conecte-se conosco


Nacional

Do Recife a Brasília: 2 mil quilômetros de histórias e luta feminista

Publicado

em

source
Mulheres marcham de Recife a Brasília arrow-options
Inês Campelo/MZ Conteúdo
Mulheres marcham de Recife a Brasília

No final de julho deste ano, quando a cobertura da Marcha das Margaridas , em Brasília, era apenas uma possibilidade que estávamos articulando na Marco Zero com a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Pernambuco (Fetape), eu escutei da diretora de Política para as Mulheres da entidade, Adriana do Nascimento, a frase: “a viagem em si já é uma peleja”. Na hora, eu concordei, mas não me detive àquela afirmação. Continuei perguntando sobre os detalhes que estavam sendo orquestrados para a mobilização e seguimos a entrevista.

De lá para cá, as conversas foram muitas, as pautas definidas e decidimos que o especial dessa cobertura seria acompanhar as mulheres e vivenciar a 6ª Marcha das Margaridas desde o percurso do Recife até o Distrito Federal e o ato na Esplanada dos Ministérios, que acontecerá na manhã da quarta-feira (14). Planejamos um diário de bordo e embarcamos no ônibus 3, do Recife em direção ao Agreste Meridional, em que a maioria das passageiras vinha dos municípios de Bom Conselho e Caetés. Passamos cerca de 45 horas na estrada percorrendo 2.272 quilômetros, entre uma parada e outra, para comer, tomar banho e seguir o caminho.

Foi na terceira parada, em um posto do município de Paulo Afonso, na Bahia, que senti o primeiro estalo na minha mente e a fala de Adriana passou a fazer ainda mais sentido. Eu e a fotógrafa Inês Campelo começamos a viver o cansaço e o desconforto de quem dorme e acorda em um ônibus e, junto às companheiras de viagem, tem que escolher a prioridade naquele momento, já que o tempo é curto e a demanda, intensa. O nosso ônibus fazia parte de um comboio com mais três veículos que levavam em média 40 pessoas cada um.

Entre o enjoo e a dor de cabeça, a necessidade de fazer uma refeição em vez de um lanche, eu entrevistava mulheres agricultoras de luta rumo à maior mobilização feminista da América Latina. E, justamente nesses momentos, eu conseguia virar uma chave dentro do meu coração e viver o instante presente que me contava sobre uma peleja de fato real. Não escutei reclamação alguma dessas mulheres. Pedi que elas definissem a Marcha das Margaridas em uma palavra e elas me disseram: resistência, força, igualdade e esperança. Elas se sentem mais fortes, mesmo diante do desmonte das políticas públicas que interferem diretamente no dia a dia de cada uma.

Leia mais:  Carlos Bolsonaro usa o microfone da Câmara Municipal pela primeira vez no ano

Falo da dificuldade de acesso das agricultoras à Previdência Pública, como elas me relataram nesses últimos dois dias. Falo também da falta dos médicos cubanos, que não mais atuam nas zonas rurais mais distantes da capital, ou em comunidades quilombolas, por exemplo. O difícil acesso ao Pronaf Mulher e ao Pronaf Jovem, que são programas de financiamento voltados para agricultoras e jovens agricultores.

A situação tem piorado dessa forma desde o golpe que depôs a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT). As margaridas, esse ano, trazem uma plataforma política dirigida à sociedade brasileira, diferente das cinco marchas anteriores quando as reivindicações foram feitas ao governo federal. Como disse a diretora de Organização e Formação da Fetape, Janusi Marques, durante ato pela soltura do ex-presidente Lula (PT), no município de Águas Belas, no sertão pernambucano, “a marcha desse ano é de pressão e denúncia”. Denúncia da falta de diálogo com o governo Jair Bolsonaro, denúncia do desmonte da agricultura familiar no país e sobre a importância da liberdade de Lula no processo de resgate da democracia brasileira.

Marcha das Margaridas arrow-options
Inês Campelo/MZ Conteúdo
Pessoas de todas as regiões do país já ocupando o pavilhão do Parque da Cidade

Ao final do percurso, quando chegamos no Parque da Cidade, em Brasília, reencontrei Adriana e contei rapidamente como foi a viagem. Ela me respondeu sorrindo e afirmando que já estava “calejada” depois de tantas marchas. Encontrei também Rani de Mendonça, uma amiga feminista e jornalista, que na semana passada me explicou como a Reforma da Previdência de Bolsonaro é também um golpe de desmobilização nos movimentos sindicais dos meios urbanos e rurais e me fez entender melhor sobre como o governo se utiliza de meios rasteiros e covardes para tirar os direitos do povo.

Leia mais:  Vladimir Putin analisa facilitar cidadania russa a todos os ucranianos

Com calma, acabo de ler o texto publicado pela Marco Zero em parceria com o SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia e reafirmo o quanto é histórico o que estamos vivendo essa semana. Escrevo enquanto converso com Inês e mais uma vez ela me conta o quão emocionante foi a ciranda do Agreste pernambucano que aconteceu no município de Barreiras (BA), na tarde da última segunda, durante uma parada para esticar as pernas.

Eu sinto que somos todas uma força-tarefa. Pela primeira vez, eu piso em Brasília , e é com as pessoas certas. Dedico esse diário de bordo a todas elas.

Mulheres seguram a bandeira da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Pernambuco (Fetape) arrow-options
Inês Campelo/MZ Conteúdo
Mulheres seguram a bandeira da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Pernambuco (Fetape)


Fonte: IG Mundo
Comentários do Facebook
publicidade

Nacional

Bolsonaro vai lançar páginas em redes sociais para difundir notícias positivas

Publicado

em

source
Presidente Jair Bolsonaro arrow-options
Governo Federal
Bolsonaro


BRASÍLIA – Em meio aos últimos desgastes envolvendo o presidenteJair Bolsonaro, como a indicação de seu filho Eduardo Bolsonaro à Embaixada do Brasil em Washington, o governo deve lançar nesta quinta-feira páginas em redes sociais para divulgar notícias consideradas positivas sobre suas ações.

A motivação é o discurso repetido pelo presidente de que a gestão é vítima de notícias mentirosas e, por isso, precisa se defender. O objetivo é apontado pela Presidência como “divulgar informações positivas e conquistas do governo”.

Leia também: “Passar fome no Brasil é uma grande mentira”, diz Bolsonaro

 O nome do projeto é SecomVC e está na aba da Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República, a Secom, que confirmou a “previsão de lançamento” em conjunto com a apresentação oficial do portal único do governo federal, o gov.br.

As respectivas páginas no Twitter, no Facebook, no Instagram já estão no ar, mas até o fim da tarde desta quarta-feira ainda não havia nenhum publicação e poucos seguidores. Um deles, no Twitter, é o secretário de Comunicação, Fabio Wajngarten. Também haverá um canal no YouTube.

Postura reativa
O lema dos canais deve ser a oferta de “notícia de verdade para quem mais importa: você”. A foto de uma mulher sorridente olhando para o celular ilustra a identidade visual adotada pelo Palácio do Planalto. Apoiadores de Bolsonaro têm cobrado nas redes sociais uma postura mais reativa da Secom para “desmentir fake news”. “Não dá pra gente trabalhar brigando todo dia como se tivesse em campanha”, reclamou um dos seguidores, citando o perfil no Twitter.

Nesta quarta, o governo editou um decreto, gestado nos últimos meses, modificando a estrutura regimental da Secretaria de Governo (Segov) da Presidência, a qual a Secom é submetida. O ato criou dentro da estrutura da secretaria o Departamento de Conteúdo e Gestão de Canais Digitais, substituto do antigo Gabinete Digital. O órgão é responsável por “coordenar o planejamento, a produção, a edição e a publicação de conteúdos para canais próprios de comunicação digital nos portais e nas redes mantidos pela Secretaria Especial de Comunicação Social”.

Leia mais:  Deputada do PSL faz enquete sobre possível pedido de cassação deZeca Dirceu

Leia também: Bruno e Marrone são atacados na web após almoçarem com Bolsonaro: “Vergonha”

 Assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelos ministro Luiz Eduardo Ramos, da Segov, e Paulo Guedes, da Economia, o texto estabelece ainda as atribuições do porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros. A ele, caberá “pronunciar-se” e “manifestar-se” como representante do presidente e realizar outras atividades correlatas delegadas pelo ministro Ramos.

Fonte: IG Política
Comentários do Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie
Nacional34 minutos atrás

Bolsonaro vai lançar páginas em redes sociais para difundir notícias positivas

arrow-options Governo Federal Bolsonaro BRASÍLIA – Em meio aos últimos desgastes envolvendo o presidenteJair Bolsonaro, como a indicação de seu filho Eduardo...

Nacional34 minutos atrás

PSDB rejeita pedidos de expulsão de Aécio Neves e impõe derrota a Doria

arrow-options Divulgação/PSDB na Câmara PSDB rejeitou dois pedidos de expulsão de Aécio Neves A Executiva Nacional do PSDB rejeitou nesta...

Nacional34 minutos atrás

Estado assassino

arrow-options Gabriel de Paiva/ Agência O Globo Sequestrador do ônibus na ponte Rio-Niterói O Brasil assistiu nesta semana o trágico...

Nacional34 minutos atrás

Evangélicos vão orar em monte e mais de 50 são mordidos por morcegos em SP

arrow-options Reprodução/Trond Larsen Morcegos atacam A coordenadoria de Vigilância em Saúde ( Covisa ) divulgou que casos de mordidas de morcegos...

Nacional34 minutos atrás

Mega-Sena acumula outra vez e poderá pagar R$ 35 milhões no sábado

arrow-options iG São Paulo Para concorrer ao prêmio da Mega-Sena, é preciso escolher pelo menos seis números entre os 60...

Nacional34 minutos atrás

Justiça arquiva ação para impedir que Eduardo Bolsonaro seja nomeado embaixador

arrow-options Jorge William / Agência O Globo Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) deve ser indicado oficialmente à embaixada brasileira em Washington em...

Nacional34 minutos atrás

Coreia do Norte condena teste de novo míssil dos EUA

arrow-options Arquivo Lançamento de míssil por militares da Coreia do Norte: projétil disparado nesta quarta ainda não foi identificado, mas...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana