Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
conecte-se conosco


Internacional

Brasil cai para último lugar em ranking de valorização dos professores

Publicado

em


Brasil caiu do penúltimo lugar em 2013 para último em 2018 no ranking de valorização dos professores
Reprodução/Wikipedia

Brasil caiu do penúltimo lugar em 2013 para último em 2018 no ranking de valorização dos professores

Apenas 9% dos brasileiros acreditam que os professores são respeitados no País. Esse dado levou o Brasil a cair para o último lugar em ranking que avalia o nível de valorização dos professores em 35 nações. O estudo, batizado de Índice Global de Status de Professores, é desenvolvido anualmente pela Varkey Foundation e foi divulgado nessa quarta-feira (7).

Leia também: Câmara encara protestos e tuitaço em nova tentativa de votar Escola sem Partido

Em 2018, foram entrevistadas 1 mil pessoas entre 16 e 64 anos e mais de 5 mil docentes em cada um dos 35 países. Enquanto em outros países houve crescimento na valorização dos professores , o Brasil regrediu. Em 2013, quando o estudo foi feito pela primeira vez, o País estava em penúltimo lugar entre 21 nações. 

A China, onde 81% acreditam que a população respeita os professores, vem em primeiro lugar no ranking, seguida da Malásia e Taiwan. No Brasil, o último colocado, apenas 9% dos entrevistados acreditam que esse respeito existe. Os dados concordam com o fato de que só 20% dos pais brasileiros afirmam que incentivariam seus filhos a seguir a carreira, enquanto na China esse número é de 55%. 

A pesquisa também mostrou que há pouca compreensão do trabalho e da remuneração dos professores. Os entrevistados acreditam que os docentes trabalham, em média, 39,2 horas por semana, mas os profissionais relatam que são cerca de 47,7 horas, quase 20% a mais. Segundo a pesquisa, em países como Finlândia, Canadá e Japão, os professores trabalham menos horas do que a percepção dos entrevistados.

Leia também: Dia dos professores: profissão é sonho de apenas 3,3% dos estudantes brasileiros

Leia mais:  Parte de casarão centenário desaba com moradores dentro, em João Neiva

Em relação à remuneração, os entrevistados consideram que um salário justo para os professores seria de US$ 25 mil (cerca de R$ 93 mil) ao ano, porém,  o salário médio relatado pelos docentes é de US$ 15 mil (cerca de R$ 56 mil). 

Ao comparar os estudos de 2013 e de 2018, os pesquisadores concluiram que o prestígio do professor aumentou em 13 países. As maiores quedas foram registradas na Grécia e no Egito. Por outro lado, todos os países da América do Sul tiveram resultados ruins, com o Brasil em último e a Argentina apenas quatro posições acima. 

Diante deste cenário, os brasileiros classificaram seu sistema de ensino como ruim, mas o egípcio veio em último lugar: enquanto o Brasil leva nota 4,2, o país é avaliado em 3,8 por seus cidadãos.

Leia também: Fez a primeira prova do Enem? Veja dicas do que fazer no ‘intervalo’ até domingo

O estudo também relata que a valorização dos professores está ligada ao desempenho dos alunos. Países com melhores notas no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) valorizam mais seus docentes. Na última edição, em 2016, o Brasil ficou entre os dez últimos do ranking. De 70 nações avaliadas, o País ficou na posição 63ª em Ciências, 65ª em Matemática e 59ª em Leitura.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Internacional

Bolsonaro se reúne com Rodrigo Maia e governadores eleitos nesta quarta-feira

Publicado

em


Presidente eleito,  Jair Bolsonaro (PSL), tem agenda intensa de compromissos em Brasília nesta quarta-feira (14)
Fernando Frazão/Agência Brasil

Presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), tem agenda intensa de compromissos em Brasília nesta quarta-feira (14)

No segundo dia em Brasília esta semana, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), tem agenda intensa nesta quarta-feira (14). Ele chegou ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) antes das 8h e iniciou sequência de reuniões com a equipe de transição do governo.

Leia também: TSE dá 3 dias para Bolsonaro esclarecer ‘inconsistências’ em contas da campanha

Acompanhado dos filhos Eduardo Bolsonaro e Flavio Bolsonaro, o presidente eleito tomou café da manhã com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que disputa a reeleição para comandar a Casa na próxima legislatura, e que conduz uma série de votações ainda este ano de interesse do futuro governo como a reforma da Previdência, o Projeto de Lei sobre o “Escola Sem Partido” e a revisão do Estatuto do Desarmamento.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse que a equipe de transição do novo governo quer evitar a aprovação no Congresso das chamadas “pautas-bomba”, como aquelas que podem aumentar as despesas para a administração federal, a exemplo do reajuste de 16% no salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do cargo de Procurador-Geral da República (PGR) aprovado no Senado Federal na última semana e que agora foi encaminhado para sanção do presidente Michel Temer. O assunto foi tratado entre Bolsonaro e Maia.

Na sequência, Bolsonaro entrou em reunião com os embaixadores do Chile, dos Emirados Árabes Unidos, da França e do Reino Unido, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). No Rio de Janeiro, ele esteve com os embaixadores dos Estados Unidos, China e Itália.

A expectativa é que após este encontro, o presidente eleito anuncie o nome do escolhido para assumir o Ministério das Relações Exteriores, com sede no Palácio do Itamaraty. Nesta terça-feira (13), Bolsonaro chegou a declarar que o embaixador Luiz Fernando de Andrade Serra está entre os cotados para o posto. O diplomata de carreira era embaixador do Brasil na Coreia do Sul até meados deste ano.

Leia mais:  Frente fria chega ao Estado e temperaturas podem cair no ES

Leia também: “Temer sabe o que fazer”, diz Bolsonaro sobre aumento para o STF

Bolsonaro também se reunirá com governadores eleitos


Jair Bolsonaro (PSL) se reunirá com governadores eleitos em encontro armado por João Dória (PSDB) em Brasília
Divulgação/Assessoria de Imprensa de João Doria

Jair Bolsonaro (PSL) se reunirá com governadores eleitos em encontro armado por João Dória (PSDB) em Brasília

Bolsonaro também participa da reunião com governadores eleitos e reeleitos, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB). Até ontem dos 27 governadores, 18 haviam confirmado presença. Haverá um almoço com o presidente eleito e parte de sua equipe, incluindo Paulo Guedes, que assumirá o Ministério da Economia, e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE).

O encontro é organizado pelos governadores eleitos de São Paulo, João Doria (PSDB), do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). Em discussão estarão as prioridades dos estados e a relação com o governo federal.

Ontem, o presidente eleito afirmou que está aberto ao diálogo e também para conversar sobre a necessidade, de alguns estados, de renegociar dívidas. Mas afirmou que há dificuldades em elevar a destinação de verbas, pois o Orçamento Geral da União “está complicado”.

Além disso, Bolsonaro também vai se reunir com a equipe de transição, no CCBB. A expectativa é anunciar ainda hoje o nome do ministro do Meio Ambiente. Confirmando que o presidente eleito desistiu da ideia de fundir a pasta com o Ministério da Agricultura, cuja futura titular da pasta, deputada Tereza Cristina, declarou que vai agregar, porém, o setor de pesca e as políticas relacionadas à agriculta familia e reforma agrária, o que não deixa de ser uma mudança já que, no desenho atual, as duas estruturas estão sob comando de duas secretarias especiais vinculadas diretamente ao Palácio do Planalto.

Leia mais:  Público de hamburguerias tem crescido nosúltimos anos

Leia também: Bolsonaro quer anunciar ministros do Meio Ambiente e do Itamaraty na quarta

Já sobre o ministério do Trabalho, Bolsonaro mudou novamente de ideia ontem e avisou que a pasta terá mantido seu status de ministério, apesar de absorvido por outra pasta. Mais detalhes de como essa distribuição será feita devem ser anunciadas em entrevistas coletivas concedidas pelo presidente eleito no intervalo entre as reuniões e ao final do dia.

Continue lendo
Esportes11 minutos atrás

Artesão esclarece polêmica do Portal do Surf de Guriri

SÃO MATEUS (ES) – A retirada do Portal do Surf de Guriri, instalado na área de Surf do balneário, que...

Direto de Brasília20 minutos atrás

Onyx Lorenzoni revela que Bolsonaro vai criar Ministério da Cidadania

Valter Campanato/Agência Brasil Futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), afirmou que Bolsonaro criará novo Ministério da Cidadania O...

Agricultura21 minutos atrás

Horta hidropônica muda a vida de família em São Mateus

SÃO MATEUS (ES) – Em tempos de crise, uma família do interior de São Mateus descobriu que estava na Internet o...

São Mateus34 minutos atrás

FA 1073 / 14 de novembro de 2018

Leia mais:  Grupo atacadista oferece 119 vagas de emprego em São Mateus

Esportes42 minutos atrás

Atleta é brutalmente assassinada e corpo é encontrado dentro de mala

Facebook Fisiculturista Leyla Evans foi encontrada morta em Honduras O esporte de Honduras está em choque com o assassinato brutal...

Estadual48 minutos atrás

Banco erra e coloca R$ 2 milhões na conta de comerciante no Espírito Santo

A sobrinha da comerciante, Paula Beatriz de Souza, que percebeu o erro VITÓRIA (ES) – Uma comerciante ficou milionária por...

Estadual54 minutos atrás

Tesouro Nacional confirma Espírito Santo como único Estado Nota A em finanças do país

A informação faz parte do Boletim de Finanças dos Entes Subnacionais de 2018 A Secretaria do Tesouro Nacional (STN) confirmou,...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

Mais Lidas da Semana