conecte-se conosco



Política

Bolsonaro elogia Decotelli e diz que ministro está ciente de “equívoco”

Publicado

em


source

Agência Brasil

decotelli
Luís Fortes/MEC

Ministro da Educação Carlos Alberto Decotelli

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite desta segunda-feira (29) que o novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli , está sofrendo um processo de “deslegitimação” no cargo após as divergências sobre o currículo do auxiliar terem vindo a público. Quando foi anunciado no Ministério da Educação ( MEC ), na semana passada, o presidente listou alguns títulos acadêmicos do economista, incluindo um doutorado na Universidade de Rosário, na Argentina, e um pós-doutorado na Universidade de Wuppertal, na Alemanha. As duas titulações, no entanto, não foram confirmadas pelas universidades. Decotelli editou o seu currículo na Plataforma Lattes , corrigindo as informações.

Em uma postagem nas redes sociais, Bolsonaro elogiou o ministro, mas reconheceu que ele errou nas informações prestadas sobre o currículo.

“Desde quando anunciei o nome do Professor Decotelli para o Ministério da Educação só recebi mensagens de trabalho e honradez. Por inadequações curriculares o professor vem enfrentando todas as formas de deslegitimação para o Ministério. O sr. Decotelli não pretende ser um problema para a sua pasta (Governo), bem como, está ciente de seu equívoco. Todos aqueles que conviveram com ele comprovam sua capacidade para construir uma Educação inclusiva e de oportunidades para todos”, afirmou.

Justificativas do ministro

Notícias divulgadas pela imprensa citam suposto plágio na dissertação de mestrado de Decotelli, obtido na Fundação Getulio Vargas (FGV). Após se reunir com o presidente, no Palácio do Planalto, durante a tarde, Decotelli deu entrevista a jornalistas, na portaria do MEC, e afirmou ter obtido os créditos do doutorado na Argentina, mas disse que não chegou a defender uma versão final da tese. A banca que analisou seu trabalho pediu “readequações” na tese, mas o ministro disse que precisou voltar ao Brasil por conta de “dificuldades financeiras” e que não retornou para apresentar o texto.

“A banca falou que a tese tinha um ponto de corte muito longo e me mandou fazer readequações. Essa foi a recomendação formal da banca. [Mas] Eu precisava voltar ao Brasil, porque toda a despesa foi pessoal, não havia bolsa. Com dificuldade, não mais voltei. Eu fiquei com o diploma de créditos concluídos, posso apresentar a vocês”, afirmou.

Sobre o pós-doutorado na Alemanha , o ministro da Educação também argumentou que a pesquisa foi concluída, apesar de não ter sido oficialmente considerada um título de pós-doutorado. “A pesquisa foi concluída? Foi. A estrutura da pesquisa, do pós-doutorado. Não tem sala de aula, não tem nota de uma disciplina, é uma orientação. Foi caracterizado que, quando foi concluído o trabalho, a pesquisa tinha que ser registrada em um cartório acadêmico. E você tem a pesquisa lá, registrada [no cartório]. Agora, o pós-doutorado é um título de pesquisa. Se você olhar o documento de Rosário, vai ver que os créditos foram concluídos”, disse.

Já sobre a acusação de plágio , o ministro negou qualquer tipo de cópia, e destacou que pode ter havido uma “distração” nas citações bibliográficas e revisão do texto. “Quando você escreve, tem que ter disciplina mental para escrever, revisar e mencionar o que citar. Cuidado. É possível haver distração? Sim, senhora. Hoje, a senhora tem mecanismos para verificar, [tem] softwares . Mas naquela época, pela distração. Não houve plágio, porque o plágio é quando faz ‘Control + C, Control + V’, e não foi isso”, justificou aos jornalistas.

Perguntado sobre sua permanência no MEC, Decotelli afirmou: “Sou ministro, tenho trabalhos agora e vou tentar corrigir trabalhos de Enem [Exame Nacional do Ensino Médio], Sisu [Sistema de Seleção Unificada]. Não tem nenhum arrependimento”, afirmou.

Comentários do Facebook

Política

Militares apontam que Gilmar Mendes não admitiu erro e acionam PGR

Publicado

em


source
Reprodução/Instagram

“Exército está se associando a esse genocídio”, disse Gilmar Mendes no sábado

Ofendido pela crítica que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes fez no último sábado (11) às Forças Armadas, o Ministério da Defesa , comandando por Fernando Azevedo e Silva, enviou na tarde desta terça-feira (14) para o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, um pedido para que ele seja advertido.

Mesmo após Gilmar Mendes ter divulgado uma nota em que afirma respeitar as Forças Armadas, militares não enxergaram que ele tenha admitido seu erro ao associar o exército a um genocídio ligado à má administração da pandemia de Covid-19, segundo a colunista Carla Araújo do UOL .

Na manhã desta terça (14), o ministro do STF publicou uma nota sobre a fala feita no sábado. Veja a íntegra: 

“Ao tempo em que reafirmo o respeito às Forças Armadas brasileiras, conclamo que se faça uma interpretação cautelosa do momento atual. Vivemos um ponto de inflexão na nossa história  republicana em que, além do espírito de solidariedade, devemos nos cercar de um juízo crítico sobre o papel atribuído às instituições de Estado no enfrentamento da maior crise sanitária e social do nosso tempo. 

Em manifestação recente, destaquei que as Forças Armadas estão, ainda que involuntariamente, sendo chamadas a cumprir missão avessa ao seu importante papel enquanto instituição permanente de Estado. 

Nenhum analista atento da situação atual do Brasil teria como deixar de se preocupar com o rumo das nossas políticas públicas de saúde. Estamos vivendo uma crise aguda no número de mortes pela COVID-19, que já somam mais de 72 mil. Em um contexto como esse, a substituição de técnicos por militares nos postos-chave do Ministério da Saúde deixa de ser um apelo à excepcionalidade e extrapola a missão institucional das Forças Armadas. 

Reforço, mais uma vez, que não atingi a honra do Exército, da Marinha ou da Aeronáutica. Aliás, as duas últimas nem sequer foram por mim mencionadas. Apenas refutei e novamente refuto a decisão de se recrutarem militares para a formulação e execução de uma política de saúde que não tem se mostrado  eficaz para evitar a morte de milhares de  brasileiros”, afirmou Gilmar Mendes .

Comentários do Facebook
Continue lendo
Internacional12 minutos atrás

Itália quer ajudar Brasil e outras nações no controle da pandemia

Pixabay Ministro da Saúde da Itália afirma que quer ajudar nações no combate à pandemia do novo coronavírus Cinco dias...

Policial12 minutos atrás

PRF recupera veículo com restrição de roubo ou furto em Viana/ES

. Na manhã de segunda-feira (13), no Km 304 da BR 101, em Viana, a Polícia Rodoviária Federal recuperou um...

Entretenimento12 minutos atrás

Rato invade reportagem ao vivo de jornal da Globo e rouba a cena

Um participante inconveniente de uma reportagem da TV local de Camaragibe (PE) assustou a entrevistada e os jornalistas que estavam no local. Ao...

Esportes12 minutos atrás

Redução da punição ao Manchester City gera polêmica na Inglaterra

. A decisão do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, na sigla em inglês) de suspender a punição do Manchester City...

Tecnologia12 minutos atrás

Para proteger aulas online, Google bloqueia usuários anônimos do Meet; entenda

Divulgação Google Meet ganha novo recurso de segurança O Google está realizando uma pequena, porém importante, mudança no Google Mee...

Policial12 minutos atrás

PM apreende cinco armas de fogo no município de Serra

. Policiais militares do 6º Batalhão apreenderam cinco armas de fogo em atuações no município de Serra nesta terça (14)...

Saúde12 minutos atrás

Diabetes afeta rotina familiar de 80% dos pacientes, diz pesquisa

. Um dia antes de completar 6 anos, o menino Christian Mosimann foi diagnosticado com diabetes tipo 1. A descoberta...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!