conecte-se conosco



Nacional

Empresário cotado para cargo no governo diz que números da Covid são manipulados

Publicado

em


source
carlos wizard
reprodução

Nota do Conselho Nacional de Secretários de Saúde repudiou declarações do empresário

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde divulgou, neste sábado (06), uma nota chamando as declarações de Carlos Wizard de “levianas”. Wizard é apoiador do presidente Bolsonarocotado para assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos.

Leia também


O empresário Carlos Wizard causou polêmica ao afirmar que os números da Covid-19 estão sendo inflados por gestores estaduais e municipais para receber mais recursos do governo federal.

As declarações de Wizard foram publicadas pela coluna da jornalista Bela Megale, do jornal “O Globo”.

Segundo a coluna, o empresário disse que “tinha muita gente morrendo por outras causas e os gestores públicos, puramente por interesse de ter um orçamento maior nos seus municípios, nos seus estados, colocavam todo mundo como covid.”

O empresário ainda não assumiu oficialmente a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, mas disse que fará uma contagem do número de casos para comprovar sua teoria.

Ainda segundo a coluna de “O Globo”, Carlos Wizard disse que o número de mortos pela pandemia é “fantasioso ou manipulado”.

Sobre a nota de repúdio

A nota, divulgada neste sábado (06), assinada pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde, afirma que o empresário mostrou “profunda ignorância sobre o tema” e que as declarações foram um insulto à memória de quem perdeu a vida em decorrência da Covid-19.

“A tentativa autoritária, insensível, desumana e anti-ética de dar invisibilidade aos mortos pela covid-19, não prosperará”, diz o documento.

E continuam: “Sua declaração grosseira, falaciosa, desprovida de qualquer senso ético, de humanidade e de respeito, merece nosso profundo desprezo, repúdio e asco”, continua a nota.

Comentários do Facebook

Nacional

Polícia prende homem que mantinha a esposa em cárcere privado há 8 anos

Publicado

em

No bilhete, a mulher diz que sofria agressões e violência psicológica, além de só poder usar o celular ao lado do criminoso

Rio – A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira, no bairro Rio da Prata em Campo Grande, Zona Oeste da cidade, um homem de 49 anos, que não teve o nome divulgado, suspeito de manter a própria esposa em cárcere privado há pelo menos oito anos. De acordo com agentes, a prisão aconteceu após equipes receberem uma carta da vítima pedindo ajuda.

No bilhete, a mulher diz que vem sofrendo agressões físicas e violência psicológica e relata que não pode sair de casa. Além disso, ela escreve que só pode usar o celular enquanto está ao lado do criminoso, que regula o tempo em que o aparelho pode ficar ligado. 

Após investigações, a polícia encontrou o suspeito em sua casa. Ele foi preso e encaminhado a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) da região, onde responderá pelo crime de cárcere privado. 

A vítima foi libertada e passa bem. 


(*O Dia)

Comentários do Facebook
Continue lendo

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!