conecte-se conosco



Estadual

Construtora é condenada a pagar multa a morador por atraso na entrega de apartamento

Publicado

em

 

.

A decisão da 2ª Vara Cível de Vitória considerou que o prazo de tolerância de 180 dias foi extrapolado sem motivo de força maior ou caso fortuito.

A 2ª Vara Cível de Vitória condenou a construtora de um edifício a pagar multa contratual ao comprador de um apartamento, em razão do atraso na entrega do imóvel adquirido na planta.

De acordo com o processo, o autor da ação firmou um contrato de compra e venda para aquisição de um apartamento no 6º andar do prédio, que deveria ter sido entregue no prazo de 24 meses. Contudo, a obra se desenvolveu de forma lenta e sem perspectiva de conclusão e, como meio de compensar os atrasos e infortúnios, as partes renegociaram o contrato.

A construtora ofertou a troca do apartamento por uma cobertura localizada no 9º andar do mesmo empreendimento, com um desconto relativo a 9,78% do imóvel. E autorizou que os proprietários elaborassem o projeto da parte superior da cobertura e efetuassem a troca do piso dos dois pavimentos, com o compromisso de que as diferenças de valores fossem acertadas no final da obra.

Assim, cerca de cinco anos depois, as partes rescindiram o primeiro contrato e assinaram  um novo, com a promessa de que a cobertura seria entregue em 10 meses, o que na verdade, aconteceu após mais de um ano.

Na ação, o comprador pediu que a construtora fosse condenada a pagar R$ 91.989,09 referente à multa prevista no contrato; R$ 23.229,71 pelos danos materiais relativos à diferença de valores das cotações dos serviços de marcenaria; R$ 21.362,14 por danos emergenciais na reforma interna do imóvel; além de indenização por dano moral no valor de R$ 10 mil.

Em defesa, a construtora afirmou que o proprietário quebrou o contrato passando a utilizar produtos distintos dos estabelecidos no memorial descritivo e que sua interferência na obra foi o que contribuiu para os atrasos mencionados.

Na sentença, a juíza destacou que a responsabilidade civil da construtora é objetiva,  baseada na teoria do risco do negócio profissional, como prevê o Código de Defesa do Consumidor. E apresentou diversos julgados dos Tribunais Superiores, mostrando que a temática já está pacificada na jurisprudência brasileira.

A magistrada acolheu o pedido de pagamento da multa, destacando que, embora haja cláusula contratual que prevê prorrogação de 180 dias na entrega do imóvel, o prazo não deve ser extrapolado pela construtora sem motivo de força maior ou caso fortuito:

“O período que excede a esse prazo de tolerância não pode ser admitido, eis que aí sim resta configurada a abusividade em desfavor do consumidor, cabendo frisar que, na espécie, a alegação de escassez de mão de obra e de insumos da construção civil, não configuram quaisquer das hipóteses que autorizariam exceder o prazo. Verifico que esse empreendimento atrasou em 1 ano e dois meses da data prevista. Cabe aos autores o recebimento da multa de 0,5% sobre o valor do imóvel, que é R$ 495.000,00”.

Já o pedido de indenização por danos materiais referente à diferença dos valores das cotações dos serviços de marcenaria e estofado foi negado. A juíza destacou que era necessária a comprovação do efetivo desembolso e o pedido se fundamentou apenas em orçamentos realizados pelos autores.

Também não foi acolhido o pedido de indenização por danos emergentes referente à reforma no interior do apartamento. A magistrada explicou que, apesar do contrato incluir os materiais de reforma e mão de obra, verificou-se que o autor preferiu adquirir produtos de melhor qualidade.

E quanto aos danos morais, a juíza ressaltou o entendimento do Superior Tribunal de Justiça de que “o mero inadimplemento contratual não enseja a indenização por danos morais, que é devida somente em situações excepcionais, comprovadas pelos compradores”.

Comentários do Facebook

Estadual

Dia D da campanha de vacinação antirrábica acontece neste sábado (24)

Publicado

em


Acontece neste sábado (24) o “Dia D” de mobilização para a campanha de vacinação antirrábica. A expectativa da Secretaria da Saúde (Sesa) é vacinar, até o dia 15 de novembro, mais de 630 mil cães e gatos.

Para ser vacinado, o animal deve ter mais de três meses de vida e apresentar boas condições de saúde. O Espírito Santo não registra notificações de raiva humana desde 2003, e raiva animal desde o ano de 2011.

A referência técnica Estadual da Raiva, Rúbia Tabachi, explicou que para permanecer sem casos no Estado, é necessário que a prevenção seja realizada com êxito. “É de extrema importância que os animais sejam vacinados, uma vez que esse é o único método de prevenção contra a doença. Depois de apresentados os sintomas nos mamíferos, a doença é totalmente letal”, ressaltou Rúbia Tabachi.

Os principais sintomas da raiva são: mudanças no comportamento, salivação abundante, dificuldade para engolir e paralização dos membros inferiores. A raiva é uma antropozoonose causada por um vírus e pode ser transmitida para o ser humano através de mordidas, arranhões ou saliva dos animais.

A vacinação é realizada pelas Secretarias Municipais de Saúde, que definem os locais de atendimento.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sesa
Syria Luppi / Kárita Iana / Paula Lima / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes
[email protected]

Fonte: Governo ES

Comentários do Facebook
Continue lendo
Saúde4 minutos atrás

Covid-19: Brasil tem 5,35 milhões de casos e 156,4 mil mortes

O número de pessoas infectadas com o novo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 5.353.656 no Brasil. Nas...

Economia4 minutos atrás

Imposto sobre herança: operação em SP vasculha transações acima de R$ 2,5 mi

Pixabay/Reprodução Operação Antares quer arrecadar cerca de R$ 10 milhões em Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) não...

Regional9 minutos atrás

Dono de loja é amarrado e bandidos roubam mais de R$ 25 mil

  Crime aconteceu na manhã desta sexta-feira (23), em loja de carro às margens da BR 101. Bandidos conseguiram fugir...

Entretenimento19 minutos atrás

Cartolouco posta selfie com Luiza Ambiel: “Mozão”

A sexta eliminada de “A Fazenda 12”, da Record, Luiza Ambiel, deixou a casa ontem. Mesmo com a agenda cheia,...

Tecnologia19 minutos atrás

Qual é melhor? Amazon Prime Video cresce mais que Netflix no Brasil

istock/stockcam Netflix fica para traz em briga com Prime Video O Amazon Prime Video foi o serviço de streaming que...

Polícia Federal34 minutos atrás

PF prende em flagrante um homem com conteúdo pornográfico infantil

Brasília/DF – A Polícia Federal prendeu em flagrante, na quinta-feira (22/10), uma pessoa com imagens e vídeos de pornografia infantil...

Política34 minutos atrás

Lewandowski envia ao plenário do STF a obrigatoriedade da vacina da Covid-19

Nelson Jr./SCO/STF Ministro Ricardo Lewandowski O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou ao plenário da Corte ações...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!