conecte-se conosco



Economia

Clientes da Caixa poderão ficar 6 meses sem pagar parcela da casa própria

Publicado

em

Inicialmente, a interrupção seria válida por apenas dois meses. Depois, foi estendida

Os clientes da Caixa Econômica Federal (CEF) poderão passar até seis meses sem pagar as parcelas da casa própria. A prorrogação dessa “pausa nos contratos” foi confirmada, ontem, pelo banco.

A suspensão dos pagamentos dos financiamentos imobiliários foi anunciada logo no início da pandemia do novo coronavírus para dar um alívio financeiro aos mutuários. Incialmente, a interrupção seria válida por apenas dois meses. Depois, foi estendida por mais dois meses. E, agora, foi prorrogada novamente.

“Estávamos com uma pausa de 120 dias. Vamos ampliar para 180 dias. Ou seja, 60 dias a mais a partir da segunda-feira, 27 de julho”, anunciou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

O executivo alertou, contudo, que a prorrogação não será automática. Dessa forma, os clientes que desejarem ampliar o prazo de suspensão do pagamento das parcelas devem procurar o banco a partir de segunda-feira. O acordo pode ser feito pelo aplicativo Caixa Habitação ou pelos telefones 3004-1105, 0800 726 0505 ou 0800 726 8068.  

Segundo a Caixa, 2,455 milhões de financiamentos imobiliários já tiveram as prestações pausadas desde o início da pandemia. “São contratos do FGTS, do Minha Casa, Minha Vida e do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), sendo 87% deles solicitados pelo aplicativo da Caixa Habitação. Ou seja, mais de dois milhões de brasileiros pediram a pausa por um aplicativo”, destacou Guimarães.

Ainda de acordo com o banco, as parcelas suspensas já somam R$ 8,6 bilhões. A previsão é de que a prorrogação por mais 60 dias gere um alívio momentâneo de mais R$ 4,46 bilhões para os clientes da Caixa.


(*Correio Braziliense)

Comentários do Facebook

Economia

Governo registra 2,9 milhões de acordos para estender suspensão de contratos

Publicado

em


source
Carteira de Trabalho
Jana Pêssoa/Setas

Carteira de Trabalho

Mais de 2,9 milhões de acordos foram firmados por empregadores e trabalhadores, a fim de estender a suspensão de contratos ou a redução de jornadas e salários para até 120 dias. A possibilidade de prorrogação está em vigor desde o dia 14 de julho, quando o governo federal assinou o Decreto 10.422. Antes, os prazos máximos eram de 90 dias, em caso de redução de jornadas e salários , e de 60 dias, para suspensão de contratos .

Segundo a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, desde o mês passado, 685.015 acordos que já estavam em vigor foram prorrogados em sua vigência. O restante (2,129 milhões) é referente a novos termos que já previam o período ampliado entre 91 e 120 dias. A média dos acordos é de 75 dias, afirma o governo.

Mais da metade dos termos (51,42%) são para a suspensão dos contratos, totalizando 1,504 milhão. Além disso, 563 mil acordos foram assinados para reduzir em 70% a jornada e o salário do funcionário, o que corresponde a 19,25% do total. Outros 523 mil (17,89%) foram firmados para redução de 50%, e 334 mil (11,44%) para corte de 25%.

Para Maria Lúcia Benhame, do escritório Benhame Sociedade de Advogados, as empresas que já assinaram a prorrogação dos acordos provavelmente foram as primeiras a adotar as medidas de suspensão de contratos e redução de jornadas e salários:

— Outras ainda estão tentando sentir os efeitos da retomada e da reabertura econômica para decidir o que fazer — avalia ela.

Pagamentos previstos

Estes novos acordos vão gerar 2,4 milhões pagamentos de complementação de renda — o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm), totalizando R$ 2,155 bilhões. Os benefícios são calculados levando em consideração as faixas do seguro-desemprego.

Segundo cálculos do governo, desde a implantação do BEm, foram firmados 15,89 milhões de acordos, gerando 26,5 milhões de pagamentos, que somaram mais de R$ 23 bilhões.

— A utilização dessas medidas possibilita a redução das despesas com a folha de pagamento a curto e médio prazos (uma vez que a dispensa sem justa causa implica alta despesa para a empresa a curto prazo, em razão do pagamento das verbas rescisórias) — lembrou Renata de Oliveira Pinho Nagel, advogada empresarial do escritório Sotto Maior & Nagel

A possibilidade de prorrogação da suspensão de contratos de trabalho e redução de jornadas e salários entre as empresas e os trabalhadores depende da assinatura de um novo aditivo contratual. As regras foram publicadas em decreto do governo, que regulamenta a Lei 14.020. A medida foi adotada pelo governo para tentar preservar empregos de carteira assinada e frear demissões durante a pandemia.

Pelo texto, o funcionário terá dois dias para aceitar os termos, e a empresa até dez dias para fazer um novo comunicado ao Ministério da Economia.

Acordos por até 120 dias

Na prática, o decreto estendeu por até 120 dias os acordos entre empresas e funcionários. Segundo a regra, a “suspensão do contrato de trabalho poderá ser efetuada de forma fracionada, em períodos sucessivos ou intercalados, desde que esses períodos sejam iguais ou superiores a dez dias e que não seja excedido o prazo de cento de vinte dias”.

Os trabalhadores devem receber uma complementação de renda do governo proporcional ao acordo com a empresa e baseada nas faixas do seguro-desemprego.

A publicação do governo federal ainda prorroga por 30 dias o pagamento de um benefício de R$ 600 para os trabalhadores intermitentes, que já receberam esse auxílio por três meses.

Comentários do Facebook
Continue lendo
Nacional11 minutos atrás

Relatório do Planalto destaca gestores em ranking de mortes da Covid-19

Foto: Marcos Corrêa/PR Presidente Jair Bolsonaro sem máscara entre os presidentes o Senado David Alcolumbre e da Câmara Rodrigo Maia...

Política12 minutos atrás

Enquanto era casada com Bolsonaro, Rogéria pagou R$ 95 mil em espécie por imóvel

Reprodução Rogéria Bolsonaro, primeira esposa do atual chefe do Executivo brasileiro A mãe de Flávio, Carlos e Eduardo Bolsonaro e...

Política27 minutos atrás

Covid-19: Bolsonaro compartilha desinformação e crítica a Mandetta

Reprodução YouTube Bolsonaro exibe uma caixa de cloroquina O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) compartilhou um vídeo no Twitter no...

Tecnologia27 minutos atrás

Golpistas já vendem likes e visualizações no Reels do Instagram

Unsplash/Claudio Schwarz Reels é uma ferramenta do Instagram Golpistas já estão ganhando dinheiro vendendo visualizações e curtidas no Reels ,...

Agricultura41 minutos atrás

TRIGO/CEPEA: Clima preocupa triticultor, mas chuvas nos próximos dias podem trazer alívio

. Cepea, 11/8/2020 – A comercialização de trigo no mercado interno segue pontual, e produtores estão atentos ao clima no...

Policial41 minutos atrás

Policiais Militares apreendem plantação de maconha em Marataízes-Es

. Na tarde desta segunda-feira (10), policiais militares da 9ª Companhia Independente localizaram cinco plantações de cannabis sativa (maconha), em...

Policial41 minutos atrás

Cão Kable realiza primeira apreensão como integrante do K9

. Na manhã desta terça-feira (11), o mais novo integrante do K9 da 14° Cia Ind realizou sua primeira apreensão...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!