conecte-se conosco



Esportes

Bruno Nazário encara jogo contra Náutico como decisão

Publicado

em

A próxima quarta (19) é dia de decisão para o Botafogo. O alvinegro enfrenta o Náutico, a partir das 21h30, no estádio dos Aflitos, pela segunda fase da Copa do Brasil. Título que o glorioso ficou bem perto de conquistar, em 1999, quando chegou à final, mas acabou perdendo para o Juventude. Ainda sem levantar este caneco em toda a história do clube, o elenco atual sabe da responsabilidade que terá contra o Timbu em Recife.

Até quem chegou em 2020 já tem ideia da pressão. O meia Bruno Nazário, responsável pelas principais jogadas de ataque da equipe, quer um time mais tranquilo: “Temos que jogar sem pressão, né? Foi como falei aos nossos companheiros, temos que encarar jogo a jogo, e cada jogo é uma final para nós. Assim vemos na frente o que podemos alcançar no campeonato”.

Apesar da tranquilidade de Bruno Nazário, o Botafogo terá um grande desfalque para o confronto de quarta. Com lesão na coxa direita, Pedro Raul está praticamente fora do jogo. Artilheiro da equipe em 2020 com 3 gols em 4 partidas oficiais, o atacante vai fazer falta.

“O Pedro Raul é bom jogador, vai fazer muita falta nesses jogos. É um cara que segura muito a bola, muito decisivo. Porém, temos jogadores de muita qualidade naquela posição. Eu ainda não sei quem vai jogar, mas quem entrar vai dar conta do recado porque nosso grupo é de muita qualidade”, afirma Bruno Nazário.

Pedro Raul e Bruno Nazário são os destaques do Botafogo no início da temporada. Sem o atacante, o camisa 10 alvinegro vai ter que se desdobrar, mas ele não vê problemas: “Eu me adaptei muito rápido, fazendo gols, assistência. Acho que o grupo me acolheu muito bem. Quando cheguei aqui, jogando pela direita, ou pelo meio, lateral-esquerdo, se me colocar no gol também estou aqui para ajudar. Esse é o Botafogo, cada um tem que ajudar de alguma maneira”.

Fora de campo, a campanha, nas redes sociais, para trazer Yaya Touré anda em alta. Depois de contratar o japonês Honda, o marfinense poderia ser a próxima cartada da diretoria. Entretanto, o Botafogo precisaria de um investidor para pagar o salário do meio-campista. No que depender de Bruno Nazário, Yaya Touré será bem-vindo.

“Vemos apenas pela internet, mas espero que seja verdade, vai nos ajudar muito e vai nos fortalecer. Tomara que dê certo, é um grande jogador”, diz Nazário.

Botafogo e Náutico se enfrentam na próxima quarta, a partir das 21h30, nos Aflitos. A segunda fase da Copa do Brasil é disputada em jogo único. Caso haja um empate no tempo normal, os times decidem a vaga nos pênaltis.

Edição: Fábio Lisboa

Comentários do Facebook

Esportes

Equipe de natação paralímpica brasileira segue retida em Quito

Publicado

em

.

A equipe de natação paralímpica de Indaiatuba (SP), que está tentando retornar do Equador para o Brasil, desde o dia 14 de março, deve regressar na próxima terça-feira (31). A embaixada brasileira, em Quito, anunciou, nesse sábado (28), que um vôo de repatriação com 160 pessoas residentes no Brasil, vai sair de Quito em direção a Guarulhos, em São Paulo. E nesse grupo estão incluídos os nove atletas e o treinador, todos retidos no país sul-americano, devido ás medidas de segurança em meio a pandemia do novo coronavírus (covid-19).

“Estamos ansiosos para voltar, como todo dia passava uma data(de retorno) e não nunca deu certo, acho que agora é a mais concreta.” – disse Raquel Viel, nadadora da classe S12 (para deficientes visuais).

O treinador Antônio Luiz Duarte faz questão de tranquilizar os familiares e diz que estão recebendo o apoio da Prefeitura de Indaiatuba e do Comitê Olímpico Brasileiro, além de amigos e do Consul de Cuenca.

“Estamos bem dentro do possível. E que todos os brasileiros que estão na mesma situação que nós, possam regressar ao país para cumprir a quarentena em suas casas, com o conforto do lar. Ao sabermos da data sentimos um alívio e nos prepararemos para o regresso, obedecendo as normas preestabelecidas pela equipe médica.”

Os nadadores foram para o Equador realizar treinamentos na altitude, visando o Open de Natação Paralímpica, que serve como seletiva para os Jogos Paralímpicos de Tóquio. O planejamento inicial era ficar em Cuenca entre 3 e 21 de março, porém, no dia 13, o grupo recebeu a decisão sobre o cancelamento da competição, que ocorreria entre 26 e 28 deste mês. 

Em função da mudança de calendário, a equipe tentou voltar ao Brasil no dia 14, mas o aeroporto de Cuenca havia sido fechado em função da pandemia do novo coronavírus. No dia 21 seguiram para a capital equatoriana, onde acreditavam que teriam mais opções de vôo. Embarcaram em um ônibus, percorreram aproximadamente 450KM em uma estrada sinuosa e com chuva. O grupo de 5 homens e 4 mulheres, além do treinador, estão acomodados em um hotel, divididos em quartos duplos e triplos.

“No começo foi um pouco mais complicado, a gente chegou em um hotel, no centro de Quito, um lugar que tem muito barulho e muito perigoso. Tentamos mudar de hotel, mas aqui está tudo fechado. Este hotel só está aberto porque tem a nossa equipe e mais um brasileiro, aí ficou difícil de trocar. No início tivemos que improvisar um lugar para fazer comida, o hotel não tem restaurante. O meu técnico (Antônio Luiz Duarte) sai todos os dias cedinho para comprar comida e ele cozinha para gente, todos nós ajudamos. Aqui tem toque de recolher a partir de 14 horas.”

Com a exceção do treinador, que precisa sair do hotel para atividades essenciais, ninguém vai para rua. Na condição de atletas, explica como estão organizando a rotina para manter a preparação para competições.

“Neste momento, a preocupação é com a saúde mental. Estão fazendo yoga pela manhã e circuito a tarde, obedecendo a disposição do dia. Oscilações de humor, preocupação e saudade são os determinantes na escolha deles em fazer atividade ou não. Após cumprirmos a quarentena e termos as datas definidas, a comissão quebrará a cabeça para ver como planejar o treinamento.”

Raquel Viel engrossa coro com o treinador, ela também entende que o fator psiclógico é o mais sensível.

“Acho que é a parte mais difícil mesmo, a parte psicológica, a ansiedade. Todo mundo querendo estar em casa, perto da família. Nós somos uma equipe muito unida, desde os treinamentos , desde sempre. Todos são muito amigos e estamos passando por isso juntos.”

Edição: Aécio Amado

Comentários do Facebook
Continue lendo
Entretenimento2 minutos atrás

Chico Pinheiro diz que o Twitter precisa bloquear os “robôs bolsonaristas”

Após o Twitter apagar pela primeira vez publicações do presidente Jair Bolsonaro , o jornalista Chico Pinheiro deicidiu comentar o...

Saúde2 minutos atrás

Covid-19: Sambódromo do Rio vai receber pessoas em situação de rua

. A partir de hoje (30), o Sambódromo do Rio de Janeiro, na região central da cidade, vai receber pessoas em situação...

Saúde2 minutos atrás

Covid:19: Prefeito de São Bernardo do Campo é internado na UTI

. O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, que foi diagnosticado com Covid-19 na última semana, permanece internado...

Internacional2 minutos atrás

Homem é preso na China por tentar fugir do isolamento

arrow-options Reprodução/Al Jazeera Coronavírus na China Um homem de 31 anos foi condenado a três meses de prisão por tentar...

Economia15 minutos atrás

Aplicativo conecta voluntários a pessoas durante pandemia

A Covid-19 mudou a rotina de, praticamente, todos os brasileiros. Altamente contagiosa, a enfermidade vem causando temor entre idosos e...

Carros e Motos15 minutos atrás

PSA nega que crise econômica tenha abalado fusão com a FCA

arrow-options Divulgação CEOs de FCA e PSA: o aperto de mão que selou o acordo de fusão entre a fabricante...

Política15 minutos atrás

“De saco cheio”, Bolsonaro estuda demissão de Mandetta

arrow-options Carolina Antunes/PR Jair Bolsonaro e Luiz Henrique Mandetta A paciência de Jair Bolsonaro com Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde,...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana