conecte-se conosco



Nacional

Caso Flordelis: Advogado da família do pastor quer apuração sobre envenenamento

Publicado

em

Anderson do Carmo e Flordelis arrow-options
Reprodução/Facebook
Caso Flordelis: Advogado de família de pastor quer investigação sobre envenenamento

O advogado que defende a família do pastor Anderson do Carmo vai pedir à delegada Bárbara Lomba, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG), que investigue o crime de homicídio tentado contra o pastor, anterior à sua morte. Anderson, marido da deputada federal Flordelis (PSC-RJ) foi morto em casa, em Pendotiba, Niterói, no dia 16 de junho.

Leia também: Mãe de pastor morto ataca Flordelis: “Nora que é nora não faz isso”

Um dos filhos do casal Flordelis e Anderson disse em depoimento que o pastor vinha reclamando de que passava mal quando comia em casa ou tomava remédios administrados pela deputada federal do PSC ou por outros filhos. O depoimento da mãe da vítima, Maria Edna Virgínio do Carmo, 64, na quarta-feira confirma esta versão.

O advogado Ângelo Máximo, 64, representa Maria Edna Virgínio do Carmo e Michele do Carmo, respectivamente, mãe e irmã de Anderson. Ele defende que o pastor reclamava de mal-estar porque estavam tentando matá-lo . O advogado diz que antes do crime que o matou, o pastor vinha sofrendo atentados e envenenamento. “Toda substância química que causa lesão ao corpo é envenenamento”, explica. Ele acrescenta que não teve acesso às investigações.

“Vamos pedir que a delegada Bárbara Lomba investigue o que o filho do pastor e a mãe disseram. Houve uma tentativa de homicídio não consumada por vontade alheia aos seus algozes”, diz. Ângelo Máximo acrescenta que o depoimento da mãe de Anderson, Maria Edna, foi positivo, esclarecedor, estarrecedor e comprometedor.

A assessoria de Flordelis diz que a questão já foi comentada pela deputada durante coletiva de imprensa. Na ocasião, a pastora justificou a administração dos medicamentos dizendo que o marido tinha crises de ansiedade e possui exames recentes que comprovam o tratamento.

Há vários problemas familiares envolvendo Flordelis e o marido. O advogado da família de Anderson voltou a falar que Flordelis está atrapalhando as investigações. Ele pede que o Supremo Tribunal Federal libere a investigação sobre a deputada.

Flávio Rodrigues de Souza, 38, filho biológico da pastora está preso acusado de matar o pai. Além dele, Lucas Cézar dos Santos de Souza, de 18, filho adotivo do casal, também está detido por participar do crime. Eles estão presos na Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG).

Leia também: Sem defesa! Filho preso de Flordelis dispensa advogados contratados pela mãe

Mãe de pastor Anderson presta depoimento

Após mais de três horas de depoimento, na quarta-feira, a aposentada Maria Edna disse que não considera mais Flordelis como sua nora. A mãe de Anderson, que é de São Miguel Paulista — interior de São Paulo — está no Rio desde o último sábado. No domingo ela participou de um ato em homenagem a Anderson. “Esquece que ela é a minha nora. Porque ela não é minha nora. Nora que é nora não faz isso”, ao se referir a deputada e pastora Flordelis dos Santos Souza (PSD). Na DHNSGI, a aposentada esclareceu que foi a especializa porque quis, na iniciativa de ajudar os investigadores no caso.

Delegada fará reconstituição

Está batido o martelo. Por hora, a delegada Bárbara Lomba — titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSGI) — está disposta e fará a reconstituição simulada da morte do pastor Anderson do Carmo Souza. A simulação acontecerá nos dias seguintes ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio investigue a deputada federal Flordelis dos Santos Souza (PSC).

O ministro Dias Toffoli , presidente do STF, estuda monocraticamente o caso Flordelis e como vai orientar a Polícia Civil do Rio e o Ministério Público (MPRJ) no caso. Uma fonte ouvida pelo jornal O DIA garante que o magistrado será favorável a ajudar “no que for necessário à investigação”.

Leia também: Neta de Flordelis faz desabafo em rede social: “Crueldade do ser humano”

A DHNSGI enviou no dia 28 de junho um pedido ao STF para investigar a deputada federal Flordelis , já que ela possui foro privilegiado e o crime não ocorreu em razão das funções do mandato da parlamentar. Como o Judiciário está de recesso, o presidente do STF estuda o caso monocraticamente.

Comentários do Facebook

Nacional

Imagens mostram como foram os últimos momentos de miliciano em sítio na Bahia

Publicado

em

source
Sítio arrow-options
Marcos Nunes/Agência O Globo

Imagens mostram como ficou o sítio após a operação do Bope

Os cômodos da casa no pacato distrito de Palmeiras, no município de Esplanada (BA), onde Adriano Magalhães da Nóbrega, ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro foi morto, no último domingo, revelam um pouco como foram os seus últimos momentos. Na cozinha, 12 pães e uma garrafa térmica ainda estavam sobre a mesa, indicando que ele ainda não tinha tomado o café da manhã quando aconteceu o cerco de militares do Bope baiano. Uma grande poça de sangue se espalhou pela sala, onde ele teria sido baleado. Numa das janelas, um indício de que houve um tiroteio: um buraco que aparenta ser de bala em uma fresta.

Leia também: Após laudo, perícia vai determinar de que arma partiu tiro que matou miliciano

De acordo com o Ministério Público da Bahia, o imóvel, que não estava lacrado, passou por um exame pericial ainda no domingo. Num dos dois quartos da casa, o livro “As 48 leis do poder’’,dos escritores americanos Robert Greene e Joost Elffers, estava sobre o colchão no chão, que teria sido usado por Adriano como cama, indicando que o miliciano dedicou parte da noite à leitura. No quarto também havia medicamentos. Na sala, além do sangue no chão, um sofá e uma cadeira revirados.

De acordo com a Secretaria de Segurança da Bahia, o ex-caveira morreu após disparar tiros contra os PMs, que tentavam prendê-lo. Nesta quarta-feira, o promotor Dário José Kist, da cidade de Entrerios, e que responde também por Esplanada, realizou diligências com policiais militares e civis no imóvel onde o miliciano foi morto. Entre os policiais havia alguns que participaram da ação de domingo. Um deles, inclusive, usava uma espécie de touca ninja.

“Estamos investigando o que aconteceu no local. Fizemos uma espécie de inspeção visual para tirar dúvidas. Os indícios apontam que houve uma operação para cumprir um mandado de prisão e que o Adriano resistiu e acabou sendo morto. Um desses indícios é um escudo usado por um dos policiais e que foi atingido por disparos. O escudo, inclusive, já foi submetido a uma perícia”, frisou o promotor de Justiça.

O Departamento de Policia Técnica da Bahia também confirmou que analisa o escudo usado pelos policiais, que relataram que o equipamento teria evitado que dois disparos os atingissem. O resultado da perícia vai apontar qual material danificou o escudo. A polícia técnica disse ainda que o exame cadavérico de Adriano revelou que ele foi atingido por dois tiros, nas regiões entre o pescoço, clavícula e tórax.

O imóvel onde Adriano foi morto pertence ao vereador Gilsinho da Dedé. Ele alegou que o local foi invadido pelo ex-capitão do Bope e disse que sequer conheceu o miliciano. Adriano da Nóbrega buscou características específicas na casa usada como esconderijo em Esplanada. A ideia era facilitar a saída em caso de fuga. O quesito proteção também contava. A casa tem duas porteiras, um muro de pedra com mais de 2m de altura e ainda uma cerca de arame farpado. Em frente a uma das portas do sítio, uma mancha de sangue (de 30cm a 40cm) pode ser vista no local. Não há fita ou qualquer outra demarcação isolando o local.

Leia também: Comando Vermelho toma controle de Manaus em meio a onda de assassinatos

Moradores do distrito de Palmeiras, que pediram para não ser identificados, contaram ter acordado com o som de tiros, no domingo.

“Na hora foi uma agonia danada. Fiquei trancada com meu menino e chamei por Deus. Estou até agora tentando esquecer o que aconteceu naquele dia”, contou uma moradora.

Outro vizinho disse ter se surpreendido com o barulho dos tiros e a presença da polícia cercando a casa: “escutei muitos tiros e vi os carros da polícia. Pensei que fosse um assaltante de banco. Só mais tarde soube que era um miliciano do Rio de Janeiro. A gente fica assustado porque aqui é um lugar tranquilo, a violência não é comum”.

Nesta quarta-feira, o promotor Dário Kist também esteve na Fazenda Gilton Guimarães, onde mora Leandro Guimarães. Foi lá que pouco antes do tiroteio, que acabou com a morte de Adriano, os policiais cumpriram um mandado de busca e apreensão. Três armas foram encontradas no local e Leandro foi preso. Na terça-feira, a Justiça da Bahia relaxou sua prisão. Foi Leandro quem levou Adriano para a casa onde ele foi localizado pela polícia. O fazendeiro prestou depoimento e afirmou ter sido forçado pelo miliciano a ajudá-lo a se esconder.

Justiça proíbe cremação do corpo de criminoso

Em duas decisões, a Justiça do Rio proibiu nesta quarta-feira que o corpo do ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) Adriano Magalhães da Nóbrega seja cremado. A primeira foi contra um pedido da família dele e a segunda atendeu a um pedido do Ministério Público estadual. O juiz Gustavo Gomes Kalil, da 4ª Vara Criminal, disse que a cremação só poderá ocorrer após todas as diligências e a confecção de todos os laudos periciais necessários à elucidação da morte.

O corpo de Adriano chegou na noite de terça-feira ao Instituto Médico Legal (IML) do Rio. Adriano, que chegou a ser investigado pelo assassinato, em março de 2018, da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, era acusado de chefiar um grupo de assassinos de aluguel e de integrar a milícia de Rio das Pedras.

Autor de duas homenagens a Adriano na Alerj, quando era deputado estadual, o hoje senador Flávio Bolsonaro pediu nesta quarta que autoridades impeçam a cremação do corpo. Em publicação no Twitter, ele disse ter recebido a denúncia de que “há pessoas acelerando a cremação de Adriano da Nóbrega para sumir com as evidências de que ele foi brutalmente assassinado na Bahia”.

O advogado de Adriano, Paulo Emilio Catta Preta, afirmou que, na semana passada, ele lhe telefonou para dizer que temia ser vítima de uma “queima de arquivo”. Horas após a morte de seu cliente, Paulo Emilio disse, no domingo, que, por causa desse temor, Adriano planejava se entregar, pois sabia que estava sendo caçado por policiais da Bahia e do Rio.

Essa possibilidade foi levantada nesta quarta-feira por um outro advogado, que afirmou ao Extra ter sido procurado por um amigo do ex-capitão do Bope. Pedindo anonimato, ele contou que foi contatado na última quinta-feira e propôs um encontro com o miliciano perto do Fórum do Rio, onde pretendia apresentá-lo a um juiz. Mas, segundo o advogado, Adriano não conseguiu montar um plano para sair em segurança de Esplanada, onde fica o sítio onde ele foi localizado e morto.

Leia também: MEC prorroga prazo e estudantes têm até sexta-feira para fazer inscrição no Fies

Procurados para comentar o assunto, promotores do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Rio afirmaram que estiveram três vezes com advogados de Adriano da Nóbrega, mas não foram informados sobre um eventual desejo do miliciano de se entregar.

Comentários do Facebook
Continue lendo
Entretenimento32 minutos atrás

Miley Cyrus deixa mamilo à mostra em foto e diz: “Instagram vai deletar”

Miley Cyrus adora surpreender e na última quarta-feira (12) ela apareceu de surpresa no desfile do estilista Marc Jacobs, que...

Carros e Motos32 minutos atrás

Renegade zero quilômetro ou Compass seminovo: qual compensa mais?

arrow-options Divulgação Jeep Renegade Sport, a versão de entrada vendida exclusivamente com câmbio automático de seis marchas Nas últimas semanas,...

Tecnologia32 minutos atrás

A espera acabou: Xiaomi apresenta Mi 10 e Mi 10 Pro com câmera de 108 MP

arrow-options Divuldação/Xiaomi Xiaomi apresenta Mi 10 e Mi 10 Pro A Xiaomi apresentou hoje (13), em um evento online realizado...

Tecnologia33 minutos atrás

Galaxy S20 Ultra é primeiro celular com zoom de 100x; entenda como funciona

arrow-options Reprodução Samsung Galaxy S20 Ultra tem zoom de 100x Um dos recursos que mais chamou a atenção do público...

Entretenimento45 minutos atrás

Xô folia! Três playlists para quem quer fugir do Carnaval

Estamos a poucos dias do Carnaval, mas os sambas e marchinhas estão por toda parte. Muita gente, porém, não é...

Internacional45 minutos atrás

Professor morre após ser amarrado em cadeira, agredido e atropelado por caminhão

arrow-options Divulgação/Polícia Nova Gales do Sul Anthony Stott, de 43 anos, morreu após ser atropelado em rodovia de Nova Gales...

Policial58 minutos atrás

PRF apreende 60 sacos plásticos contendo haxixe na BR 101 em Cariacica

Apreensão ocorreu durante fiscalização voltada ao Plano Nacional de Enfrentamento aos Crimes Violentos (PNECV-ES). A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana