conecte-se conosco


Educação

É hora de revisar: conheça 6 aplicativos que vão te ajudar no ENEM

Publicado

em

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está chegando: nos dias 3 e 10 de novembro, 5 milhões de brasileiros testarão seus conhecimentos na prova que também serve como ingresso para o ensino superior em diversas universidades federais.

Criado em 1998, o Enem passou a servir como vestibular para instituições de ensino superior público em 2009, e, desde então, cresceu bastante em tamanho e em importância. Até por isso, muitos dos participantes estão se preparando para a prova há meses, mas ainda há tempo para revisar alguns dos temas que serão explorados no exame.

O Olhar Digital separou 6 aplicativos gratuitos para Android que podem auxiliar nos estudos, seja para reforçar o aprendizado, ou até mesmo com simulados que resgatam questões de edições passadas do exame.

Confira nossa seleção abaixo. Agora é só se concentrar nos estudos e, com a ajuda dos aplicativos , conseguir um desempenho melhor no Enem 2019.

Questões Enem 2019

O aplicativo conta com um banco de dados de provas passadas do Enem , com a possibilidade de usar questões antigas nos estudos para a edição atual. Com o software , o estudante consegue construir simulados, acompanhar resultados, temas de redação e mais.

Prepara ENEM 2019

Com mais de 3.600 questões de edições passadas do Enem , o aplicativo conta com dicas e exemplos de redações nota 1000, lista de datas importantes, simulados divididos por áreas de estudo e matéria e dicas de conteúdo para estudo.

Questões ENEM 2019 e Provas de Vestibulares

O aplicativo não conta apenas com dicas para o Enem , mas também para outras instituições como Fuvest, UERJ, UNESP, Unicamp e mais. Com um boletim de desempenho, o estudante pode acompanhar a quantidade de acertos e erros nas questões respondidas dentro do aplicativo .

Resumão Enem

Com diversos recursos interessantes, o Resumão Enem quer interagir com o usuário para ajudá-lo nos estudos. O app oferece questões com resolução, dicas de redação, testes simples, treinos mentais e mais.

Leia mais:  Criança chora ao perder aula por causa de tiroteio e emociona internet

Estuda.com Enem e Vestibular

Mais um app que vai além do Enem , o Estuda.com permite ao estudante se preparar para diversos exames que são realizados pelo país. Com opção de resumos e vídeo aulas, ele pode ser uma ótima opção para quem quer rever um assunto antes da prova.

ENEM 2019 Simulado Gabaritando

O aplicativo promete funcionar como uma espécie de “colégio virtual” para estudantes, oferecendo simulados, cronograma e plano de estudos, conteúdos e resumos, exercícios e videoaulas, além de atualizações diárias e semanais.

Comentários do Facebook
publicidade

Educação

Com salário baixo, professora concursada vira prostituta para pagar as contas

Publicado

em

Rua Augusta, Centro de São Paulo. O relógio marca 22 horas. Na calçada, em frente a uma casa noturna, uma mulher arruma, ligeiramente, os cabelos. Olha-se no espelho, confere a maquiagem que lhe garante uma beleza – quase que natural – e segue para uma esquina de uma das regiões mais badaladas da capital paulista. Celine é o nome dela. Fictício, claro. Veste uma calça jeans, camisa preta decotada e um salto de dez centímetros, que deixa a garota, de 35 anos, ainda mais alta – um chamariz para atrair os olhares de quem passa. Em pouco tempo, o celular toca. Um carro preto se aproxima e Celine segue para uma rápida conversa. “Ele é um cliente antigo. Vai beber com os amigos e depois vem me buscar. Ligou só para confirmar nosso encontro. Ainda tenho tempo para outros programas. Minha noite está garantida”, comemora.

A comemoração tem um motivo. Com a crise econômica, as prostitutas tiveram que rever o preço dos programas. “Muitos homens falam que estão sem dinheiro, que perderam o emprego ou tiveram o salário reduzido. E a gente é quem sofre as consequências”, critica a jovem, que cobra R$ 150 por uma hora de encontro. A clientela diminuiu nos últimos anos e a região ficou decadente. As mulheres, que insistem em permanecer na área, dizem que foi-se o tempo em que uma prostituta costumava juntar R$ 20 mil por mês, em programas. “A noite é ilusória. Hoje, você ganha R$ 1 mil. Amanhã, não tem dinheiro para pegar o ônibus”, comenta.

Há menos de um ano na prostituição, Celine tem muitas histórias para contar. Já frequentou mansões em bairros nobres da capital, com direito a festas regadas a drogas, trabalhou em casas luxuosas de prostituição e colecionou clientes exclusivos. Guarda, até hoje, os contatos com sigilo. É discreta e confiável. “A prostituta não é só um objeto sexual. Muitas vezes, é uma psicóloga na cama. Tem homem que me procura apenas para conversar ou realizar um fetiche, que a esposa não tem coragem de fazer”, conta. Segundo ela, toda profissional do sexo tem que se cuidar. Uma boa roupa e ter um cheiro próprio (uma espécie de identidade) são essenciais. Quanto mais vaidosa mais dinheiro ganha. E a concorrência é grande.

Celine vive uma dupla jornada. À noite, é garota de programa. De dia, professora concursada de uma escola da rede estadual de ensino de São Paulo.

“Ganho aproximadamente R$ 2 mil por mês. Não consigo manter a minha família. Sou mãe solteira com um filho autista, de seis anos. Tenho que pagar escola, plano de saúde e as contas da casa. O salário de professor é uma miséria”, explica Celine.

As duas realidades não se misturam. Na sala de aula, a professora é linha dura com os alunos, de 15 a 18 anos. Não permite baderna e exige respeito no ambiente escolar. “Às vezes, fico muito cansada. Mesmo assim, nunca faltei ao trabalho. Sou uma mulher responsável”, diz. A professora, que é apaixonada pelo ofício, sabe que ensinar, no Brasil, é uma tarefa difícil. Para ela, além do baixo salário, o docente tem de enfrentar a falta de infraestrutura nas unidades de ensino e a violência, tão frequente na sala de aula.

Celine jamais vai esquecer a primeira vez que se prostituiu. Era uma quinta-feira de 2018. Ao receber o salário de professora, viu que o dinheiro não daria para cobrir as contas. Pensou uma, duas, três vezes. Até, finalmente, tomar a decisão. “Não tive medo nem pudor de ser prostituta. Se professor é profissão, por que puta não pode ser?”, questionou. Não foi uma tarefa fácil. Depois da escola, a professora foi para casa. Tomou banho, vestiu a melhor roupa, usou um bom perfume e seguiu para um novo expediente.

Numa casa noturna, na Rua Augusta, ela pediu um drink, puxou conversa com o gerente e, logo, conseguiu os primeiros programas, que lhe renderam cerca de R$ 600. Celine prefere não dar detalhes de como foi a experiência nos quartos de um motel da região. Mas disse que, ao final daquela noite, entrou em um táxi e pediu um único destino: o seu lar. “Eu não estava arrependida. Tinha certeza do que faria a partir daquele instante. O único problema é que eu me sentia suja. Muito suja”, lembra.

Ao voltar para casa, correu para o banheiro e tomou um dos banhos mais longos da vida. Usou shampoo, sabonete – e até detergente. Pegou uma esponja para limpar o corpo. Esfregou a pele até sair sangue. Chorou em silêncio para não acordar os pais e o filho. Caminhou em direção ao quarto do menino, chegou pertinho e deu-lhe um beijo. Ali, a prostituta dava lugar à carinhosa mãe e professora. Agora, com identidade própria – sendo ela mesma.


(*Yahoo)

Comentários do Facebook
Leia mais:  Brasil é o que país que menos investe em universitários, diz OCDE
Continue lendo
Política1 hora atrás

Doria lança campanha de turismo para atingir 350 milhões de pessoas no mundo

O governador de São Paulo, João Doria, lançou nesta sexta-feira 15 a mais audaciosa campanha internacional de turismo já feita...

Internacional2 horas atrás

Michelle Bachelet condena uso excessivo da força policial na Bolívia

A alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, condenou hoje (16) o uso...

Esportes3 horas atrás

Time feminino do Corinthians encerra temporada histórica

Quase 29 mil pessoas proporcionaram à Arena Corinthians neste sábado (16) o maior público de um jogo entre clubes no futebol feminino...

Economia3 horas atrás

Nova Previdência pode fazer aposentado do INSS voltar ao trabalho, diz advogado

arrow-options Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil Medida que causaria o retorno de aposentados ao trabalho é considerada inconstitucional por especialistas A Emenda...

Internacional3 horas atrás

Em Praga, tchecos fazem manifestação contra primeiro-ministro

Mais de 200 mil tchecos, segundo a polícia, concentraram-se este sábado (16) no centro de Praga para pedir a saída...

Internacional4 horas atrás

Cinco homens são detidos após tiroteio em jogo de futebol estudantil; assista

Na noite da última sexta-feira (15), cinco homens foram detidos após efetuarem disparos de armas de fogo durante um jogo...

Mulher5 horas atrás

“Pink fever”: maquiagem com sombra rosa está bombando entre as famosas

A primavera/verão promete ser uma  temporada cheia de cor  — não apenas para a moda, já que quando falamos de...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana