conecte-se conosco



Ciclo de Comunicações comemora os 112 de fundação do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo

Publicado

em


.

Em comemoração ao aniversário de 112 anos de sua fundação, o Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (APEES) irá realizar um ciclo de comunicações online com diferentes temas que abrangem a História e os acervos documentais. As transmissões ocorrerão entre a próxima terça-feira (14) e quinta-feira (16), às 17h30, no canal do Youtube: www.youtube.com/c/ArquivoPúblicoES-APEES.

Um pouco da nossa História

No dia 18 de julho de 1908 o presidente do Espírito Santo, Jerônimo Monteiro, assinou o Decreto nº 135, no qual criava o “Archivo Público Espírito-Santense”. Em fevereiro de 1909, Henrique Alves de Cerqueira Lima foi nomeado o primeiro diretor. Em 1910, o órgão foi oficialmente aberto ao público. Ao observar a grande quantidade de papéis, Jerônimo Monteiro relatou em um processo: “Os compartimentos do Arquivo Público já se mostram deficientíssimos para a guarda dos numerosos documentos a ele remetidos. Cogito de construir prédio apropriado, com espaço suficiente para melhorar a acomodação desse precioso repositório das nossas tradições.”  

Porém, a intenção de viabilizar um espaço próprio só foi concretizada no Governo de Florentino Avidos. A construção de um novo edifício, situado na Cidade Alta, para abrigar o “Archivo Público” e a Biblioteca Pública Estadual, teve início no ano de 1925. A sede atual do APEES, localizada à Rua Sete de Setembro, no Centro de Vitória, no qual o órgão encontra-se instalado desde 2010, também é repleta de história.

 

O seu projeto seguiu o desenvolvimento urbano e a expansão dos serviços públicos da capital capixaba. No início do século XX, Jerônimo Monteiro autorizou a construção do edifício para abrigar parte dos serviços de abastecimento de água e a convertedora de energia elétrica gerada pela Usina do Rio Jucu. Em 1927, a usina foi adquirida pela Companhia Central de Força Elétrica (CCBFE), que em 1968 tornou-se a Espírito Santo Centrais Elétricas (Escelsa).  

O aumento da demanda por eletricidade obrigou o Governo de Florentino Avidos a substituir a antiga convertedora por uma usina a diesel. Na garagem funcionava a oficina de bondes da CCBFE, que fornecia energia para o sistema de transporte urbano. No local eram feitos os serviços de fundição, mecânica, carpintaria, ferraria e pintura dos bondes, até a desativação em 1965. 

São 112 anos de história contada em diversos documentos, que abrangem desde o ano de 1768, tais quais processos, papéis oficiais, cartas, fotografias, negativos, livros, películas, fitas de áudio e vídeo, vinis, microfilmes, mapas e mídias digitais, que formam, em seu conjunto, uma das principais fontes para os estudos da história social, econômica, política e cultural do Espírito Santo.

Confira a programação das lives:

14 de julho (terça-feira)

Usos do passado: o APEES em questão

Tiago Braga 

Professor Doutorando do Departamento de Arquivologia – UFES

A Memória do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo Através da sua Institucionalização: o Recorte Constituído (1908-1981)

Luiz Carlos da Silva 

Professor Doutor do Departamento de Arquivologia – UFES

Mediador: 

Tiago Neves

Historiador do APEES e mestrando do PPGHIS-UFES

15 de julho (quarta-feira)

Entre afetos e documentos

Camila Mattos da Costa 

Arquivista – Doutoranda UFRJ

Eu, digital: perspectivas de tratamento para arquivos pessoais na contemporaneidade

Jorge Phelipe Lira de Abreu 

Mestre em Gestão de Documentos e Arquivos – Unirio

Mediador: 

Michel Caldeira

Arquivista e Historiador do APEES

16 de julho (quinta-feira)

A História por meio da Imprensa: contribuições dos periódicos para a História do Espírito Santo

Geisa Lourenço Ribeiro 

Professora do IFES – Campus Viana e Doutoranda da PPGHIS-UFES.

A importância dos jornais para a história do pós-abolição no Espírito Santo

Rafaela Domingos Lago 

Professora da Faculdade Novo Milênio e Doutora – UFES.

Mediadora: 

Jória Scolforo

Jornalista do APEES e doutoranda do PPGHIS-UFES.

Informações à imprensa

Assessoria de Imprensa do APEES

Jória Scolforo

3636-6117/99633-3558

[email protected]

Facebook: Arquivo Público do Estado do Espírito Santo

Instagram: ArquivoPublicoES

Fonte: Governo ES

Comentários do Facebook

Empates fecham primeira rodada da Série C

Publicado

em


.

Dois jogos realizados na noite de segunda-feira (10) encerraram a primeira rodada da série C do Campeonato Brasileiro. No estádio Dilzon Melo, em Varginha (Minas Gerais), o Boa Esporte empatou em 2 a 2 com o Volta Redonda (Rio de Janeiro). Na outra partida, no estádio do Café, o Londrina (Paraná) também ficou na igualdade, mas sem gols, com o Criciúma (Santa Catarina), graças ao goleiro Danton, do Tubarão, que defendeu um pênalti a favor dos catarinenses.

Os confrontos foram válidos pelo grupo B da competição, que reúne dez equipes das regiões Sul e Sudeste do país. Por enquanto esta chave é liderada por Ituano (São Paulo), Brusque (Santa Catarina) e São José, que estrearam com vitória no torneio. Destaque para o triunfo da equipe do interior paulista, que derrotou, por 3 a 0, o Tombense, que decide o título mineiro com o Atlético-MG.

No grupo A ficam outros dez times do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Ferroviário (Ceará) e Remo largaram na frente ao vencerem Botafogo-PB e Jacuipense (Bahia). O Ferrão ganhou dentro de casa por 2 a 0 na Arena Castelão, em Fortaleza. Já o Leão Azul surpreendeu fora dos domínios paraenses, batendo os baianos por 2 a 1, de virada, na Arena Valfredão.

A rodada de abertura ficou a dever apenas um duelo. Em virtude do novo coronavírus (covid-19), o jogo entre Treze (Paraíba) e Imperatriz (Maranhão) não pôde acontecer no último domingo (9) no Estádio Amigão, em Campina Grande. De acordo com a CBF, 12 dos 19 jogadores inscritos pela equipe maranhense na competição testaram positivo.

A competição vai até janeiro de 2021, e nesta edição tem um novo formato. Os quatro melhores colocados de cada grupo se classificam para dois quadrangulares. De um lado, o primeiro e o terceiro do grupo A com o segundo e o quarto do grupo B. Do outro, o primeiro e o terceiro do Grupo B com o segundo e quarto do Grupo A. Na sequência, os clubes se enfrentam dentro das chaves. Os dois melhores de cada lado conquistam o acesso à Série B e os vencedores de cada chave se classificam às finais.

Edição: Fábio Lisboa

Comentários do Facebook
Continue lendo

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!