conecte-se conosco


Nacional

Donald Trump assina ordem contra interferência estrangeira nas eleições dos EUA

Publicado

em


Donald Trump afirmou em um comunicado que
Reprodução/ Fox News

Donald Trump afirmou em um comunicado que “Os EUA não tolerarão interferência estrangeira nas eleições do país”

O presidente Donald Trump assinou na quarta-feira (12) uma ordem executiva que determina a aplicação de sanções a países que tentam interferir no processo político e eleitoral dos Estados Unidos. Em um comunicado, o republicano afirmou que “como já havia mencionado, os EUA não vão tolerar nenhuma forma de interferência estrangeira nas eleições do país”.

Leia também: Trump assina ordem que coloca fim à política que separa famílias imigrantes

Após Donald Trump se posicionar sobre o assunto, o assessor de Segurança Nacional John Bolton realizou uma conferência com a imprensa local, afirmando que “os Departamentos de Estado e de Tesouro vão debater quais sanções são mais apropriadas contra países e outros atores que interferirem em eleições nacionais”.

Ainda de acordo com a nota divulgada pelo presidente dos EUA, entre as sanções que poderão ser aplicadas estão o congelamento de ativos, a restrição de transações cambiais, a limitação do acesso a instituições financeiras do país, além da proibição de empresas norte-americanas de investirem em países que sofrerem sanções.

A ordem executiva entra em vigor dois meses antes das chamadas eleições de meio mandato”, com disputas por vagas legislativas em nível federal, estadual e local, assim como eleições para governos locais em 36 estados e eleições para prefeituras.

Leia também: Donald Trump afirma que tem poder de conceder perdão presidencial a si mesmo

 Inteligência americana diz que Donald Trump está sendo favorecido por hackers


Após comunicado de Donald Trump, assessor de Segurança Nacional disse que sanções ainda serão discutidas
Reprodução/Facebook/John Bolton

Após comunicado de Donald Trump, assessor de Segurança Nacional disse que sanções ainda serão discutidas

Analistas entrevistados pela mídia norte-americana disseram que a ordem foi uma espécie de demonstração de esforço do governo, que visa “parecer firme” com a segurança para o processo eleitoral de novembro.

Leia mais:  “Minha morte interessa amuita gente”, diz Bolsonaro ao comentar post do filho

Vale mencionar que o anúncio sobre a ordem executiva gerou críticas entre republicanos e democratas no Congresso. Para alguns parlamentares, a medida é considerada “insuficiente”.

Trump também foi criticado por ter assinado a ordem somente no período final das eleições e por não ter oferecido uma resposta sobre as denúncias de interferência da Rússia nas eleições presidenciais de 2016, supostamente para prejudicar a candidatura de Hillary Clinton, de 70 anos.

Segundo agências de inteligência dos EUA, hackers teriam sido apoiados pelo governo russo para tentar influenciar o eleitorado norte-americano contra Hillary e para favorecer o republicano.

Leia também: Donald Trump afirma que impeachment contra si “quebraria” o mercado

Em julho, depois de um encontro com o presidente russo, Vladmir Putin, o presidente norte-americano Donald Trump foi questionado por ter aceitado as declarações de Putin, que negou qualquer tipo de interferência nas eleições americanas.

*Com informações da Agência Brasil

Comentários do Facebook
publicidade

Nacional

Agressores de mulheres não poderão tirar carteira de advogado, diz OAB

Publicado

em

Caberá aos conselhos seccionais avaliarem cada caso e determinar se o candidato tem a idoneidade moral necessária para advogar

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Bacharéis de Direito com histórico de agressão contra mulheres podem ser impedidos de conseguir inscrição na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e exercer a advocacia.

É o que determina uma nova súmula aprovada pelo Conselho Federal da OAB nesta segunda-feira (18). A edição da norma era um pleito da Comissão Nacional da Mulher Advogada.

A nova súmula leva em conta a definição de violência contra a mulher prevista na Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher, sancionada em 1994 pelo governo. Ou seja, inclui agressões físicas, sexuais e psicológicas.

Caberá aos conselhos seccionais avaliarem cada caso e determinar se o candidato tem a idoneidade moral necessária para advogar. Casos pendentes na Justiça poderão ser levados em conta na hora da avaliação.

Advogados já inscritos também poderão perder o registro caso tenham agredido uma mulher. Nesse caso, serão submetidos a um processo ético disciplinar na seccional responsável.

A nova orientação vem na esteira da agressão sofrida pela paisagista Elaine Caparroz, 55, em fevereiro. O autor do crime, Vinícius Batista Serra, 27, passou no exame da OAB poucos dias antes de espancá-la. A seccional carioca da entidade afirmou que a cassação do registro do homem estava em análise.

A súmula será publicada no Diário Oficial da OAB nesta semana, mas já pode ser levada em consideração pelos conselhos seccionais.

Comentários do Facebook
Leia mais:  Homem pega no pênis de menino de 13 anos e diz: “quero sentir endurecer”
Continue lendo
Entretenimento1 hora atrás

Modelo brasileira Barbara Fialho vai se casar com filho de Bob Marley

A modelo mineira Barbara Fialho, dona de um corpo condizente com o nome e há sete anos consecutivos figura cativa...

Nacional1 hora atrás

Agressores de mulheres não poderão tirar carteira de advogado, diz OAB

Caberá aos conselhos seccionais avaliarem cada caso e determinar se o candidato tem a idoneidade moral necessária para advogar SÃO...

Educação2 horas atrás

Decreto de Bolsonaro corta 13,7 mil cargos em universidades públicas

Funções eliminadas eram concedidas a professores e coordenadores; entidades criticam corte BERNARDO CARAM – BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O decreto...

Nacional2 horas atrás

Acidente envolvendo quatro veículos deixa um morto e um ferido na BR 116

Acidente ocorreu na BR-116. Rodovia precisou ser parcialmente interditada, por conta da batida. Um grave acidente envolvendo dois carros e...

Direto de Brasília2 horas atrás

Governo chileno sugere que mulheres usem “vestido curto” em almoço com Bolsonaro

Reprodução/Twitter/Maite Orsini Pascal Deputada do partido de oposição se indigna com recomendação do governo chileno para que mulheres usem “vestido...

Política2 horas atrás

Kajuru chama Gilmar de “canalha” e o acusa de vender sentenças no STF

Agência Senado Senador Jorge Kajuru bateu de frente com o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal: ‘bandido e canalha’...

Educação2 horas atrás

Inep libera correção da redação do Enem 2018

shutterstock Tema da redação do Enem 2018 foi Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet Os...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana