conecte-se conosco


Direto de Brasília

Desafeto de Bolsonaro, prefeito de NY anuncia candidatura à Presidência dos EUA

Publicado

em


Bill de Blasio
Reprodução/Twitter

Prefeito de Nova York, Bill de Blasio, chegou a agradecer museu que recusou evento com Bolsonaro

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, lançou, na manhã desta quinta-feira (16), sua candidatura à nomeação democrata para as eleições presidenciais de 2020. O líder novaiorquino publicou o anúncio em um vídeo no YouTube no qual convocou eleitores a se unirem à sua plataforma, cujo tema central será a priorização da classe trabalhadora.

Leia também: “Seja gentil com o presidente do nosso país”, diz Doria ao prefeito de Nova York

“Quando colocamos nossas famílias trabalhadoras em primeiro lugar em Nova York, a cidade ficou mais forte. Isso também pode acontecer no nosso país”, destacou De Blasio, o prefeito de Nova York. “É hora de colocar o povo trabalhador em primeiro lugar”.

No vídeo de lançamento da candidatura, De Blasio ressalta que há muito dinheiro nos EUA , mas que ele está nas mãos erradas. O político destaca a luta da prefeitura em garantir que os novaiorquinos ganhassem um salário decente, como no aumento do salário mínimo para US$ 15 por hora e na garantia de remunerada licença de saúde.

O prefeito ainda classifica o acesso à saúde, inclusive a mental, como um direito fundamental do cidadão e reforça a sua mobilização pela preservação de recursos naturais do mundo. “Donald Trump precisa ser parado. Já o venci no passado e vou fazer isso de novo”, ressaltou no vídeo.

Segundo a rede ABC , o primeiro ato de campanha do democrata ocorrerá em Gowrie, no estado de Iowa, ao lado da mulher, Chirlane McCray. No segundo mandato à frente da administração de Nova York, De Blasio se lança agora em uma acirrada disputa pela indicação do Partido Democrata. Há mais de 20 postulantes à nomeação para enfrentar o republicano Donald Trump, que buscará a reeleição.

Leia mais:  Prefeito de Mauá é preso em operação da PF por suspeita de desvios em contratos

Desafeto de Bolsonaro

Nas últimas semanas, Bill de Blasio se envolveu em uma troca de farpas com Jair Bolsonaro. As desavenças começaram em abril, quando cresceu a polêmica sobre a homenagem da Câmara de Comércio Brasil-EUA ao presidente brasileiro. Inicialmente, o prêmio seria entregue ao presidente em Nova York, mas o prefeito deixou claro que o líder brasileiro não seria bem-vindo.

Leia também: Doria diz que prefeito de Nova York “exacerbou” ao criticar Bolsonaro

De Blasio acusou o presidente brasileiro de ser “racista, homofóbico e destrutivo”. Bolsonaro rebateu que o prefeito era um radical e recebeu o apoio, entre outros, do vice-presidente Hamilton Mourão, que acusou o líder americano de ofender todos os brasileiros. O presidente cancelou a visita a Nova York e transferiu a agenda para Dallas, no Texas.

“Também amo Nova York, pretendo, se o prefeito de lá deixar o poder, que vai deixar brevemente, conhecer essa cidade que também foi um sonho meu”, destacou Bolsonaro durante a visita a Dallas, onde se reuniu com o ex-presidente republicano George W. Bush.

No início da semana, em desafio a Trump , De Blasio participou de evento na Trump Tower e destacou que oito dos prédios marcados com o nome do republicano deveriam à cidade US$ 2,1 milhões por ano caso a Organização Trump não ajustasse suas emissões de gases de efeito estufa. Enquanto discursava no palco, manifestantes levantaram cartazes com os dizeres “pior prefeito”. O protesto fez jornalistas questionaram o democrata se a reação indicava o que estava por vir em uma eventual campanha presidencial dele.

Leia também: Prefeito de Nova York comemora desistência de Bolsonaro: “Ele fugiu”

“Significa que estamos fazendo algo importante aqui em Nova York. Se todas essas pessoas que apoiam o presidente Trump estão se opondo ao que estamos fazendo, devemos estar fazendo algo certo”, ressaltou o prefeito .

Leia mais:  MPF recomenda mudanças na fiscalização de aviões

Fonte: IG Política
Comentários do Facebook
publicidade

Direto de Brasília

Votação de destaques da MP da Reforma Administrativa acontece nesta quinta

Publicado

em


Sessão Câmara
Luis Macedo/Câmara dos Deputados – 22.5.19

Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão para votar reforma administrativa

A conclusão da votação dos destaques da Medida Provisória (MP) 870/19, que trata da  reforma administrativa do governo do presidente Jair Bolsonaro que reduziu o número de ministérios de 29 para 22, acontece nesta quinta-feira(23).

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão desta quarta por volta das 22h devido a polêmicas na votação do destaque que retirava do texto da reforma administrativa a restrição de auditores fiscais investigarem crimes que não sejam de ordem fiscal.

Leia também: Senado aprova criminalização da homofobia, mas deixa igrejas fora da regra

O texto da MP tem que ser votado nos plenários da Câmara e do Senado até o dia 3 de junho ou perderá a validade. Maia convocou nova sessão para a manhã desta quinta para votar os destaques. Ele também convocou uma sessão para a parte da tarde para tentar votar as outras medidas provisórias que trancam a pauta.

Além do destaque que trata dos auditores da receita, também deverá ser votado um destaque que trata da Financiadora de Estudos e Projetos ( Finep ), empresa pública brasileira de fomento à ciência, tecnologia e inovação em empresas, universidades, institutos tecnológicos e outras instituições públicas ou privadas. A empresa é vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação.

O destaque quer evitar a transferência do controle do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico ( FNDCT ) da Finep para a secretaria-executiva do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Antes, no início da noite desta quarta, o plenário aprovou o texto-base da MP 870/19. Os deputados aprovaram o texto da comissão mista que analisou a matéria e que devolve para o Ministério da Economia o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) . O governo havia transferido o órgão para o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Leia mais:  Fortes chuvas provocam alagamentos e deixam São Paulo em estado de atenção

O texto também transferiu novamente para o Ministério da Justiça e Segurança Pública a Fundação Nacional do Índio ( Funai ), que também ficará responsável pela demarcação de terras indígenas. Antes o órgão estava subordinado ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e a demarcação era uma atribuição do Ministério da Agricultura.

Leia também: CCJ do Senado aprova projeto que inclui mulheres trans na Lei Maria da Penha

Os deputados firmaram um acordo para evitar uma das polêmicas, a recriação de dois ministérios fundidos (Cidades e Integração Nacional). Pelo acordo, os deputados aprovaram a manutenção dos dois no Ministério do Desenvolvimento Regional, revertendo a mudança proposta pelo projeto de lei de conversão do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).


Na sequência, os deputados começaram a votar os destaques,que alteram trechos do texto aprovado. Dois destaques foram rejeitados em votação simbólica: a recriação dos ministérios do Trabalho e da Cultura.

Em seguida foi colocado em votação o destaque que pretendia devolver o Coaf para o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Por 228 contra 210 o destaque foi rejeitado. O líder do governo, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), minimizou a derrota da posição do governo.

“Nós fizemos aqui todo esforço, queria agradecer ao apoio de vários partidos, mais de 200 parlamentares votando a favor do governo, do Coaf para que ficasse junto do Ministério da Justiça. Fomos derrotados, mas essa é a democracia”, disse Vitor Hugo.

Auditores fiscais

O destaque que restringe a atuação dos auditores fiscais não chegou a ser votado. Ele retira do texto a limitação ao compartilhamento de informações bancárias e fiscais com órgãos como o Ministério Público. A mudança foi incluída por meio de uma emenda.

Nesta semana, os auditores fizeram atos públicos contra o texto da MP. Segundo os auditores fiscais, o compartilhamento de dados, pela emenda, só seria permitido com autorização judicial, o que inviabiliza a investigação de crimes conexos à sonegação, privando o Ministério Público Federal e a Polícia Federal de informações fornecidas pela Receita Federal a respeito de atividades financeiras suspeitas.

Leia também: Deputado quer discutir decreto com Bolsonaro: “Doido entende outro doido”

Fonte: IG Política
Comentários do Facebook
Continue lendo
Nacional14 minutos atrás

Prêmio de R$ 11,8 milhões da Mega-Sena sai para aposta no interior de São Paulo

Divulgação/ Wilson Dias/ Agência Brasil Aposta de Aramina, no interior de São Paulo, vai embolsar quase R$ 12 milhões O...

Polícia Federal14 minutos atrás

Polícia Federal deflagra Operação Nêmesis para combater pornografia infantil

Brasília/DF – A Polícia Federal deflagrou hoje, 23/05, a Operação Nêmesis*, com o objetivo de reprimir a prática de crimes...

Nacional30 minutos atrás

Polícia do Rio oferece recompensa pela prisão de ‘Hello Kitty do tráfico’

Reprodução/redes sociais Jovem integra facção que briga pelo comando de uma comunidade no Rio de Janeiro O Portal dos Procurados...

Nacional30 minutos atrás

Polícia do Rio oferece recompensa pela prisão da ‘Hello Kitty do tráfico’

Reprodução/redes sociais Jovem integra facção que briga pelo comando de uma comunidade no Rio de Janeiro O Portal dos Procurados...

Esportes31 minutos atrás

Títulos e ativismo: Por que a melhor jogadora do mundo não estará na Copa?

Reprodução/ Instagram Ada Hegerberg tem 23 anos e já marcou seu nome na história do futebol feminino com títulos e...

Entretenimento45 minutos atrás

Elogio da resistência, “Inferninho” abraça figuras marginalizadas pela sociedade

“Inferninho” poderia ser um filme do Almodóvar dos anos 80, mas faz sentido que seja uma produção independente brasileira dessa...

Direto de Brasília45 minutos atrás

Votação de destaques da MP da Reforma Administrativa acontece nesta quinta

Luis Macedo/Câmara dos Deputados – 22.5.19 Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão para votar reforma administrativa A conclusão da...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana