conecte-se conosco



Agricultura

Cafeicultores vencem mais uma na Câmara dos Deputados

Publicado

em

BRASÍLIA (DF) – Os cafeicultores de todo o Brasil, que temem perder espaço no mercado nacional para o café verde produzido em outros países obtiveram uma significante ‘vitória’ na Câmara Federal. Nesta quarta-feira (07), a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou os projetos do deputado Federal Evair de Melo (PV/ES) que sustam as normas para a importação de café arábica do Peru e Conilon do Vietnã.
“Em nome da cafeicultura brasileira, dos cafeicultores e suas famílias só temos a agradecer. A provação desses projetos vai contribuir com a preservação do parque cafeeiro nacional, onde o Brasil é o principal produtor mundial. Os cafeicultores precisam de tranquilidade para seguir produzindo cada vez mais, com qualidade e sustentabilidade, gerando milhares de postos de trabalho e bilhões na economia”, comemora o deputado Federal Evair de Melo.
Foram aprovados o Projeto de Decreto Legislativo (PDC) Nº 383/2016, que susta a Resolução nº 1 de maio de 2016, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que aprova os requisitos fitossanitários para importação de grãos de café arábica produzidos no Peru e o PDC Nº 586/2017 susta a Instrução Normativa n.º 7, de 17 de fevereiro de 2017, do MAPA, que aprova os requisitos fitossanitários para importação de grãos de café Conilon produzidos no Vietnã.
A importação de café é um tema recorrente MAPA, pressionado pelas indústrias que ultimamente têm alegado a falta de grãos no mercado interno para servir de matéria-prima para a linha de produtos de café solúvel.
Em contraponto, os cafeicultores e autoridades defendem que há sim café estocado e principalmente agora com início da safra não falta café para atender o setor industrial. “A cafeicultura e os cafeicultores são patrimônios do Brasil. É preciso projete-los e valoriza-los, não massacra-los como querem fazer”, completa o deputado Evair.
Aprovado na CCJ, os projetos seguem para confirmação no plenário da Câmara Federal e posterior análise dos senadores.

Comentários do Facebook

Agricultura

Produtores que contrataram seguro rural com o apoio do governo federal receberam R$ 341 milhões em indenizações em 2019

Publicado

em


.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou o resultado das indenizações pagas pelas seguradoras para os produtores rurais que participaram do PSR em 2019. Das 95 mil apólices contratadas com o apoio do governo no ano passado, cerca de 9 mil foram acionadas e tiveram indenizações pagas, que totalizaram R$ 341 milhões, as lavouras mais afetadas foram as de milho 2ª safra, soja, trigo, uva e maçã. No caso do milho 2ª safra, 2.639 apólices foram sinistradas, principalmente pela seca, o que resultou em R$ 102 milhões (30%) em indenizações pagas aos produtores. 

“Apoiar a transferência do risco da atividade no campo para as seguradoras é um dos objetivos do PSR, pois em caso de perdas ocasionadas por riscos cobertos na apólice, o produtor será indenizado e conseguirá pagar os compromissos assumidos na safra, evitando assim o comprometimento da sua capacidade financeira”, ressaltou o Secretário de Política Agrícola do Mapa, César Halum.  

Além da seca, que provocou indenizações de R$ 168,2 milhões no total, os principais eventos que motivaram os pagamentos para os produtores foram a geada (R$ 73,6 milhões), granizo (R$ 59,7 milhões) e a chuva excessiva (R$ 23,4 milhões). O Diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Mapa, Pedro Loyola, explica que o valor de R$ 341 milhões reflete apenas parte do total pago pelas seguradoras em 2019 e que metade das apólices contratadas no Brasil não tiveram acesso ao PSR naquele ano.

“Em 2019, as seguradoras pagaram R$ 2,4 bilhões em indenizações, porém parte dessas apólices não foram subvencionadas. Neste ano, devemos disponibilizar o orçamento de R$ 955 milhões para subvencionar a contratação das apólices, esperamos com isso atender quase toda a demanda por seguro”, explica. 

O registro dos dados do mercado de seguros é realizado pela Superintendência de Seguro Privados (Susep) e difere do efetuado no PSR. Enquanto na Susep os dados de sinistros refletem os valores pagos em determinado período, independente do ano de emissão da apólice, no caso do PSR os valores são consolidados considerando o ano de emissão da apólice, independente de quando o pagamento foi realizado. 

Em 2019, o valor total segurado com o incentivo do PSR foi de R$ 20 bilhões, o maior desde o início do programa em 2006, para 2020 a estimativa é que esse valor alcance R$ 43 bilhões. De acordo com Loyola, esse montante reforça a importância do PSR no desenvolvimento do mercado de seguro rural no país e o consolida com uma das principais políticas agrícolas no momento. “Por meio do seguro rural é possível proteger a atividade agrícola contra diversos riscos, principalmente os climáticos, ao mesmo tempo em que resguardamos o governo de eventuais riscos fiscais, na medida em que reduzimos a necessidade de refinanciamentos no crédito rural”, diz o diretor. 

Os dados completos de indenizações estão disponíveis no site do Mapa.

O clima é o principal fator de risco para a produção rural. Ao contratar uma apólice de seguro rural o produtor pode minimizar suas perdas ao recuperar o capital investido na sua lavoura. Desde o ano de 2006, o governo federal, por meio do PSR, auxilia o produtor na aquisição do seguro rural, pagando parte do valor da apólice (prêmio). 

Contratação 

O produtor que tiver interesse em contratar o seguro rural deve procurar um corretor ou uma instituição financeira que comercialize apólice de seguro rural. Atualmente 14 seguradoras estão habilitadas para operar no PSR. A subvenção econômica concedida pelo Ministério da Agricultura pode ser pleiteada por qualquer pessoa física ou jurídica que cultive ou produza espécies contempladas pelo Programa.

Para os grãos em geral, o percentual de subvenção ao prêmio pode variar entre 20% e 40%, a depender da cultura e tipo de cobertura contratada. No caso das frutas, olerícolas, cana-de-açúcar e demais modalidades (florestas, pecuário e aquícola) o percentual de subvenção ao prêmio será fixo em 40%. 

Para mais informações sobre o PSR, faça o download do aplicativo. Basta acessar para Android e para IOS. 

 

*Texto alterado às 10h50 para correção de informações

Informações à Imprensa
[email protected]

Comentários do Facebook
Continue lendo
Nacional19 minutos atrás

Parques municipais reabrirão na próxima segunda na capital de São Paulo

Governo do Estado de São Paulo Medida foi anunciada pelo prefeito Bruno Covas A partir do próximo dia 13, parques...

Política19 minutos atrás

CPI resgata cavalo à beira da morte em Cariacica

. Um cavalo doente abandonado foi resgatado em Cariacica pela Comissão Parlamentar de Inquérito dos Maus-Tratos contra Animais na noite...

Carros e Motos19 minutos atrás

Honda CB 650R e CBR 650R 2021 chegam às lojas no lugar das “F”

Divulgação Honda CB 650R e CBR 650R chegam com novidades na mecânica e na posição de guiar para uma melhor...

Nacional49 minutos atrás

Caminhão de carne é saqueado após ser levado para comunidade do Rio; assista

Reprodução/ YouTube Caminhão foi saqueado na comunidade da Penha, no Rio de Janeiro Um caminhão que transportava carne foi roubado...

Estadual1 hora atrás

Hospital Dório Silva recebe 15 novos leitos de semi-intensivo

. O Governo do Estado realizou, na manhã desta quinta-feira (09), a entrega de 15 novos leitos semi-intensivo no Hospital...

Estadual1 hora atrás

Governador Casagrande se reúne com embaixador dos Estados Unidos

. O governador do Estado, Renato Casagrande, realizou uma reunião virtual com o embaixador dos Estados Unidos, Todd Chapman, na...

Mulher1 hora atrás

Como ter os cachos de Juliana Paes? Profissionais dão dicas

Juliana Paes tem aproveitado os últimos meses para exaltar os cachos. Em algumas entrevistas e publicações no Instagram, a atriz...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!