conecte-se conosco



Política

Deficiência auditiva: direitos de alunos em debate

Publicado

em

A rede pública de ensino não está preparada para atender adequadamente alunos com todos os tipos de deficiência auditiva. Esta é a constatação de pais, alunos, especialistas e entidades que representam as pessoas com problemas de audição. Eles se reuniram com a Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente, no Plenário Judith Leão Castello Ribeiro, nesta terça-feira (17).

Acompanhe mais imagens da reunião

Os convidados abordaram a luta dos oralizados (pessoas que utilizam o implante coclear; um dispositivo eletrônico parcialmente implantado por meio de cirurgia) e reivindicaram os mesmos direitos que os sinalizados (que se comunicam pela Língua Brasileira de Sinais – Libras).

Segundo eles, os oralizados sofrem com a carência de profissionais capacitados para atender quem ainda não domina a linguagem sinalizada e reivindicaram políticas para alunos que utilizam o implante nas escolas públicas – com metodologias que vão além do ensino de Libras que não atendem toda a comunidade surda.

Família e escola

A presidente da Associação de Pais e Amigos dos Surdos e Outras Deficiências (Apasod), Antônia Lourdilene dos Santos Mozer, mãe de uma moça com o implante, relatou a dificuldade que os alunos implantados encontram nas salas de aulas. Conforme disse, a criança oralizada que estuda em escola pública sofre por não conseguir aprender da mesma maneira que um aluno sinalizado e que a maioria dos professores não sabe lidar com essa situação.

“As escolas têm professores de Libras, mas não têm professores preparados para lidar com alunos que implantaram o equipamento. São crianças que precisam usar o Sistema Modulado de Frequência (SMF) em conjunto com o profissional que, na maioria das vezes, não quer ou não é preparado para utilizar o equipamento. Com isso, a criança é obrigada a aprender a língua de sinais, o que atrasa seu aprendizado e nem sempre alcança o objetivo que é a fluência na comunicação”, afirmou.

O SMF, revelou, é distribuído pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas não é usado nas instituições de ensino. “Fiz uma pesquisa e descobri que em 2013 o Ministério da Saúde doou 300 unidades para o Espírito Santo, mas segundo informações da própria Secretaria de Estado da Educação (Sedu), as escolas públicas não tinham recebido esses aparelhos”, declarou Antônia Lourdilene.

Inclusão social e mercado de trabalho

Estudante de Biomedicina, Henrique Muniz Mendes, de 18 anos, é implantado desde os dois anos. Para ele, um usuário do implante coclear tem vida normal e consegue se inserir na sociedade e no mercado de trabalho. “Meu desejo é que todas as pessoas com perda de audição possam conseguir falar. Falar é algo fascinante”, concluiu.

Almir Lopes, que também é implantado, conseguiu ser inserido no mercado de trabalho. Ele é professor de educação física de uma escola de Vitória. Ex-aluno de escola pública, relatou a carência de profissionais capacitados para esse público.

“Professor de Libras não consegue atender aluno oralizado. É angustiante não entender uma aula que está sendo dada em um idioma que não se entende. As escolas estão despreparadas e precisamos de ajuda para mudar essa realidade”, relatou.

Conforme Simone Muniz Mendes, mãe do estudante de Biomedicina Henrique, o acompanhamento com terapias, além de exames e manutenção do equipamento, são fundamentais. Tudo isso, afirmou, é contemplado pelo SUS. “Não basta apenas operar, são várias fases a serem cumpridas e a rede pública dá todo esse suporte ao implantado”.

Implante coclear

O implante coclear é indicado para perda severa de audição e não é aplicado em todos os casos. Segundo o médico otorrinolaringologista Giuliano Lucchi, algumas crianças nascem com perda do nervo auditivo, o que impossibilita a colocação do aparelho.

Ele afirma que é importante que a perda auditiva seja detectada o quanto antes, de preferência até os seis meses de vida, para que a criança seja tratada e acompanhada adequadamente desde cedo.

Lucchi explica que o implante coclear é benéfico pela alta qualidade de audição proporcionada, o que melhora a fala, mas é fundamental que a inserção do aparelho seja feita ainda na primeira infância. “Quanto mais cedo a cirurgia for realizada, melhor a resposta do implante e mais cedo a criança vai falar bem e conseguir se inserir na sociedade. Se a família esperar a criança crescer para decidir se quer ser oralizada ou sinalizada, as dificuldades para desenvolver ou aprimorar a fala serão bem maiores”.

O presidente da comissão, deputado Delegado Lorenzo Pazolini, afirmou que vai continuar lutando por melhorias das pessoas com deficiência. “As reivindicações das pessoas com perdas auditivas têm sido ouvidas por outras comissões da Casa e vamos estudar a melhor forma de atender e ajudar essas pessoas”, salientou.

Comentários do Facebook

Política

Zinco e Vitamina D contra Covid-19: Bolsonaro cita tratamentos sem comprovação

Publicado

em

source
bolsonaro arrow-options
Agência Brasil

Presidente do Brasil Jair Bolsonaro

Na manhã deste sábado (04) o presidente da República, Jair Bolsonaro, postou em sua conta oficial do Facebook que irá zerar os impostos de alguns medicamentos usados no tratamento contra a Covid-19.

Leia também: “Não tem pílula mágica”, diz representante da OMS sobre cloroquina

Entre os remédios citados por Bolsonaro  estão a hidroxicloroquina, a azitromicina, Zinco e a Vitamina D. A postagem recebeu algumas críticas por não haver registros clínicos de que medicamentos a base de Zinco ou Vitamina D são eficazes no combate ao novo coronavírus (Sars-Cov-2).

bolsonaro arrow-options
Reprodução/ Facebook

Bolsonaro fala sobre reduzir impostos de remédios contra a Covid-19

No site do Ministério da Saúde, uma publicação do dia 30 de janeiro de 2020 desmente fake news vinculada no WhatsApp sobre o uso de Vitamina D e Zinco para prevenir o vírus. A postagem diz “até o momento, não há nenhum medicamento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus”.

Leia também: 4 estados e DF podem entrar em ‘aceleração descontrolada’

A recomendação do uso de Vitamina D surgiu na Itália após estudos da Universidade de Turim, mas é desaconselhada por profissionais de saúde. A Vitamina D pode ser utilizada contra infecções de origem viral, mas contra a Covid-19 seu desempenho ainda é incerto.

Comentários do Facebook
Continue lendo
Política17 minutos atrás

Zinco e Vitamina D contra Covid-19: Bolsonaro cita tratamentos sem comprovação

arrow-options Agência Brasil Presidente do Brasil Jair Bolsonaro Na manhã deste sábado (04) o presidente da República, Jair Bolsonaro, postou...

Nacional30 minutos atrás

São Paulo libera de quarentena atividades de escritório de advocacia

arrow-options Frepik Escritórios de contabilidade e advocacia podem voltar às atividades com menos circulação de pessoas Em deliberação publicada hoje...

Internacional51 minutos atrás

No Dia de Finados, China homenageia as vítimas do coronavírus

arrow-options REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL Epidemia do novo coronavírus teve início em Wuhan, na China Cinco meses depois do primeiro caso do...

Saúde1 hora atrás

Covid-19: SP libera atividades internas de escritórios de advocacias

. Em deliberação publicada hoje (4) no Diário Oficial do estado, o Comitê Administrativo Extraordinário Covid-19, do governo do estado...

Internacional1 hora atrás

Países da América Latina se unem para evitar desabastecimento alimentar

arrow-options Secretaria de agricultura e abastecimento/Divulgação Documento visa garantir segurança alimentar durante pandemia Ministros da agricultura, alimentação, desenvolvimento rural, pecuária...

Saúde2 horas atrás

Países da AL e Caribe se unem para evitar desabastecimento

. Ministros da agricultura, alimentação, desenvolvimento rural, pecuária e pesca de 25 países da América Latina e Caribe, incluindo o...

Internacional2 horas atrás

Gêmeos nascidos na Índia são batizados de Corona e Covid

arrow-options Reprodução Mesquita Nizammudin Markaz foi um foco de transmissão do novo coronavírus na Índia Um casal na Índia, Preeti...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana