conecte-se conosco



Política

Bolsonaro diz que população não precisa ‘ter pavor ao vírus’

Publicado

em


source
Presidente Jair Bolsonaro em live
Reprodução/Facebook

Bolsonaro afirma que ficar sem trabalhar por conta do vírus é pior que o vírus


Em live realizada nesta quinta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar as medidas de distanciamento social, vigentes em decorrência da Covid-19 . Ele afirmou ainda que “está muito bem” e que “não precisa ter pavor no tocante ao vírus”.


A pandemia já registra mais de 84 mortes e registrou casos em 24 horas em números recordes nos últimos dois dias. Bolsonaro, aliás, é um dos infectados pela doença. Ele testou positivo para Covid-19 pela terceira vez nesta semana .

Além da afirmação, ele foi visto passeando de moto no dia de hoje . O presidente não usava máscara e chegou a conversar com garis. Na live, ele afirmou se sentir “praticamente preso”.

Segundo Bolsonaro, caso as medidas de distanciamento social continuem ou caso o plano de auxílio emergencial precisar ser estendido, o Brasil se tornará um “país de miseráveis” e dará margem ao socialismo.

“Estou vendo já, assisto televisão o dia todo, está sempre ligado, acompanho aqui um pouco da nossa imprensa e estou vendo autoridades de dentro e de fora do Brasil dizendo que esta pandemia veio para ficar. Mas o povo tem que trabalhar, meu Deus do céu! As consequências de não trabalhar vão ser muito piores do que aquela proporcionada pelo próprio vírus”, afirmou.

Bolsonaro se referiu às medidas adotadas pelos estados como “política restritiva” e incentivou que a população questione candidatos ao governo municipal sobre suas propostas de combate à pandemia. Apesar da fala, disse que não opinará sobre as eleições para prefeito.

“O Brasil tem problemas. Tenho que estar preocupado com o desemprego que criaram, com essa política de todo mundo em casa, terror, pavor, ‘vou prender’… Destruíram empregos no Brasil”, foi a justificativa do presidente.

Comentários do Facebook

Política

Witzel: Procuradoria avança investigação sobre esquema de propinas; entenda

Publicado

em


source
witzel
Agência Brasil

Governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel: entenda investigação sobre propinas

Wilson  Witzel (PSC) pode ter atuado num esquema de propina paga a desembargadores da Justiça do Trabalho no Rio de Janeiro. É o que indica a investigação da Procuradoria-Geral da República (PGR) que afastou do cargo o governador do Rio.

Para a PGR, Witzel tentou incluir a Secretaria de Saúde num esquema pré-existente no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1). O esquema seria mais um caminho de propina a ser explorada pelo governador, de acordo a Procuradoria. Mas o plano acabou não se concretizando no estado. 

Na sexta-feira (28), Witzel foi afastado pelo ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro. Essa medida tem validade por 180 dias e pode ser aumentada.

A relação entre o governo fluminense e o tribunal foi, segundo a PGR, o desembargador Marcos Pinto da Cruz, que apareceu na delação do ex-secretário de Saúde Edmar Santos.

De acordo com o secretário, o  desembargador Marcos Pinto da Cruz o procurou para que a pasta pagasse diretamente à Justiça dívidas trabalhistas de OSs (organizações sociais) que tinham valores a receber do governo.

Essa medida quitaria, de uma vez só, o pagamento de dívidas das entidades na Justiça e o recebimento de “restos a pagar” do estado.

“Para a OS, ingressar no esquema criminoso seria vantajoso, pois seria uma oportunidade de receber do estado os valores a título de restos a pagar, o que, em geral, é bastante dificultoso, bem como, com sua inclusão no Plano Especial de Execução na Justiça do Trabalho, poderiam obter a certidão negativa de débitos trabalhistas”, declarou a PGR.

Segundo Edmar, as entidades deveriam contratar um escritório de advocacia que se comprometesse a repassar a propina para a firma da irmã do desembargador, a advogada Eduarda Pinto da Cruz.

Na delação , ex-secretário explica que receberia 10% dos valores a serem pagos à Justiça em nome das empresas, e o desembargador ficaria com outros 10%. O desembargador disse, segundo o delator, que se encarregaria de repassar parte da propina ao governador afastado.

Edmar disse aos investigadores que não conseguiu colocar as entidades para participar do esquema, porque houve divergência sobre a divisão da propina com o presidente nacional do PSC (Partido Social Cristão), Pastor Everaldo. Segundo a PGR, o dirigente era um dos coordenadores do esquema de corrupção no estado. Pastor Everaldo, que disputou a Presidência da República em 2014 e já foi próximo do presidente Jair Bolsonaro, foi preso na operação de sexta.

Edmar diz que Witzel o cobrou sobre o atraso no acordo. O ex-secretário disse que o desembargador também o pressionou, afirmando que o governador afastado teria direito a parte do valor arrecadado ilegalmente.

Os investigadores dizem que a delação foi parcialmente confirmada pelos registros de acessos ao Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador. O livro de registros mostra que o desembargador se encontrou com Witzel em setembro e outubro, que é mesmo período descrito pelo ex-secretário como sendo o de debate da propina.

Também estiveram no mesmo horário no palácio, além do magistrado, Pastor Everaldo e Cleiton Rodrigues, à época secretário estadual de Governo. Mas o acordo ilegal planejado acabou não se concretizando.

A investigação mostra indícios de que esse esquema está em vigor desde 2018. De acordo com os investigadores, o escritório da irmã de Cruz recebeu R$ 795 mil da empresa Atrio Rio de junho de 2018 a janeiro de 2019. Já em julho de 2018, a empresa foi incluída no programa que suspendia as execuções e penhoras decorrentes de dívidas trabalhistas.

Na mesma época, o Coaf (órgão de inteligência financeira) detectou movimentações atípicas na conta bancária do desembargador: ele recebeu R$ 1 milhão da irmã e sacou R$ 675 mil. A justificativa que deu ao banco foi que queria guardar o dinheiro em casa.

Outros esquemas

A empresa Atrio Rio é ligada à família de Mário Peixoto. O empresário aparece em investigações como sendo outro administrador do esquema de corrupção de Witzel.

desembargador Fernando Zorzenon da Silva, ex-presidente do TRT-1, também pode estar envolvido no esquema de suspensão de execuções e penhoras, diz a PGR.

O filho do magistrado tem um escritório que recebeu R$ 360 mil de um grupo empresarial – beneficiado por decisão do pai em novembro de 2018, de acordo com a Procuradoria.

Marcos Pinto da Cruz é advogado e assumiu o cargo de desembargador em setembro de 2017, na vaga do tribunal reservada à advocacia. A cerimônia de posse foi conduzida por Fernando Zorzenon da Silva, presidente na época. O site do TRT-1 registrou que ele se referiu a Cruz, na ocasião, como “um amigo de longa data”.

Zorzenon disse que estava tomando, na noite de sexta-feira (28), ciência “desta grave e infundada denúncia “.

“Durante esses quase 40 anos, minha carreira foi pautada na mais absoluta retidão, não havendo um único ato sequer tomado fora dos estritos limites legais, especialmente durante o exercício da presidência do tribunal, cargo da mais alta responsabilidade na minha trajetória profissional”, afirmou o ex-presidente do TRT-1.

Wilson Witzel nega atuação em esquema de corrupção e alega ser vítima de uma perseguição política da PGR para beneficiar o presidente Jair Bolsonaro.

Comentários do Facebook
Continue lendo
Nacional3 horas atrás

Papa Francisco doa equipamentos para unidades hospitalares do Brasil

Os médicos italianos Antônio Guizzetti e Paolo Tacchini vieram ao Brasil para representar a empresa que participa da doação e...

Regional3 horas atrás

Motorista fica preso às ferragens após colisão em Boa Esperança

Um acidente envolvendo dois veículos deixou um homem ferido na noite deste sábado (29), na rodovia que liga Boa Esperança...

Nacional5 horas atrás

Praias no Rio de Janeiro ficam cheias com sol forte e calor

Fernanda Frazão/Agência Brasil Os banhos de mar e os esportes marítimos estão permitidos na capital, no entanto, a prática de...

São Mateus6 horas atrás

Homem é preso ao tentar roubar 14 quilos de carne em supermercado de São Mateus

  Um homem foi preso após tentar roubar 14 quilos de carne em um supermercado de São Mateus, no início...

Saúde6 horas atrás

Brasil registra 3,8 milhões de casos do novo coronavírus

. O Ministério da Saúde divulgou hoje (30) novos números da pandemia do novo coronavírus (covid-19) no país. De acordo...

Nacional6 horas atrás

Jovem viaja para comemorar primeiro emprego e morre com amigas em acidente

Carro onde as quatro jovens e motorista trafegavam bateu em carreta por volta das 12h de sexta na BR-304, em...

Regional6 horas atrás

Empresário denunciado na Operação Rubi é preso em Linhares

Segundo o MPES, ele faz parte de uma organização criminosa envolvida em esquema de superfaturamento de contratos e pagamento de...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!