conecte-se conosco


Entretenimento

Elogio da resistência, “Inferninho” abraça figuras marginalizadas pela sociedade

Publicado

em

“Inferninho” poderia ser um filme do Almodóvar dos anos 80, mas faz sentido que seja uma produção independente brasileira dessa metade final da segunda década do século XXI. Ambientado todo dentro de um bar, o longa é uma tragicomédia cheia de melodrama e personagens que trafegam entre a alegoria e a metaforização.

Leia também: “O Homem que Matou Dom Quixote” é sonata contra cinismo infiltrado na arte


Inferninho
Divulgação
Cena de Inferninho, que chega aos cinemas nesta quinta-feira (23)

Dirigido por Guto Parente e Pedro Diógenes, “Inferninho” 
nasceu do encontro de dois grupos artísticos de Fortaleza: Grupo Bagaceira de Teatro e Alumbramento Filmes. Essa contaminação, para usar um termo empregado por Parente, norteia um longa que tem como composição básica falar de amor e do poder transformador da fantasia.

Yuri Yamamoto vive Deusimar, essa mulher trans que explora seus funcionários em um bar e que em um belo dia se apaixona por um marinheiro (Démick Lopes) que chega para ficar. Essa relação, tumultuada e cheia de desejos inconfessos, altera a rotina de funcionários e frequentadores do bar.

Leia também: Novo filme de Christopher Nolan ganha título e mais nomes no elenco

Este é um longa que convida o espectador a se perder nele, a embarcar naquele universo de dor e desilusão, mas também de crença e entrega. Ainda que se resolva como um elogio da resistência, “Inferninho”
busca o diálogo com o público por meio das angústias dos personagens, todos em carne-viva e reverberantes de alguma forma.

Fonte: IG Gente
Comentários do Facebook
Leia mais:  Solar, mãezona e loiríssima, Gio Ewbank garante lugar entre as musas de 2018
publicidade

Entretenimento

Vem adaptação! Cinco livros jovem-adulto que merecem virar filme ou série

Publicado

em

source

O sonho de todo leitor assíduo é ver aquele seu livro preferido sendo adaptado para as telonas ou anunciado como série na Netflix. Isso se torna ainda mais recorrente ao ler livros jovem-adulto, pois a imaginação voa ao pensar em como seria ver aqueles personagens se tornarem “reais”.

Leia também: Escritores e editoras se reinventam para driblar crise no setor livreiro

Livros jovem-adulto que deveriam ser adaptados para as telonas (e telinhas) arrow-options
Reprodução/Instagram/@namanita
Livros jovem-adulto que deveriam ser adaptados para as telonas (e telinhas)

Você já imaginou assistir a uma série da Netflix inspirada na série de livros “Os Karas”, do Pedro Bandeira? E ver aquele romance de época, cheio de amor, aventura e desafios da Larissa Siriani? Pensando nisso, nós, do iG Gente , listamos alguns livros jovem-adulto que deveriam ser adaptados para as telonas (e as telinhas).

  • O Amante da Princesa, Larissa Siriani

A história de Amelia e Klaus daria além de um bom filme, uma ótima novela das 18h na Globo arrow-options
Reprodução/Instagram/@tycibooks
A história de Amelia e Klaus daria além de um bom filme, uma ótima novela das 18h na Globo

A história de Amelia e Klaus daria não só um bom filme, como uma novela das 18h na Globo . A forma como a escritora Larissa Siriani conta a história do amor proibido dos dois, renderia recorde de bilheteria (ou audiência no Plim Plim).

Durante toda a leitura é possível ver essas cenas de uma forma real e até palpável. A cavalgada na chuva atrás do seu amor “perdido”, os encontros escondidos na biblioteca do palácio e eles sendo quase flagrados, a doença de Amelia e todos os dramas em torno deste amor. Se na leitura do livro é possível ficar apreensiva, imagina ver tudo isso em uma sala de cinema ou diretamente do sofá de casa?

Leia também: Longe da auto-ajuda, livros para jovens adultos passam mensagens positivas

  • Os Karas, Pedro Bandeira

arrow-options
Reprodução/Instagram/@guicolares
“Os Karas” dariam uma ótima série na Netflix

Os cinco livros dessa série do escritor Pedro Bandeira dariam uma ótima série de suspense na Netflix. “A droga da obediência”, “Pântano de sangue”, “Anjo da morte”, “A droga do amor”, “A droga da Americana e “A droga da amizade” conta como os cinco adolescentes – Miguel, Crânio, Chumbinho, Calú e Magri – se arriscam e enfrentam alguns problemas.

Leia mais:  Globo desclassifica lutador do “BBB 19” e participante não será substituído

Cada livro mostra como esses jovens encaram com toda coragem problemas éticos, macabros, chegam a investigar o assassinato de um ator, sequestros e procuram por um cientista maluco que “acabou” com o amor. Agora pensa acompanhar tudo isso em uma série, de pelo menos seis temporadas, na Netflix?

  • 281 dias para recuperar um sorriso, Vanessa Marine

arrow-options
Reprodução/Instagram/@bookishmorning
“281 dias para recuperar um sorriso”

O livro de Vanessa Marine daria um ótimo romance adolescente na Netflix, mas iria além do clichê de sempre. A história mostra como uma garota pode ser jogadora de futebol, mas além disso também também traz à tona os problemas que ela enfrenta nesse meio. O mais impressionante da história de Amanda, a protagonista do livro, é que ela não conheceu sua mãe e vive apenas com seu pai, o que faz com que ela tenha uma ideia infalível.

O sonho da jovem é ver o sorriso do seu pai estampado em seu rosto novamente. Mexendo nas coisas do pai, ela descobre uma fita onde sua mãe está feliz e radiante ao lado do amado, cantando e tocando. A então ideia infalível é para refazer essa cena para que seu pai possa sentir o friozinho na barriga de novo, mas como uma garota, que só sabe tocar na bola de futebol, ia fazer isso tudo sozinha?

A partir daí toda a trama é desenrolada e você consegue chorar, rir, entrar em desespero e com raiva em segundos na mesma cena.

Leia também: Dez livros que vão te ajudar a entender a sociedade em 2019

  • Heroínas, Laura Conrado; Pam Gonçalves; Ray Tavares

arrow-options
Reprodução/Instagram/@galerarecord
“Heroínas” poderia virar um filme com as três protagonistas no mesmo cenário

Nessa antologia de contos, as personagens são todas mulheres e como o próprio título do livro já diz, são heroínas da sua história e trajetória. Cada conto tem uma mulher no centro da história e mostra um tempo novo, onde não é necessário ter um herói. Seja para salvar uma ONG, tendo uma Távola Redonda e até uma Robin Hood.

Leia mais:  Disney divulga novo trailer da animação “Wifi Ralph: Quebrando a Internet”

Para deixar essa história ainda mais instigante e melhor do que ela já é, só juntando as personagens das três escritoras no mesmo cenário. Cada uma usando do seu “dom” para ajudar a sociedade de alguma forma, que é o que as três levam em comum para as suas personagens.

  • Fazendo meu filme, Paula Pimenta

- Fazendo meu filme, Paula Pimenta A série de livros que conta a história da vida de Fani, que mesmo sendo uma adolescente tem acontecimentos que até Deus duvidaria, seria uma perfeita adaptação para os cinemas. Como o título do livro já diz, a vida dela é um filme. Literalmente. Parece que coisas que só aconteceriam na sala de cinema, são possíveis de acontecer com ela. Os quatro livros escrito por Paula Pimenta – “A estreia de Fani”, “Fani na Terra da Rainha”, “O roteiro inesperado de Fani” e “Fani em busca do final feliz” – dariam uma sequência de filmes ótimos para a Netflix, assim como a história de Lara Jean. Esses quatro livros jovem-adulto da mineira Paula Pimenta mostra a dificuldade do amor entre Leo e Fani, e tudo que eles enfrentam para conseguir sobreviver esse amor. arrow-options
Reprodução/Instagram/@paulapimentahistorias
“Fazendo meu filme” daria uma ótima sequência de filmes de romance adolescente

A série de livros que conta a história da vida de Fani, que mesmo sendo uma adolescente tem acontecimentos que até Deus duvidaria, seria uma perfeita adaptação para os cinemas. Como o título do livro já diz, a vida dela é um filme. Literalmente. Parece que coisas que só aconteceriam na sala de cinema, são possíveis de acontecer com ela.

Os quatro livros escrito por Paula Pimenta – “A estreia de Fani”, “Fani na Terra da Rainha”, “O roteiro inesperado de Fani” e “Fani em busca do final feliz” – dariam uma sequência de filmes ótimos para a Netflix, assim como a história de Lara Jean em “Para todos os garotos que já amei”.

Esses quatro livros jovem-adulto da mineira Paula Pimenta mostra a dificuldade do amor entre Leo e Fani, e tudo que eles enfrentam para conseguir sobreviver esse amor.

Fonte: IG Gente
Comentários do Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie
Entretenimento34 minutos atrás

Vem adaptação! Cinco livros jovem-adulto que merecem virar filme ou série

O sonho de todo leitor assíduo é ver aquele seu livro preferido sendo adaptado para as telonas ou anunciado como...

Entretenimento3 horas atrás

Rodrigo é o vencedor do Masterchef 2019

arrow-options Divulgação Rodrigo é o vencedor do Masterchef 2019 Após a eliminação de 17 competidores ao longo dos 21 episódios...

Esportes5 horas atrás

Love marca e garante empate do Corinthians com o Avaí na Ressacada

arrow-options Agência O Globo Love foi um dos destaques do Corinthians no empate contra o Avaí Corinthians e Avaí não...

Esportes5 horas atrás

Cruzeiro vacila no fim e cede empate ao CSA em Alagoas

arrow-options Agência O Globo Cruzeiro sofre empate no fim contra o CSA O Cruzeiro deixou escapar sua primeira vitória fora...

Esportes5 horas atrás

É líder! Em noite perfeita, Flamengo vence Ceará e assume a ponta

arrow-options Agência O Globo Gabigol foi um dos destaques na vitória do Flamengo Pode comemorar, torcedor rubro-negro: o Flamengo é...

Variedades11 horas atrás

Vídeo causa espanto no mundo todo e foi feito pelo pai do menino de 5 anos; assista

Um vídeo no mínimo incrível tem chamado a atenção de muitos internautas nas redes sociais. Ele mostra um garoto, aparentemente...

Nacional11 horas atrás

Marido mata mulher com machado e dorme ao lado do corpo dela

O homem foi encontrado deitado ao lado do corpo da mulher, sobre a cama, aparentando estar embriagado. Ele confessou o...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana