conecte-se conosco


Saúde

Documento assinado pelo Ministério da Saúde libera tratamento de eletrochoque

Publicado

em


O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse desconhecer a resolução sobre o eletrochoque
undefined

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse desconhecer a resolução sobre o eletrochoque

Um documento assinado pelo Ministério da Saúde autorizou a compra de aparelhos utilizados para tratamentos de eletrochoque, também conhecidos como eletroconvulsoterapias para o Sistema Único de Saúde (SUS). A medida polêmica nesta semana em uma portaria que faz alterações na Política Nacional de Saúde Mental e nas Diretrizes da Política Nacional sobre Drogas.

Leia também: Número de mortes por suicídio caiu mais de 30% desde 1990, revela pesquisa

A terapia de eletrochoque causa bastante controvérsia dentro da comunidade psquiátrica, mas ainda é permitida por leis em países como Estados Unidos, Reino Unido e China. No Brasil, a prática também é permitida, mas caiu em desuso e não era utilizada na saúde pública.

“Quando se trata de oferta de tratamento efetivo aos pacientes com transtornos mentais, há que sebuscar oferecer no SUS a disponibilização do melhor aparato terapêutico para a população.Como exemplo, há a Eletroconvulsoterapia (ECT), cujo aparelho passou a compor a lista doSistema de Informação e Gerenciamento de Equipamentos e Materiais (SIGEM) do FundoNacional de Saúde, no ítem 11711. Desse modo, o Ministério da Saúde passa a financiar acompra desse tipo de equipamento para o tratamento de pacientes qua apresentamdeterminados transtornos mentais graves e refratários a outras abordagens terapêuticas”, dia um trecho da resolução.

Leia também: Mais Médicos: inscrição para formados no exterior será dias 13 e 14 de fevereiro

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, o responsável pela pasta, Luiz Henrique Mandetta, disse desconhecer o documento. O ministro disse, no entanto, que as medidas eram “sem dúvida, polêmicas.”

Já o Coordenador Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do Ministério da Saúde, Quirino Cordeiro, que foi o responsável pela assinatura da nota, defendeu o uso da prática. Ele também minimizou a possibilidade de abusos durante o tratamento. “Há sim uma fiscalização. E abusos podem ser cometidos em qualquer instituição”, disse.

Leia mais:  Brasil atinge meta de vacinação contra sarampo e poliomielite, diz ministério

Leia também: Justiça de São Paulo autoriza mãe a cultivar maconha para uso medicinal

Além da compra de aparelhos para tratamentos com eletrochoque, a resolução ainda aprovou outras medidas consideradas polêmicas. Entre elas, estão a possibilidade da internação de crianças em hospitais psiquiátricos e a pregação abstinência para o tratamento de dependentes de drogas

Fonte: IG Saúde
Comentários do Facebook
publicidade

Saúde

Estudo aponta que em 2030 casais não farão mais sexo

Publicado

em

As principais razões para a perda de interesse no sexo são o uso excessivo do celular e as horas gastas nos serviços de streaming

Você já ouviu falar de casais assexuados? Na prática são casais que nunca tiveram, ou ainda aqueles que decidiram não ter mais relações sexuais. Embora nunca houve tanta liberdade no quesito vida sexual, os estudos mostram que atualmente as pessoas fazem menos sexo do que nos anos 90, por exemplo.
Um dos estudos sobre o tema foi feito pelo estatístico e professor da Universidade de Cambridge, David Spiegelhalter. A pesquisa mostrou que os encontros sexuais diminuíram drasticamente desde 1990. A média de relações sexuais naquele ano era de cinco ao mês. Em 2000, caiu para quatro e em 2010 para três. A pesquisa virou um livro, chamado Sex by Numbers.
Segundo Spiegelhalter, em 2030 os casais não farão mais sexo. Para o professor, as principais razões para a perda de interesse no sexo são o uso excessivo do celular e as horas gastas nos serviços de streaming, como o Netflix, por exemplo. Em resumo, a tecnologia é a principal culpada pela queda do desejo sexual, pois trocamos os parceiros por um episódio inédito da nossa série favorita ou ainda para conversar com amigos pelo whatsApp.
Opinião das especialistas
Para a psicóloga Marina Simas de Lima, terapeuta de casal e família, a falta de sexo não é mais a protagonista dos conflitos conjugais. — Realizamos, recentemente, uma pesquisa para descobrir os principais motivos de brigas entre os casais brasileiros. Esperávamos que as questões sexuais ocupassem um lugar de destaque, porém não foi o que aconteceu. Pelo contrário, a pouca frequência sexual apareceu em sexto lugar, enquanto que o uso excessivo do celular apareceu em segundo. Ou seja, nossa pesquisa mostrou que a hiperconectividade realmente pode levar a conflitos na vida dois, o que corrobora a opinião de Spiegelhalter quanto às motivações que podem levar à perda do interesse no sexo —, comenta Marina.
Para a psicóloga Denise Miranda de Figueiredo, terapeuta de casal e família, as questões para a perda do desejo no sexo são multifatoriais. — Certamente, a tecnologia tem um papel importante, porém há questões físicas, com as disfunções sexuais, doenças crônicas, tratamentos de saúde e falta de conexão entre o casal que também influenciam na vida sexual.
Mas, à parte de estudos, a pergunta é: um casamento pode se manter sem uma vida sexual ativa? Para Marina e Denise tudo depende do perfil de cada membro do casal e dos combinados feitos entre os parceiros. — Hoje, as configurações familiares estão muito diversificadas e uma delas são os casais que desde o início da relação fazem esse combinado, de não ter relações. Por outro lado, alguns casais que estão em relacionamentos de longo prazo, também podem decidir não manter mais uma vida sexual ativa, por diversos motivos. O que precisamos compreender é que cada pessoa tem uma necessidade diferente quanto o assunto é sexo —, diz Marina.
— Isso quer dizer que existem aqueles casais que não sentem falta ou necessidade e são felizes assim. Mas, se um dos parceiros sente falta e quer ter uma vida sexual mais ativa e outro não, podem surgir conflitos sim e colocar o casamento em risco —, cita Denise.
Outra situação que pode acontecer é uma falsa ideia de que está tudo bem assim. — O sexo é um dos pilares da qualidade de vida e em um relacionamento afetivo é uma parte que atua na conexão e na intimidade do casal. Portanto, problemas na vida sexual podem indicar que esse casal não está tão bem quanto imagina, principalmente quando não há combinados ou as opiniões sobre sexo e o desejo são diferentes —, ressalta Marina.
 Terapia de Casal pode ajudar
— O sexo ainda é rodeado de tabus e muitas pessoas sentem vergonha de falar sobre o assunto. Porém, a comunicação é fundamental. Assim, casais que enfrentam dilemas sobre a vida sexual podem se beneficiar da terapia de casal para ajudar a melhorar o diálogo sobre o tema —, comenta Denise.

(*Site de Linhares)

Leia mais:  Polícia do Rio faz operação contra desvio de recursos da saúde em São Paulo

Comentários do Facebook
Continue lendo
Nacional26 minutos atrás

Batida entre van e caminhão mata 4 deixa quatro feridos; lateral de veículo foi arrancada

Acidente ocorreu no início da madrugada desta sexta-feira (19), na BR-242, trecho da cidade de Barreiras. Quatro pessoas morreram e...

Entretenimento31 minutos atrás

“Preconceito velado”, diz atriz trans sobre falta de papéis na TV

Maria Clara Spinelli aproveitou a sexta-feira para desabafar em seu perfil no Instagram. A atriz trans publicou uma imagem onde...

Entretenimento31 minutos atrás

Donald Trump leva bronca da HBO após usar imagem de “Game of Thrones”

A rede HBO repreendeu o presidente americano, Donald Trump, depois que o mandatário voltou a recorrer à popular série “Game...

Entretenimento31 minutos atrás

Presidente da Ancine suspende repasse de verbas para o audiovisual

 O diretor-presidente da Ancine, Christian de Castro, mandou suspender o repasse de verbas para a produção de filmes em série....

Nacional39 minutos atrás

Grávida de 7 meses morre ao tentar salvar filho de 5 anos afogado em represa

Mãe e filho que se afogaram na Represa de Jurumirim, em Itaí (SP), na tarde desta quinta-feira (18), morreram depois de...

Direto de Brasília49 minutos atrás

Salles nomeia militares para acabar com “arcabouço ideológico” no Ministério

Jorge William/Agência O Globo O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, não comentou nomeação de militares Seguindo orientação do presidente...

Direto de Brasília49 minutos atrás

Alan García deixou carta de despedida onde nega subornos e diz que cumpriu dever

Alexandre Moreira/Brazil Photo Press/Agencia O Globo Alan García deixou carta de despedida onde nega subornos e diz que cumpriu sua...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana