conecte-se conosco



Nacional

Da Cunha simulou operações e inventou prisão de chefe do PCC, relatam policiais

Publicado

em


source
 Delegado da Cunha, alvo de investigação do Ministério Público; segundo depoimentos, o delegado forjava operações para monetizar vídeos no Youtube
Reprodução

Delegado da Cunha, alvo de investigação do Ministério Público; segundo depoimentos, o delegado forjava operações para monetizar vídeos no Youtube

Sucesso nas redes sociais e alvo do Ministério Público de São Paulo por suspeitas de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito, o Delegado da Polícia Civil de SP Carlos Alberto da Cunha, popularmente conhecido como “Da Cunha”, teria forjado operações policiais e ‘inventado’ prisões, segundo policiais ouvidos pela Folha de S. Paulo.

No canal do delegado no Youtube, o vídeo de maior destaque é de uma operação em que Da Cunha invade um barraco na favela da Nhocuné, na zona leste da capital, onde ficaria o suposto cativeiro de um homem sequestrado no dia anterior por criminosos do PCC e que seria submetido ao chamado “tribunal do crime”. O vídeo mostra o suspeito sendo preso e a vítima sendo libertada. A ação, porém, segundo depoimentos que incluem a vítima e policiais diretamente envolvidos na operação, seria uma ‘encenação’.

Os policiais que conversaram com a Folha  dizem que a vítima já tinha sido liberada momentos antes por outros policiais (Patrick e Ronald), mas acabou colocada novamente no cativeiro em poder do sequestrador a ação forjada fosse filmada como se Da Cunha fosse o protagonista da operação.

Segundo a vítima, o delegado afirmou que a encenação seria necessária para produção de prova material, a ser juntada no processo.

“Depois soube que a gravação não era para o processo, mas, sim, para o canal do YouTube do delegado Da Cunha e isso lhe deixou extremamente indignado, especialmente porque o delegado mentiu sobre a gravação. […] Frisa que o que policial que realmente o libertou do cativeiro [nem] sequer participou daquela gravação”, disse o homem.

Os depoimentos da vítima e de policiais fazem parte do inquérito da Promotoria que apura suposto enriquecimento ilícito do delegado. Promotores procuram descobrir se Da Cunha aproveitou da corporação para monetizar vídeos das operações, o que seria ilegal.

O delegado foi procurado pelo jornal para contar sua versão dos fatos, mas, até o momento, ainda não respondeu.

Afastado da Polícia Civil

Da Cunha está afastado da corporação desde julho deste ano, após abertura de procedimentos pela Corregedoria. Em seguida, pediu licença sem vencimento e filou-se ao MDB para disputar um cargo como governador.

O delegado nega que tenha monetizado vídeo de operações policiais e disse que só fez isso após ser afastado da Polícia Civil.

De acordo com o então braço-direito de Da Cunha na equipe (Cerco), o delegado Denis Ramos de Carvalho, o delegado-celebridade praticamente só comparecia ao trabalho nos dias de operações para realizar a filmagem. Ele justificava que teria muitos afazeres relacionados ao canal no YouTube e que fazia questão de aparecer sozinho na frente das câmeras.

Lima, chefe dos investigadores, confirmou que Da Cunha geralmente aparecia no trabalho nos dias de operações. Também confirmou a simulação na favela contou que essas encenações eram rotineiras. 

Segundo Lima, Da Cunha não participava efetivamente das operações, mas aparecia no local após o sucesso das ações com sua equipe particular de reportagem.

Prisão de suposto chefe do PCC

Ainda segundo Lima, a ação que rendeu mais visualizações ao canal de Da Cunha, o da prisão de um suposto chefe do PCC, também é mentira. Em abril de 2020, um suspeito chamado Wislan Ramos Ferreira, 29, foi preso, mas, segundo Lima, não se tratava do Jagunço do Savoy.

Conforme diz o investigador, Da Cunha não teve acesso aos manuscritos do Ministério Público com a ordem para que o Jagunço do Savoy matasse o delegado-geral. A ordem, segundo ele, era para matar um investigador do próprio Deic, sem menção ao delegado-geral.

Ele diz que os policiais do Deic já identificaram quem é o Jagunço do Savoy: um homem de 33 anos (nome mantido em sigilo) que continua em liberdade e que não tem nenhuma ligação com o suspeito preso por Da Cunha.

“O relatório torna claro que o dr. Carlos Alberto da Cunha somente tornou-se uma celebridade no YouTube veiculando o vídeo noticiando que havia prendido o tal ‘Jagunço’ encarregado de matar o depoente, que é o delegado-geral de Polícia, conforme se depreende dos documentos ora juntados e relatórios policiais demonstrando que se trata de uma mentira que expõe toda a instituição da Polícia Civil e tumultua os trabalhos da instituição policial”, disse.

Comente Abaixo
Regional8 minutos atrás

Jaguaré terá caixa eletrônico do Banco24Horas

Clientes de mais de 150 instituições financeiras podem realizar diversas transações, como sacar dinheiro e pagar contas O Banco24Horas chega...

Política14 minutos atrás

Servidoras da segurança são homenageadas

Em carreiras predominantemente masculinas, as mulheres vão conquistando espaço, quebrando barreiras, superando desafios e servindo de exemplo para as novas...

Nacional44 minutos atrás

Mulher tem 40% do corpo queimado após explosão de desodorante, em Goiás

REPRODUÇÃO G1 Marlene Batista queimou 40% do corpo após explosão de desodorante Marlene Batista, de 59 anos, teve 40% do...

Política44 minutos atrás

Homenageadas servidoras que atuam na segurança

Em carreiras predominantemente masculinas, as mulheres vão conquistando espaço, quebrando barreiras, superando desafios e servindo de exemplo para as novas...

Polícia Federal44 minutos atrás

PF investiga irregularidades em processo licitatório da Superintendência Estadual do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (27/10) a Operação Clava Forte, visando apurar irregularidades em processo...

Política44 minutos atrás

PP e PL disputam Bolsonaro, e Valdemar Costa Neto ameaça romper com o Planalto

Reprodução/Flickr PP e PL disputam Bolsonaro, e Valdemar Costa Neto ameaça romper com o Planalto Cortejado por PP e PL, ...

Política44 minutos atrás

CPI da Covid: Aras é pressionado por senadores a levar adiante as investigações

Reprodução/Agência Senado Senadores conversam durante sessão da CPI da Covid Com o fim do trabalho legislativo, a CPI da Covid...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!