conecte-se conosco



Política

Bares e restaurantes: setor quer funcionar até 21h

Publicado

em

 

.

Os representantes do segmento comercial dos restaurantes e bares do Espírito Santo reivindicaram maior flexibilização na retomada das atividades. Propuseram funcionamento das 12 às 21 horas, incluindo os finais de semana, ou em dias alternados. Além disso, sugeriram o aumento de R$ 5 mil para R$ 15 mil na linha de crédito base, com as mesmas condições atuais da concessão de empréstimos. As propostas foram apresentadas em reunião da Frente Parlamentar (FP) de Proteção e Recuperação Econômica e Social do Empreendedorismo Capixaba, realizada de forma virtual nesta quinta-feira (9).

O debate sobre a reabertura dos bares e restaurantes no Estado ganhou força após o sindicato do setor (Sindbares) apresentar aos deputados uma proposta de retomada das atividades. O assunto foi abordado na sessão ordinária de segunda-feira (6). Atualmente, na Grande Vitória, o setor funciona de segunda à sexta-feira, de 10 às 16 horas. No entendimento dos representantes desse segmento comercial, há que haver maior flexibilidade, mas com responsabilidade.

Os participantes da reunião da frente parlamentar chegaram a uma proposta inicial comum que deverá ser finalizada em um documento assinado pelo Sindicato dos Restaurantes, Bares e Similares do Espírito Santo (Sindbares) e pelo colegiado. As reivindicações serão formalizadas junto ao governo do Estado.

O setor dos restaurantes e bares é composto por 18 mil estabelecimentos, com 90 mil empregos diretos. Além disso, a cadeia econômica do segmento inclui pequenas indústrias, pequenos produtores agrícolas e o setor cultural. Segundo as previsões, cerca de quatro mil casas devem encerrar suas atividades por causa da crise da Covid-19.

Retomada responsável

O presidente do Sindbares, Rodrigo Miguel Vervloet, afirmou que é possível a retomada gradativa das atividades. “Não é apenas o setor e, sim, toda uma cadeia econômica que está sofrendo com a crise. A pequena empresa precisa funcionar, não tem fluxo de caixa. Sem funcionar por três ou quatro meses significa um prejuízo muito grande e não tem como suportar”.

“Desde o início dessa crise, estamos em contato com o governo, tentando demonstrar a importância do setor, do número de empregos que resulta sua atividade. O setor nunca quis retomar de qualquer forma, mas, sim, uma retomada responsável, seguindo as regras sanitárias e científicas. Nossa intenção é retomar com segurança. O maior bem é o nosso cliente, o nosso grande parceiro”, enfatizou Vervloet.

O presidente do Sindbares acredita que cerca de quatro mil empresas não vão retomar as atividades. Ele anunciou uma proposta de protocolo, baseado em discussão nacional, mais rígido que o apresentado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com afastamento de mesas, de pessoas, higienização, máscaras e esclarecimentos aos clientes.

Ele garantiu que o ambiente dos restaurantes é mais seguro, logo depois das residências. Para ele, o protocolo apresentado ao governo é de muito fácil adaptação. Na região da Grande Vitória, no momento, o segmento funciona de 10 às 16 horas, de segunda a sexta-feira, horário que, segundo ele, não é o melhor.

Para o sindicalista, o delivery não substitui o movimento do restaurante. Trata-se de uma operação secundária, que representa pouco mais de 10% do faturamento. Ele esclareceu ainda que o custo de manutenção do serviço é muito alto.

Comerciantes

Proprietários de restaurantes alertaram para o fato de o fechamento causar desemprego e vulnerabilidade econômica para todos os grupos de pessoas, inclusive os grupos de risco das pessoas idosas e com doenças. “As pessoas vão morrer do mesmo jeito”, declarou Marcos Teixeira, dono de restaurante em Manguinhos, na Serra. Ele propôs flexibilidade no horário e funcionamento nos finais de semana.

Anderson Matos, outro proprietário de restaurante, em Jacaraípe, na Serra, levantou a seguinte questão: se o setor trabalha com distanciamento de segunda a sexta-feira, por que não trabalhar no sábado e no domingo? Se o cliente não pode usar o restaurante, ele vai ao supermercado comprar comida, “e lá a contaminação é muito maior”, ponderou.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da Serra, Samuel Dias, apelou para que haja maior circulação de informações nos meios de comunicação sobre os cuidados exigidos para a proteção ao novo coronavírus. Ele entende que a divulgação deve ser no sentido de acalmar a população. “Chega de medo”, enfatizou.

Governo

O presidente da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes), do governo do Espírito Santo, Alberto Gavini, declarou que o foco do governo é a preservação da vida e depois se recuperar na economia. Gavini lembrou que as primeiras regras foram estabelecidas pensando que a pandemia passaria rapidamente.

Primeiro, foi um programa de cestas básicas, depois, linhas de créditos para se pagar as contas, com juros zero. São R$ 5 mil, sem juros e com até seis meses de carência. Já chegam a R$ 15 milhões já concedidos. Tem outros R$ 55 milhões de empréstimos já realizados na modalidade superior, com valor de R$ 20 mil.

Ele ressaltou a necessidade de equilíbrio entre a economia e a preservação da vida com base nas informações da área da Saúde. Gavini entende que não tem fórmula mágica, mas é preciso uma forma mais rápida possível, e lembra que, além da Covid-19, há outras doenças a serem consideradas.

Deputados 

O presidente da Frente Parlamentar de Proteção e Recuperação Econômica e Social do Empreendedorismo Capixaba, deputado Alexandre Xambinho (PL), informou que no setor há 18 mil empresas que estão sofrendo com a crise do coronavírus. Ele acredita que é possível adotar um novo formato para o retorno das atividades. “Precisamos organizar os setores da economia capixaba para que volte às suas atividades de forma gradativa”, disse.

Para o secretário-executivo da frente parlamentar, Adilson Espindula (PTB), “o que nos conforma é saber que existem capixabas lutadores que nessa grave crise souberam se reinventar. Nos tempos de hoje, um dos setores mais atingidos são os bares e os restaurantes”, avaliou.

O deputado Delegado Lorenzo Pazolini (Republicanos) ressaltou a importância de a frente parlamentar ter trazido para a Assembleia o debate sobre o retorno das atividades do segmento comercial. Ele considera que a Assembleia é o local adequado para debater as questões relativas à crise no setor de bares e restaurantes provocada pela pandemia. Ele propôs a ampliação do horário dos estabelecimentos para até 21 horas. 


Fonte: Assembléia Legislativa do ES

Comentários do Facebook

Política

Bolsonaro faz propaganda de cloroquina para emas e web comenta

Publicado

em


source
O presidente Jair Bolsonaro mostra caixas de hidroxicloroquina e Annita em trecho de live
Reproudção/Facebook

Jair Bolsonaro faz divulgação do medicamento em live


Após ser visto hoje (23) passeando em moto e cumprimentando garis sem máscara , o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aproveitou para visitar as emas do Palácio da Alvorada. Ele exibiu a elas uma caixa da cloroquina e foi flagrado por repórteres fotográficos.


Bolsonaro defende o uso da cloroquina e hidroxicloroquina desde que o presidente norte-americano, Donald Trump, citou o medicamento. No entanto, o medicamento não possui comprovação científica de que é eficaz contra a Covid-19 . A foto é de autoria do site Poder 360.


No Twitter, internautas fizeram memes com o registro e relembraram até mesmo da bicada que o presidente levou quando tentou alimentar emas .






Bolsonaro chegou a afirmar que usou o medicamento em seu tratamento contra a doença. Outros apoiadores que foram infectados também disseram que fizeram uso do remédio. É o caso do deputado federal Coronel Tadeu (PSL), que foi  colocado em ventilador hoje em um hospital em São Paulo.

O presidente está em isolamento há duas semanas, quando recebeu seu primeiro diagnóstico para a Covid-19. Ele fez o terceiro teste nesta semana , que também deu positivo.

Em uma live realizada nesta noite, Bolsonaro afirmou que se sente “praticamente preso” . Ele ainda falou contra as medidas de isolamento social, destacando que Brasil virará país miserável caso pare de trabalhar enquanto situação da pandemia não for estabilizada.

Bolsonaro ainda ressaltou que “não é preciso ter pavor em relação ao vírus” e que se sente “muito bem”.

Comentários do Facebook
Continue lendo
Política46 minutos atrás

Bolsonaro faz propaganda de cloroquina para emas e web comenta

Reproudção/Facebook Jair Bolsonaro faz divulgação do medicamento em live Após ser visto hoje (23) passeando em moto e cumprimentando garis...

Estadual46 minutos atrás

Esmages oferece curso em mediação empresarial para juízes e mediadores judiciais

. A capacitação será ministrada por meio de transmissão por videoconferência. As vagas são limitadas. A Associação dos Magistrados do...

Estadual46 minutos atrás

Abertas inscrições para curso remoto sobre tutela provisória promovido pela Emes

. Capacitação acontece no dia 13 de agosto, quinta-feira. Integrantes do Poder Judiciário do Espírito Santo participam, no próximo dia...

Política1 hora atrás

Bolsonaro diz que população não precisa ‘ter pavor ao vírus’

Reprodução/Facebook Bolsonaro afirma que ficar sem trabalhar por conta do vírus é pior que o vírus Em live realizada nesta...

Nacional1 hora atrás

STJ coloca juiz em prisão domiciliar e obriga uso de tornozeleira

FreePik Magistrado é apontado como líder de esquema Um juiz usando uma tornozeleira eletrônica não é uma cena muito comum...

Nacional1 hora atrás

Traficantes matam casal e filmam com celular ; vídeo forte

Na madrugada de segunda-feira (20), um casal foi executado dentro da sua residência. Eles foram identificados como F. M. da...

Nacional2 horas atrás

Mãe mostra escorpiões na casa após filha ser picada e relata caso

A criança foi picada enquanto dormia em seu quarto, em Barretos, São Paulo. “Observe tudo! Todo cuidado é pouco”, alerta...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!