conecte-se conosco



Cultura

Atriz e radialista Daisy Lúcidi morre por covid-19 aos 90 anos

Publicado

em

 

.

A atriz e radialista Daisy Lúcidi morreu na madrugada de hoje (7), aos 90 anos, no Rio de Janeiro. Ela estava internada no centro de terapia intensiva (CTI) do Hospital São Lucas, na zona sul da capital, desde 25 de abril e morreu por complicações decorrentes de infecção por covid-19.

Daisy Lúcidi nasceu no Rio, em 10 de agosto de 1929. Muito cedo começou sua carreira na Rádio Nacional, a maior emissora da América Latina, na época de ouro do rádio, nos anos 1940, 1950 e 1960, com seus programas de auditório, com nove orquestras e o radioteatro, onde Daisy, com voz marcante, iniciou aos 6 anos de idade declamando poemas.

Participou do programa Seu Criado, Obrigado!, ao lado de César Ladeira, durante dez anos. Ela participou também de novelas da Rádio Nacional, que paravam o Brasil de norte a sul, como integrante da equipe do radioteatro, com tudo ao vivo, sem poder errar. A primeira radionovela do país foi apresentada em 1941 pela Rádio NacionalEm busca da Felicidade – e, um ano depois, inaugurou a primeira emissora de ondas curtas, o que deu aos seus programas imensão nacional.

Com a primeira novela, que ficou mais de três anos no ar, vieram outras com grande sucesso. Daisy Lúcidi estreou em 1952 na Rádio Nacional, no elenco de radioteatro, comandado por Floriano Faissal, do qual faziam parte Brandão Filho, Iara Sales, Zezé Fonseca, Isis de Oliveira, entre tantos outros artistas de sucesso.

Os programas de auditório com  César de Alencar e a rivalidade dos fã-clubes de Emilinha Borba e Marlene marcavam as tardes de sábado na emissora da Praça Mauá, 7, onde as filas para assistir aos programas davam voltas no quarteirão. A rádio também contava com programas de humor como Edifício Balança mas não cai, que contava com  Paulo Gracindo, Brandão Filho e Walter d’Ávila, com a participação do elenco de radioteatro.

Daisy Lúcidi também participou de várias novelas da Rede Globo, entre elas Paraíso Tropical, Passione,  Bravo!, O Casarão, Babilônia, Geração Brasil e do seriado Tapas e Beijos.

Em 1971, Daisy Lúcidi estreou o programa Alô Daisy, que permaneceu no ar por 45 anos, no horário das 13h às 15h. Foi o primeiro programa de rádio voltado para o público feminino, para a dona de casa, que contava com receitas, notícias de artistas, um quadro, no início do programa, chamado Cidade, Atenção, com a com a equipe de radiojornalismo que ia para as ruas e mostrava os problemas da cidade. Depois, a produção cobrava das autoridades a solução para cada reclamação apresentada pelo público.

Auditório da Rádio Nacional do Rio de Janeiro Auditório da Rádio Nacional do Rio de Janeiro

Auditório da Rádio Nacional do Rio de Janeiro – Acervo/Rádio Nacional

O Alô Daisy também apresentava, em dois dias da semana, debates populares, sempre às quartas e sextas-feiras. Em um dia a mesa era formada somente de homens – Agora é que são eles – e em outro dia formado por mulheres – Agora é que são elas, que debatiam questões nacionais, do estado e do município, sempre com destaque para os assuntos em evidência na semana.

Em eventos especiais da Rádio Nacional, como a visita do papa João Paulo II ao Brasil, Daisy Lúcidi participou com destaque da cobertura.

Com a projeção do programa, Daisy acabou entrando para a política – primeiro, para a Câmara Municipal do Rio e, depois, para dois mandatos seguidos como deputada estadual.

Daisy também desenvolvia um programa social, com creche e distribuição de alimentos, roupas e calçados para as famílias necessitadas. A sede da entidade, ficava na Rua Uranos, no morro do Alemão.

Recentemente, há pouco mais de dois anos, deixou a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), à qual a Rádio Nacional está vinculada, aderindo ao Programa de Demissão Voluntária.

Daisy Lucidi foi casada por 64 anos com o radialista Luiz Mendes, que morreu em 2011.

Edição: Graça Adjuto


Fonte: EBC Saúde

Comentários do Facebook

Cultura

ESPÍRITO SANTO | Inscrições abertas para a edição especial e online do Festival Nacional da Canção

Publicado

em

 

Uma edição especial online foi o caminho que os organizadores encontraram para que o Festival Nacional da Canção não deixasse de ser realizado em 2020. A comemoração dos 50 anos do evento, considerado o maior e mais tradicional do gênero no Brasil, foi adiada para o ano que vem.

A edição especial online acontecerá nos dias 4 e 5 de setembro e será transmitida pelo facebook e youtube do festival.  As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 7 de agosto pelo site www.festivalnacionaldacancao.com.br.

Além do cobiçado troféu Lamartine Babo os concorrentes estarão disputando R$15 mil em prêmios. Podem concorrer compositores de qualquer nacionalidade, desde que as músicas sejam interpretadas em português. Não existem restrições a gêneros e ritmos.

As composições devem ser inéditas e originais e os vídeos gravados sem efeitos especiais.  Na última edição mais de 2 mil compositores de 5 países diferentes se inscreveram. Pela primeira vez o festival se abriu para participação online e uma das vencedoras (3º lugar) veio da Ucrânia. 

Comentários do Facebook
Continue lendo
Estadual20 minutos atrás

Podcast fala sobre o programa “Maria da Penha Vai” e prevenção à violência contra a mulher

. Quem explica o assunto é a juíza Brunella Faustini, titular da 1ª Vara Especializada em Violência Doméstica e Familiar...

Nacional30 minutos atrás

Casal de jovens é assassinado com 79 tiros no Rio Grande do Sul

Reprodução Polícia trabalha com hipótese de que caso tenha envolvimento com tráfico de drogas Um casal de jovens foi executado...

Nacional35 minutos atrás

Covid-19 agrava violações contra indígenas yanomami, diz estudo

Reprodução Se nada for feito para conter a transmissão da covid-19, cerca de 5,6 mil yanomami podem ser infectados Violações...

Nacional45 minutos atrás

Covid-19 agrava violações contra indígenas yanomami, diz estudo

Reprodução Se nada for feito para conter a transmissão da covid-19, cerca de 5,6 mil yanomami podem ser infectados Violações...

Entretenimento1 hora atrás

Além de “Madeleine”, outras cinco séries que narram crimes reais

Treze anos depois,  a polícia alemã identificou um novo suspeito  pelo desaparecimento de Madeleine McCann . Com o novo desdobramento...

Entretenimento1 hora atrás

SBT anuncia volta de “Chiquititas” e contraria internautas

No início da noite desta sexta-feira (5), a hashtag “Fora Chiquititas ” esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter....

Regional1 hora atrás

MPES pede afastamento do prefeito e secretário de Conceição da Barra por improbidade

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça de Conceição da Barra, ajuizou...

São Mateus

Regional

Estadual

Nacional

Policial

ENTRETENIMENTO

POLÍTICA

Esportes

Mais Lidas da Semana

error: O conteúdo está protegido !!