre elas a aplicação de sanções contra funcionários e ex-funcionários chavistas acusados de terem cometido violações dos direitos humanos e de envolvimento em corrupção, narcotráfico e lavagem de dinheiro.

Segundo a imprensa chilena, Pompeo disse a Piñera que seu país, em sintonia com os governos do continente, não apoia uma intervenção militar em território venezuelano. No entanto, em entrevista ao canal de TV Mega
do Chile, o chefe da diplomacia americana enfatizou que “deixamos claro que nossa meta é convencer Maduro de que é hora de partir. Vamos deixar todas as opções sobre a mesa”.

Perguntado sobre uma eventual operação militar, Pompeo a considerou justificada, lembrando que  militares russos estão na Venezuela
treinando as Forças Armadas locais, base de sustentação de Maduro. “É uma hipocrisia quando nações da Organização de Estados Americanos (OEA) ou do Grupo de Lima
são acusadas de intervir na Venezuela quando os russos têm tropas lá e, mais ainda, quando se tem um Estado (o venezuelano) que há muito tempo foi entregue por questões de segurança aos cubanos”, disse ele.

Leia mais:  TRF-4 nega pedido de Lula para retirar delação de Palocci de ação da Lava Jato

Os EUA e o Grupo de Lima, do qual o Brasil faz parte, lideraram em janeiro o movimento de reconhecimento do presidente da Assembleia Nacional venezuelana, Juan Guaidó
, como “presidente interino” da Venezuela
. Mais de 50 países consideram ilegítimo o novo mandato de Maduro, iniciado em 10 de janeiro, com o argumento de que o pleito em que ele foi reeleito não teve garantias de participação democrática. No entanto, apesar das pressões diplomáticas e das sanções dos EUA — que em janeiro atingiram as exportações de petróleo —, Maduro se mantém no poder.

Decepção da oposição

A oposição venezuelana, segundo fontes da Assembleia Nacional próximas a Guaidó, está decepcionada pelo que considera a “inação” do continente. Com a opção militar fora de cogitação por falta de consenso, os opositores de Maduro querem que o cerco seja reforçado. Mas nenhum país da América do Sul implementou sanções. Segundo uma fonte, é hora de atuar com firmeza a despeito das limitações, como leis nacionais e a relação comercial com a China, que ajuda a sustentar o presidente chavista.

Especula-se que sanções são o que Pompeo pediu a Chile, Peru, Colômbia e Paraguai. O cenário será discutido hoje pelos chanceleres do Grupo de Lima, incluindo o brasileiro Ernesto Araújo. Para o Brasil, não é simples aplicar sanções, técnica ou diplomaticamente, assim como para muitos outros países da região. Mas os EUA vão redobrar as pressões.

Uma fonte chilena, que acompanhou o encontro de Pompeo com Piñera, disse que os EUA pedirão mais ação no terreno financeiro e a adoção de medidas que limitem a margem de manobra do chavismo. Até agora a ofensiva regional tem sido essencialmente diplomática, com exceção da tentativa de entrada de ajuda através das fronteiras da Colômbia e do Brasil, que fracassou.

Leia mais:  Após incêndio, ponte do Jaguaré segue interditada para veículos nesta segunda

Uma fonte da oposição venezuelana disse ao jornal O Globo
 considerar que seria “necessária uma coalizão militar e até mesmo policial para estabilizar o país”. Ela se disse decepcionada com o que chamou de “paralisia” dos vizinhos. No entanto, um embaixador do “governo encarregado” de Guaidó afirmou que uma intervenção militar não está entre os cenários analisados. Segundo ele, seria fácil entrar na Venezuela, mas não sair. Nenhum país gostaria de assumir o custo das mortes decorrentes de uma intervenção, e ainda há a questão dos guerrilheiros do Exército de Liberação Nacional colombiano que atuariam na Venezuela.

No último encontro do Grupo de Lima, em fevereiro em Bogotá, os chanceleres divulgaram um comunicado que frustrou as expectativas da oposição sobre uma intervenção estrangeira. Em Bogotá esteve presente Guaidó, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, e também o vice brasileiro, general Hamilton Mourão. A opinião generalizada na região é de que Maduro só cairá por uma ação interna venezuelana, basicamente uma retirada do apoio militar.

Leia também: General chavista é preso em Madri a mando dos Estados Unidos

Novas cobranças

Na sexta-feira (12), Pompeo afirmou que o governo de Donald Trump, ao contrário de seus antecessores, “não cometerá o mesmo erro de falar e não partir para a ação”. O secretário de Estado não mencionou especificamente a Venezuela, mas a crise do país é o principal ponto da agenda de sua viagem pela América do Sul. Depois das sanções americanas contra Maduro
, ele espera reciprocidade da parte de seus aliados latino-americanos e vai cobrar isso.

Fonte: IG Política
Comentários do Facebook
publicidade

Direto de Brasília

Forte terremoto atinge fronteira do Panamá com a Costa Rica

Publicado

em

Terremoto Costa Rica e Panamá
Reprodução/USGS
Epicentro do terremoto foi próximo da cidade de David, no Panamá

Um terremoto, de magnitude 6,2 na escala Richter, foi registrado na fronteira entre o Panamá e a Costa Rica no início da madrugada desta quarta-feira (26). Segundo informações do Serviço Geológico dos EUA (USGS), não há relatos de mortos e feridos até o momento.

Leia também: Piloto dorme durante voo e acorda 78 km depois do ponto de pouso, na Austrália

O epicentro do terremoto foi a 44 km da cidada de David, no Panamá, a uma profundidade estimada de 14 km. Os tremores foram tão intensos que acabaram sendo sentidos em diversas cidades da região.

A Rede Nacional de Sismologia da Costa Rica  informou que diversos moradores da região sul do país tiveram que deixar suas casas pelo temor de novas movimentações.

Nas redes sociais, o presidente costarriquenho, Carlos Alvarado , afirmou que diversos pontos do país estão enfrentando problemas com a falta de energia, mas ressaltou que não existe qualquer risco de possíveis tsunamis na região após o terremoto .

Leia também: Menina fica presa em máquina de brinquedos ao tentar “capturar” Pikachu

Fonte: IG Política
Comentários do Facebook
Leia mais:  Namorada de Lula mora em Curitiba e trabalha na Itaipu Binacional; conheça
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie
Tecnologia18 minutos atrás

Zenbook 14 tem desempenho rápido, mas tela fica devendo; confira nosso review

Após um tempo sem trazer os zenbooks para o Brasil, a ASUS volta a trazer a sua linha de ultrabooks...

Mulher19 minutos atrás

Avó posa com neta em ensaio fotográfico e se emociona: “Idosos precisam disso”

Ensaio sensual não tem idade, e se você tem alguma dúvida disso é porque você ainda não conheceu a Dona...

Carros e Motos19 minutos atrás

Veja 5 fatos que já sabemos sobre o novo Toyota Corolla

Há dez anos, o Toyota Corolla ultrapassava o Honda Civic no ranking de vendas dos sedãs médios, assumindo uma liderança...

Carros e Motos19 minutos atrás

Até onde vai a onda dos SUVs?

Divulgação Chevrolet Tracker vai chegar ao Brasil no ano que vem como um dos próximos lançamentos do segmento Até quem...

Carros e Motos19 minutos atrás

Nova Ranger chama Amarok para briga antes de compartilhar DNA

Sergio Quintanilha Nova Ford Ranger mudanças que caracterizam o segundo facelift da terceira geração A nova Ford Ranger chamou a...

Economia19 minutos atrás

MP que institui contribuição sindical por boleto caduca na sexta-feira

Roberto Parizotti/CUT Medida provisória (MP) que institui contribuição sindical por boleto caduca na próxima sexta-feira (28) A medida provisória (MP)...

Economia19 minutos atrás

Comissão especial busca encerrar debates sobre Previdência hoje; assista ao vivo

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados – 26.06.19 Comissão especial busca encerrar debates sobre a reforma da Previdência ainda hoje A comissão...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana